Porto

Marcha do Orgulho LGBT quer juntar mais de 2 mil pessoas para promover igualdade

09 | 07 | 2011   15.52H

A sexta Marcha do Orgulho LGBT no Porto decorre hoje a partir das 15:00 e pretende reunir mais de duas mil pessoas sob o lema: “Rejeitamos a austeridade, abraçamos a igualdade”.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

A organização quer chamar a atenção para questões por resolver no que toca aos direitos da comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgéneros) como, por exemplo, a reformulação da lei de mudança de nome e uma “lei de igualdade de género justa”, disse à Lusa uma das organizadoras, Paula Antunes.

“Apesar de finalmente existir um esboço de uma lei de identidade de género, ainda há um longo caminho a percorrer na defesa de direitos essenciais, no combate ao estigma, ao preconceito e à exclusão”, escrevem as 13 entidades responsáveis pela organização da sexta marcha no Porto no manifesto de 2011.

De acordo com Paula Antunes, do Caleidoscópio LGBT, a Marcha do Orgulho no Porto “tem crescido todos os anos” e, para hoje, a organização espera, pelo menos, atingir o número de 2010, que se fixou nas duas mil pessoas.

João Paulo, também da organização e fundador do PortugalGay.pt, afirmou à Lusa que “esta austeridade no comportamento social e socioeconómico vai afetar muito mais diretamente as minoria, do que o restante da população”, pelo que importa sensibilizar a sociedade para as questões ligadas aos direitos LGBT.

Nesse sentido, João Paulo destaca que se vai realizar uma assembleia popular no final da marcha, de modo a conversar abertamente com quem quiser participar sobre as problemáticas ligadas a esta comunidade.

A comissão organizadora da Marcha do Orgulho LGBT do Porto inclui o Bloco de Esquerda, o Caleidoscópio LGBT, o GIS, Grupo Identidade XY, a Juventude Socialista, Panteras Rosa, Partido Humanista, Poly-Portugal, Ponto Bi, PortugalGay.pt, Rede PJIOMH, SOS Racismo e UMAR.

Na noite de hoje decorre, também, mas de forma separada, a 11ª. edição do Porto Pride, no Teatro Sá da Bandeira, que é, segundo João Paulo, “mais do que uma festa, é um evento solidário”, uma vez que petende reunir um donativo a ser entregue à Sol – Associação de Apoio às Crianças Infetadas pelo Vírus da SIDA e suas famílias.

Saiba mais sobre:
Foto: 123RF
Marcha do Orgulho LGBT quer juntar mais de 2 mil pessoas para promover igualdade | © 123RF

44 comentários

  • E viva à moda da Homossexualidade! Todos diferentes, mas todos a fazer comboinhos! Façam bicha para entrar no comboio e juntem-se bem agarradinhos! É para chegar ao Record do Guiness, vambora gayzada! Toca a "acustar"!
    PQP | 25.07.2011 | 18.45Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr.º Humberto Reis, aceito sem qualquer tipo de reserva as suas desculpas, pois assim fazem os homens de bem, e amantes da verdade, e como é logico, tambem lhe fico grato, por me ter dado o ensejo, de descernir melhor, em relação aos tópicos de que falámos. Bem haja.
    Alberto Sousa | 12.07.2011 | 13.28Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr. Alberto Sousa, Quando lhe digo que não existe uma "teoria da criação" refiro-me à descrição da bíblia e particularmente ao significado da palavra "teoria" como é utilizada pela ciência, que é um modelo da natureza baseado em fenómenos observáveis e testáveis. No sentido mais abrangente, tudo teve uma criação pois tudo teve um início mas a "teoria da criação" dos organismos vivos como relatado pela bíblia não existe pois essa explicação não apresenta os tais factos observáveis e testáveis. A bíblia tem uma fábula da criação, não uma "teoria". Devo clarificar que eu também não sou ateu. Nem seria coerente com uma visão racional da natureza e do universo negar a existência de um criador sem ter provas para isso. Aquilo que eu posso afirmar é que a descrição literal da bíblia acerca da origem do universo e da vida é falsa. Para isso, sim, existem provas. A própria igreja católica aceita que a evolução biológica conforme descrita por Darwin está correcta. Relativamente à transcrição que o senhor enviou, as hipóteses que existem são variadas, efectivamente. Mas a discussão científica revolve em torno dos factores que originam a sexualidade. A discussão científica não é se a homossexualidade é normal. A esse respeito há um consenso generalizado. Aquilo que ainda se discute é a causa da homossexualidade.
    Peço desculpa se assumi que as suas citações foram utilizadas com má fé. Vejo agora que não foram. No entanto volto a pedir-lhe que tenha cuidado com a "informação" constante nas revistas da Torre de Vigia (últimamente são emitidas sem título ou com uma referência em letras pequenas ao nome inglês Watch Tower). Frequentemente a informação científica é incorrecta e as citações de várias personalidades são retiradas do contexto para dar a entender algo diferente do pretendido pelos autores da citação. Bem haja
    Humberto Reis | 12.07.2011 | 09.36Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Devo dizer-lhe no entanto que a transcrição que enviei, não invalida de todo a minha ideia de que a comunidade cientifica médica, está dividida entre varias hipóteses, senão leia com mais atenção, e relacione com os meus comentários. Quanto á minha teoria da "criação" que o Sr. diz não existir, tambem não é uma verdade do Sr.º De La Palisse. até porque existem evidencias de criação. Poderemos falar disso. Devo-lhe dizer que não pertenço a qualquer, comunidade religiosa, porem não sou ateu, não negando assim a existencia, do divino, embora o veja doutra maneira que não a da biblia. Por isso lhe digo que, ciencia, e crença no divino se harmonizam. Afinal a criação ainda está em curso, pois ainda existem "maternidades de estrelas".
    Alberto Sousa | 12.07.2011 | 08.36Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr.º HUMBERTO REIS, lamento que pense, que o pretendo ludibriar, com os meus comentários, pois prezo-me de ser uma pessoa honesta e educada, mas eles são na verdade o reflexo de quem pretendia aprender algo mais, sobre o que o rodeia, assim pretendo que não fique com essa impressão acerca de mim, e só poderei lamentar se fui beber conhecimento a fontes não fidedignas. Não tenho a certeza. Porem e dado que verifico ser o Srº uma pessoa com cultura, sem sombra de dúvidas, superior á minha, tenho que me render á evidencia, de que provavelmente estará certo naquilo que afirma. Digo-lhe que não sou como está a pensar, testemunha de Jeová, até porque não sou membro de religião alguma, embora como deve calcular tivesse em criança, recebido ensinamentos católicos, porque sou da geração dos anos 40. Não tive a sorte de ter curso superior, fiquei-me pelo Industrial, e fui profissional de artes gráficas, durante a maior parte, do meu tempo de trabalho activo. Não me ilustrei mais, pois que livros de estudo, e técnicos ainda por cima saem caro e estão fora das minhas possibilidades. Porem não quer dizer que não tenha gosto em ter mais conhecimento. Assim tento ilustrar-me com o que posso ler, que é o que me chega á mão. Pena que nem tudo sirva para informar correctamente.
    Alberto Sousa | 12.07.2011 | 06.52Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr. Roberto, permita-me que o corrija, o senhor não responde às questões directas que lhe faço, não por falta de tempo mas sim porque as questões não lhe agradam. Este assunto não é uma questão de opinião. É uma de questão de factos sólidos e factos é o que lhe apresento. Que o senhor tenha medo ou não tenha capacidade de encarar os factos e não queira responder às minhas questões fica na sua consciência. Mas não tente enganar-me com a sua falta de tempo.
    Humberto Reis | 12.07.2011 | 03.00Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr. Alberto Sousa, o seu ultimo comentário, que muito agradeço a transcrição, parece confirmar tudo aquilo que eu tenho tentado transmitir-lhe. Particularmente as últimas linhas resumem na perfeição aquilo que eu disse. O amor entre duas pessoas existe independentemente do sexo dessas pessoas. O facto de a sexualidade de cada um ter múltiplas origens (nunca argumentei contra esse facto) não invalida de qualquer forma que dois homens ou duas mulheres possam sentir amar/paixão pelo seu parceiro. O texto que o senhor teve a amabilidade de transcrever apenas invalida a sua opinião.
    De facto creio que agora entendo a sua posição visto que é baseada na crença religiosa. Infelizmente as religiões abraamicas são fortemente preconceituosas, nomeadamente no que diz respeito à homossexualidade e a sua opinião reflete esse preconceito. Se me permite perguntar, gostaria de saber qual é a sua religião. Deduzo que não seja católico pois o senhor parece acreditar na "teoria da criação" que é algo que já foi posto de parte por essa denominação. O senhor será testemunha de Jeová? Caso seja, teria muito gosto em discutir consigo o assunto da origem da vida pessoalmente. Fica aqui o convite, acredite que é sincero. Correndo o risco de me afastar do assunto que aqui se discute, sinto que devo fazer referência a algumas das suas afirmações. A "teoria da ciração" como o senhor lhe chama, não existe. Uma "teoria" é um modelo da natureza baseado em evidências testáveis que explica os fenómenos observáveis. Por exemplo, podemos dizer que existe uma teoria heliocêntrica porque podemos observar que a terra gira em torno do sol. No entanto, dizer que deus terá criado, num acto de criação único todas as criaturas vivas e que estas existem imutáveis desde o momento da criação, pelas evidências observáveis é falso. A evolução dos organismos vivos é um fenómeno observável que mostra que a criação não aconteceu (pelo menos da forma literal como consta na bíblia). Além disso, existem várias "teorias da criação" ou fábulas da criação seria um termo melhor, consoante a denominação religiosa. Obrigado pela sugestão que me faz em ler estas "teorias" mas devo dizer-lhe que as conheço muito bem e são todas demonstravelmente falsas. Mais uma vez reitero o meu convite para discutirmos este assunto pessoalmente. Terei todo o gosto em colocar aqui o meu e-mail para que me possa contactar.
    Passemos agora às citações que o senhor faz de certas personalidades.
    Citação: "A hipótese de que a vida se tenha desenvolvido de matéria inorganica, ainda é na actualidade, um artigo de fé cientifica"- Matemático J. W. N. Sullivan. Quando Sullivan fez esta afirmação em 1933 ainda não muitas evidências para apoiar a teoria da abiogénese. Actualmente, quase 80 anos após esta afirmação, já temos. Devo também acrescentar que esta afirmação não tem nada a ver com a teoria da evolução mas sim com a teoria da abiogénese. São dois assuntos distintos e parece-me que o senhor não entende esse facto.
    Citação: "Basta considerar a magnitude dessa tarefa para admitir ser impossível a geração espontânea de um organismo vivo" ."- Bioquimico George Wald. Tenho alguma dificuldade em saber o que o autor queria dizer com esta afirmação. Na realidade a revista Torre de Vigia utiliza com muita frequência esta técnica desonesta de tirar fases fora do seu contexto para confundir os leitores. Ainda assim, posso dizer-lhe que a afirmação, por si só, é totalmente verdadeira. Um organismo vivo complexo não aparece por geração expontânea, é exactamente isso que diz a ciência. Quem pensa que a ciência afirma o contrário, não entende o que diz a ciência. Na realidade o mito da criação em que deus teria criado o Homem a partir do barro, assemelha-se muito mais a geração expontânea do que a forma como a vida realmente apareceu no nosso planta (teoria da abiogénese). Mais uma vez, esta afirmação não tem nada a ver com a teoria da evolução.
    Citação: "Se a pessoa não for preconcebida, seja por crenças sociais, seja por determinado preparo cientifico, a ter convicção de que a vida se originou espontaneamente, na Terra, este simples calculo, as probabilidades matématicas a isso, torna improcedente toda essa ideia."-Astronomos,Fred Hoyle, e N. C. Wickramasinghe. Mais uma vez é impossivel entender o verdadeiro significado de uma afirmação fora do seu contexto. Prefiro acreditar que o faz por ignorar que uma citação deve senpre vir acompanhada da respectiva bibliografia do que por desonestidade. Ainda assim, permita-me que lhe diga que qualquer evento improvável, com suficiente repetição vai irá certamente occorer. É extremamente improvável ganhar o euromilhões mas com tantos apostadores é frequante que haja vencedores. Também a origem da vida por abiogénese é um acontecimento certo dado que teve milhões de anos para ocorrer.
    Citação:"Um homem honesto,armado de todo o conhecimento disponivel a nós actualmente, só poderia declarar que em certo sentido, a origem da vida parece, no momento, quase que um milagre."- Biólogo Francis Crick. Esta citação é particularmente vergonhosa e é um bom exemplo da falsidade patente na revista de onde o senhor retirou o texto. É que a seguir Crick escreveu o seguinte: "Mas isto não significa que haja razões para acreditar que a vida na Terra não começou por uma sequência de reacções químicas comuns". Peço-lhe encarecidamente que não volte a tentar enganar-me com mentiras descaradas. Se o fez por ignorância, por favor não acredite em tudo o que lê na Torre de Vigia sem antes verificar a origem das afirmações que lá existem. Uma revista que recorre a mentiras e falsidades tão óbvias só pode ter algo a esconder.
    Como viu, todos os argumentos que utilizou até este momento, são falsos. O senhor foi argumentando e eu fui-lhe mostrando que o senhor estava errado e nem sequer foi capaz de responder à questões que lhe coloquei. Por fim o senhor refugia-se dizendo "...eu não sou a favor, não me contradiga..." Quando na face da evidência alguém tem esta atitude é caso para lhe devolver as suas próprias palavras: "Não só é cego quem não vê, mas tambem aquele que não quer ver!"
    Humberto Reis | 12.07.2011 | 02.47Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Aqui tem mais material Sr. HUMBERTO REIS.
    Há controvérsias se o homossexualismo é determinado geneticamente, se é resultado da educação ou do meio ambiente em que a pessoa é criada. O neurobiólogo Roges Goski (Universidade da Califórnia, EUA) fez experiências em laboratórios com ratos e seres humanos, ambos fêmeas, que receberam testosterona (o hormônio masculino) ainda em fase intra-uterina e observou que, desde a primeira fase da vida, elas tinham comportamentos masculinos, como gostos, brincadeiras mais agressivas além de sentirem-se mais atraídas por fêmeas. Já o geneticista Dean Hamer (Instituto Nacional de Saúde dos EUA) sustenta a tese de que homossexualismo tem determinação genética. O geneticista diz ter descoberto genes numa determinada região, que ele chamou de GAY-1, associados ao homossexualismo. Tal hipótese não teve muita credibilidade no meio científico americano, mas seus defensores dizem haver uma lógica: "se os genes transmitem as características hereditárias e contêm 'instruções' para a fabricação das substâncias que fazem os organismos funcionarem, também poderia lançar a probabilidade de homossexuais (assumidos ou não) terem filhos também homossexuais. É uma tese que coloca o homossexualismo não como uma opção ou estilo de vida, mas como resultado de uma variação genética. Contrário a essa tendência bio-geneticista das causas do homossexualismo, estão os psicólogos e psicanalistas. Não se nega que a base genética de nossas características humanas ou as tendências que temos de desenvolver algumas doenças, por exemplo, tem base genética, mas daí incluir o homossexualismo como quase-doença geneticamente determinada é, no mínimo, simplismo científico. Daryl Bem, psicólogo da Universidade de Cornell (EUA), pesquisa a formação intra-familiar do homossexual. Quais brincadeiras uma pessoa preferia quando criança, seus gostos por roupas, jóias, tipo de relação com a mãe, com o pai, etc. e concluiu que os incidentes do desenvolvimento, o tipo de investimento familiar e as tendências da própria pessoa, todos esses fatores pesam muito mais na determinação do homossexualismo do que os fatores genéticos. A nova geração de psicólogos americanos a partir de Judith Harris tende a valorizar as vivências "fora" da família, isto é, as relações interpessoais com vizinhos, colegas da escola e da rua, como fatores que mais pesam no desenvolvimento da personalidade. Nesse sentido, meninos que se comportam segundo o estereótipo de menino (gostam de brincadeiras mais agressivas, se identificam com heróis, gostam de aventuras, ação, são menos obedientes e se encrencam na escola por má conduta mais que as meninas etc) se diferenciam delas que costumam ter um jeito mais suave e introspectivo. O "normal" nessa cultura é esperar que os meninos sintam-se atraídos pelas mulheres, mas não em ser como elas. Porém, sobram perguntas sem respostas satisfatórias. Como entender as pessoas que desde crianças sentem-se atraídas pelo estilo das meninas? Será que, só por essa tendência, fatalmente desenvolverão homossexualismo ou será apenas uma fase passageira? E as meninas que admiram mais as meninas, que são fascinadas por pessoas famosas, será que estão sendo atraídas a se tornarem homossexuais ou trata-se somente de simples admiração? De nossa parte, esclarecemos que tanto meninos quanto meninas, até a fase da adolescência, não podemos afirmar que serão homossexuais quando adultos, só por terem gostos e jeito do sexo oposto. São fases em que é normal é a presença de estereótipos, facilmente copiados na mídia e repetidos nos gestos, mímica, falas, etc. Ademais, se eles estão ainda em formação total da personalidade, inclui também a psicossexualidade ou sua definição sexual. Os estudos de Freud, no início do séc. 20, jogaram um pouco de luz nas causas da homossexualidade. Para o pai da psicanálise, três fatores parecem determinar o homossexualismo: a forte ligação com a mãe, a fixação na fase narcísica e o complexo de castração. No primeiro, o homossexualismo teria início devido a uma forte e incomum fixação com a mãe o que impediria essa pessoa de se ligar a outra mulher. O segundo fator, o narcisismo, faz com que a pessoa tenha menos trabalho em se ligar ao seu igual que em outro sexo. A estagnação na fase narcísica faria com que "o amor fosse para eles sempre condicionado por um orgão genital semelhante ao deles" (Ferenczi). O terceiro fator, aponta problemas relativos à travessia da castração, isto é, sofrimentos relativos as perdas e a idéia de morte que deixariam a pessoa acomodada ou acovardada na sua psicossexualidade. Em verdade, não podemos escapar do fato de que somos todos ambissexuais. Esse termo proposto por S. Ferenczi, em 1914, é ainda útil para exprimir que a criança, num certo estádio do seu desenvolvimento normal, manifesta sentimentos anfieróticos, quer dizer, ela pode transferir sua libido ao mesmo tempo para o homem (o pai) e para a mulher (a mãe). Observa-se em qualquer cultura do mundo -- incluso também a nossa -- que as pessoas tendem a ter atração pelo mesmo sexo e se distanciam do sexo oposto, ou seja, as amizades são mais fáceis de acontecer entre homens e só de mulheres entre si. Não faz muito tempo, as escolas separavam salas de aulas só de meninas e outras só com meninos, numa evidente opção institucional e inconsciente pela "homossexualidade". Até hoje, no interior brasileiro, assim como no mundo oriental, os hindús, os árabes, se sentem mais próximos dos homens que de mulheres. Nessas culturas, não há preconceito quanto a homossexualidade, vista nos grupos de danças, nas rodas de jogos, nas conversas e brincadeiras. Esses grupos se organizam segundo as regras da homossexualidade (quer dizer: "igual sexo") e, no entanto, ao que parece não chegam a ser homossexuais. Por quê? Talvez pelo complexo de castração, o terceiro fator acima proposto pela psicanálise. De qualquer forma, ainda não foram respondidas a contento as questões: por que algumas pessoas tem preferências ou tendências homossexuais? Será que o homossexualismo não passa de uma espécie de inveja do outro sexo; que deseja ter o jeito do outro sexo? Ou, seu desejo primeiro é não ter desejo, nem ser "macho", nem "fêmea", mas de ser o terceiro sexo? Qual o limite da determinação genética quanto a homossexualidade e o homossexualismo? E a influencia desta com os fatores ambientais e a significação atribuída ao próprio sujeito desejante?
    No momento, os estudiosos parecem estarem de acordo em somente um ponto: não há uma única causa quanto ao que determina o homossexualismo. Os pais em geral deveriam educar seus filhos para uma sexualidade sadia, sem preconceitos ou sofrimentos desnecessários. Deveriam ter melhor preparo, mais esclarecimentos e sobretudo saber escutá-los nas suas dificuldades e dúvidas. Os pais de homossexuais, não mais deveriam se perguntar "Onde foi que eu errei?", mas "Como devo proceder-me para que essa pessoa seja feliz?", porque em verdade, o amor não ter sexo.
    Alberto Sousa | 11.07.2011 | 23.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Outra coisa... Eu prefiro nem exprimir qualquer consideração sobre os seus extenssíssimos comentários das 01.17H, 01.28H e 01.29H, pela simples razão de que gosto de ocupar o meu tempo com coisas realmente construtivas, como por exemplo, dormir durante a noite.
    Roberto | 11.07.2011 | 22.57Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr.º HUMBERTO REIS, passo a citar-lhe algumas frases de conceituados cientistas, seguidores da teoria da evolução:
    "A hipótese de que a vida se tenha desenvolvido de matéria inorganica, ainda é na actualidade, um artigo de fé cientifica"- Matemático J. W. N. Sullivan.
    "Basta considerar a magnitude dessa tarefa para admitir ser impossível a geração espontânea de um organismo vivo" ."- Bioquimico George Wald.
    "Um homem honesto,armado de todo o conhecimento disponivel a nós actualmente, só poderia declarar que em certo sentido, a origem da vida parece, no momento, quase que um milagre."- Biólogo Francis Crick.
    "Se a pessoa não for preconcebida, seja por crenças sociais, seja por determinado preparo cientifico, a ter convicção de que a vida se originou espontaneamente, na Terra, este simples calculo, as probabilidades matématicas a isso, torna improcedente toda essa ideia."-Astronomos,Fred Hoyle, e N. C. Wickramasinghe.
    "A única explicação aceitavel, é a criação. Sei que isto é anátema para os fisicos, como deveras é para mim, mas não devemos cientificamente rejeitar uma teoria da qual não gostamos, se a evidencia experimental a apoia. A evolução em certo sentidp tornou-se uma religião cientifica, quase todos os cientistas a aceitaram e muitos estão dispostos a moldar suas observações para que se ajustem a ela."- Físico H. S. Lipson. Como pode verificar, no mundo cientifico há imensas contradições, o mesmo se passa em relação, á homossexualidade ser algo natural,há quem apoie e quem seja contra. O Sr. será a favor, não o contradigo, eu não sou a favor, não me contradiga tambem. Possivel será que daqui a alguns anos, mudem os pensamentos. Ainda se está, apesar da evolução do conhecimento, na infancia da arte.
    Alberto Sousa | 11.07.2011 | 22.54Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr. Humberto Reis,
    Depois de ler o seu comentário, só me ocorre uma palavra: retórica, retórica, retórica e mais retórica... Apenas problematiza até à exaustão a opinião dos outros, e sempre de forma orientada, evitando ou desvirtuando os aspectos que não lhe agradam, de forma a convencer que o seu pensamento é que está correcto. Francamente, continuo sem lhe encontrar nenhuma seriedade intelectual ou moral.
    Apesar de só ter a 4.ª classe, digo-lhe mais: sei que no passado, a retórica foi muito utilizada pelos filósofos gregos (ex: Aristóteles), que eram homossexuais, e coincidência ou não, a partir do surgimento desses “filósofos”, a civilização grega começou a entrar em declínio, até à sua posterior extinção. Tal e qual como a retórica que os recentes governos gregos recentemente aplicaram às finanças públicas do seu país. Infelizmente, a Grécia foi e continua a ser o resultado da corrupção do pensamento e das finanças.
    Decadente...
    Roberto | 11.07.2011 | 22.44Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr.º HUMBERTO REIS, não é minha intenção modificar, a sua forma de pensar, que eu não partilho. O Sr. comete o erro, de pensar que por ter formação em ciencia, é possuidor da verdade. Suponho que nunca ouviu falar da "teoria da criação", que não é "fria", e que, dá respostas lógicas, á nossa presença neste planeta, e um sentido á vida. Não é minha ideia, "evangeliza-lo". Porem se gosta de ciencia, tal como eu, consulte. Esta teoria, não é contraria, na totalidade, antes se harmoniza com outras em actualidade. Faço votos, para que leia de mente aberta, algo sobre a mesma, tal como me pede, em relação ao tema em debate. Só assim poderá compreender, a minha recusa em aceitar, qualquer tipo de igualdade, em relação á sua forma de ver.
    Alberto Sousa | 11.07.2011 | 21.58Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Os paneleiros e as fufas bem que podiam ir apanhar no cú para pagar a dívida de Portugal...
    Ah, pois é! | 11.07.2011 | 13.33Hver comentário denunciado
  • Eu também quero apanhar no cú! Já estou farto do Nandinho e da equipa do FCP!!!! VENHA DE LÁ MAIS PIÇA!!!!! Ó Humberto, tu moras na cidade do Porto?
    Pinto da Costa | 11.07.2011 | 13.22Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Correcção ao meu comentário anterior: Não existem teorias CIENTÍFICAS alternativas...
    Humberto Reis | 11.07.2011 | 12.14Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sr Alberto Sousa, a minha formação é em ciência e por esse mtivo posso dizer-lhe que não existe muita dúvida na comunidade cieentífica acerca da validade das teorias do big-bang nem da evolução por selecção natural de Darwin. A única discussão que existe na comunidade científica é acerca de como se processam os mecanismos que permitiram que esses fenómenos acontecessem. Não existem CIENTÍFICAS alternativas para os fenómenos que o senhor faz referencia, tal como não existe uma teoria alternativa para a teoria da gravidade ou para a teoria heliocêntrica.
    O senhor continua a insistir que o objectivo da união entre duas pessoas é a reprodução. O senhor não só está a negar que dois homens ou duas mulheres possam amar-se mas também está a negar que um casal infértil ou um casal de pessoas mais velhas ou um casal que não que ter filhos possa sentir amor. Para si só faz sentido que duas pessoas constituam família se tiverem como objectivo a reprodução e isso sim, é escolher ser cego. As pessoas sentem afectos umas pelas outras e deixe-me que lhe diga que dois homem podem sentir amor um pelo outro. Quem é o senhor para dizer que isso não pode acontecer? Tem alguma formação em psicologia ou psiquiatria para afirmar que dois homens não podem sentir amor? Essa afirmação não só é arrogante como revela uma grande falta de respeito por todos os casais de pessoas do mesmo sexo que se amam.
    O senhor diz que nem toda a comunidade médica aceita que a homossexualidade seja uma vertente normal da sexualidade humana. Eu respondo-lhe que essa afirmação não é verdadeira e faço-lhe o desafio de me apresentar algum estudo científico que demonstre o que me está a afirmar. Não vai conseguir!
    Humberto Reis | 11.07.2011 | 12.12Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não só é cego quem não vê, mas tambem aquele que não quer ver! Afecto, todos podemos sentir uns pelos outros, independentemente do sexo. E de qualquer permissa sexual. E isto é tão velho como a existencia do homem-. Diz-se que um homem que viveu há dois mil anos, amava todos, ao ponto de se deixar cruxificar por eles, e não consta a história que esse afecto tivesse qualquer tipo de caracter sexual. O afecto, que faz unir um homem e uma mulher, para alem de ser um regulador de que permaneceram juntos até suas crias estarem prontas a enfrentar a vida sozinhas, tambem é a da "armadilha" de que a natureza se serve para unir ambos. E dar continuidade á espécie. Dai o agrado com que se olham . Naturalmente acontece o mesmo com outros animais, que decerto não serão desprovidos de sentimentos. Outros fazem-no por instinto. Tal não pode acontecer entre homossexuais, onde impera o instinto, talvez mascarado de algum sentimento. Porem nem toda a comunidade médica afirma que a homossexualidade seja algo normal, assim como nem todos os cientistas, afirmam que começou o universo com o Big-Bang. Existem outras teorias, que deveria consultar, em documentos da especialidade. Quando até se questiona a propria teoria da evolução de Darwin.
    Alberto Sousa | 11.07.2011 | 05.17Hver comentário denunciado
  • Sr. Roberto aqui está o texto da wikipédia que contém vários autores e estudos que apontam para a homossexualidade nos animais. Leia com atenção e verá que eu não faço "afirmações caluniosas e injuriosas". http://en.wikipedia.org/wiki/Homosexual_behavior_i n_animals
    Humberto Reis | 11.07.2011 | 01.29Hver comentário denunciado
  • Sr. Roberto aqui está o texto da wikipédia que contém vários autores e estudos que apontam para a homossexualidade nos animais. Leia com atenção e verá que eu não faço "afirmações caluniosas e injuriosas".
    Humberto Reis | 11.07.2011 | 01.28Hver comentário denunciado
  • Sr. Roberto vou tentar responder ao seu comentário. Digo "tentar" porque o seu comentário tem tantos erros que tenho dificuldade em saber onde começar.
    1) Em primeiro lugar peço-lhe o favor de não adulterar o significado das minhas palavras. O senhor cita-me dizendo "fazer algo que não é natural está errado, mas nem sempre é assim" e afirma que eu concordo que a homossexualidade não é natural. Contudo, se tivesse lido com atenção teria percebido que eu estava justamente a fazer a afirmação contrária. Eu disse claramente que a homossexualidade é natural mas mesmo que assim não fosse, isso não significaria que a homossexualidade fosse um erro. 2) O senhor acha que eu fui vago na minha afirmação que muitos animais apresentam comportamento homossexual mas parece-me que o senhor não se deu ao trabalho de investigar a questão. Por esse motivo sugiro que leia o texto da wikipédia a esse respeito. Se quiser mais informação pesquise os vários autores e publicações sugeridas na wikipédia. O senhor sugere que o homem evoluiu muito ao longo de milhões de anos e já se distanciou dos animais. No sentido biológico eu posso dizer-lhe que a sua afirmação não faz qualquer sentido. Também os outros animais evoluiram durante milhões de anos. Todos os organismos vivos evoluem continuamente. Biologicamente, as pessoas são tão animais como um cavalo ou um cão ou outro animal qualquer. Mas se a sua afirmação significa que a espécie humana desenvolveu conceitos de moralidade e emoções, então permita-me que lhe diga que essa capacidade é parte integrante da relação entre duas pessoas, sejam elas de sexos opostos ou do mesmo sexo. Ou acha que não podem existir emoções entre dois homens ou duas mulheres?
    3) A identificação da homossexualidade como uma doença no passado resultou dos preconceitos morais e religiosos da altura. Nessa altura não existiam estudos para suportar essa opinião e acreditava-se que terapias com choques eléctricos, entre outras terapias traumáticas "curavam" a homossexualidade. Actualmente temos um vasto conhecimento nesta área e foi esse conhecimento que permitiu corrigir uma classificação errada da homossexualidade. Também antigamente se acreditava que o mundo era plano, felizmente o conhecimento humano está continuamente a crescer. O senhor afirma que os estudos científicos por entidades médicas não são unânimes e sugerem que a homossexualidade pode ser "curada". Mais uma vez é óbvio que o senhor não investigou muito bem o assunto. A grande maioria das afirmações que a homossexualidade pode ser modificada provém de grupos religiosos americanos e mesmo estes não afirmam que uma pessoa homossexual passa a ser heterossexual. Estes grupos religiosos afirmam que a prática da homossexualidade (o acto sexual) pode ser suprimido. Isto é, um homossexual pode abster-se do acto sexual mas não deixa de ser homossexual. As entidades médicas sérias não afirmam que a sexualidade pode ser "curada" porque não consideram que exista uma doença que pode ser curada. No entanto, as entidades médicas sérias aprovam o aconselhamento psiquiátrico a pessoas homossexuais que não se sintam confortáveis com a sua sexualidade devido à discriminação de pessoas como o senhor. O problema não está na homossexualidade. O problema está na sociedade que faz com que os homossexuais se sintam inferiores. Se a sexualidade pudesse ser revertida então também seria possível transformar um heterossexual em homossexual. Isso não é possível.
    4) Este ponto do seu argumento é tão auto-contraditório e obviamente falso que tenho dificuldade em conceber que alguém possa escrever tal coisa.
    Citação: "homossexualidade/lesbianismo interfere com a vida pessoal da população de todo o Mundo" Como é que a relação de um casal homossexual interfere com a sua vida? Dê-me um exemplo prático, por favor. Consegue responder?
    Citação: "quando se querem casar, ter filhos e adoptar [os homossexuais], estão a roubar a identidade e a cultura de todas as pessoas heterossexuais" Um roubo significa que alguém subtrai um bem a outra pessoa . Esse bem ficaria indisponível ao legítimo proprietário. Além disso, um roubo implica um acto de violência. Quando um casal homossexual se casa, qual é o bem ou direito que fica indisponível para um casal heterossexual? Qual é o acto de violência que um casal homossexual executa sobre um casal heterossexual?Consegue responder?
    Citação: "Estas estruturas culturais foram criadas pel@s heterossexuais, e para @s mesm@s." Tem toda a razão, e os heterossexuais podem continuar a fazer usos dessas mesmas estruturas, ninguém pretende excluir os heterossexuais desses direitos. Mas alguns heterossexuais pretendem excluir os homossexuais desses mesmos direitos. Existe um paralelo entre a sua afirmação e a escravatura. A sua frase já foi utilizada da seguinte forma: Estas estruturas culturais foram criadas pelos indivíduos de raça branca, e para os mesmos. Está a entender o problema? Citação: "qualquer pessoa está no seu pleno direito de não querer ser comparado com um homossexual ou uma lésbica". Mas quem é que está a fazer essa comparação? Por algum acaso a igualdade de direitos significa que um heterossexual vai ser confundido com um homossexual? E claro que não! Por algum acaso quando se aboliu a escravatura se passaram a confundir as pessoas de raça negra com as pessoas de raça branca? As duas raças continuam a existir com direitos iguais.
    Citação: "o próprio Hitler era homossexual, não era mesmo?" Não, não era. Hitler era amante da Eva Brown.
    Citação: "Isto só denota que estamos perante potenciais ditadores, que não respeitam a opinião do Mundo". Esta afirmação revela tamanha ignorância que fiquei pasmo ao lê-la. Em primeiro lugar, uma ditadura é um sistema político autoritário que limita os direitos da população. O que se pretende é um sistema em todos os indivíduos da população tenham os mesmo direitos. Concorda? Em democracia existe um princípio fundamental, que obviamente o senhor desconhece, que protege as minorias da tirania da maioria. Imagine se a maioria de raça branca votasse para limitar os direitos da minoria de raça negra. Acharia isto normal? Limitar os direitos de uma minoria é extremamente anti-democrático e muito representativo dos sistemas totalitários que o senhor critica. Em democracia as minorias estão protegidas da vontade da maioria. Em democracia, a população só deve pronunciar-se quando se trata de um direito que diz respeito a toda a população. em democracia nunca se deve permitir que a maioria limite os direitos de uma minoria. Concorda?
    Humberto Reis | 11.07.2011 | 01.17Hver comentário denunciado
  • Ao comentador que assina "post scriptum" gostaria de perguntar em que é que baseia o seu argumento de que a educação de uma criança tem que ser por um homem e uma mulher. Acha que uma criança seria prejudicada por não crescer num lar com um homem e uma mulher porquê? Qual é o fundamento para a sua opinião? Ou a sua opinião não tem fundamento e é o resultado de preconceito infundado?
    Humberto Reis | 10.07.2011 | 23.57Hver comentário denunciado
  • Sr. Alberto Sousa, efectivamente a reprodução humana necessita de um macho e uma fêmea. Contudo, o seu argumento sugere que a homossexualidade representa algum tipo de perigo para a continuação da espécie humana o que não é, de todo, verdade. A existência de uma percentagem de indivíduos homossexuais na população não tem efeito detrimental para a continuação da espécie porque continuam a existir indivíduos heterossexuais. Além disso, como os biólogos reconhecem, a reprodução dentro de uma espécie é "diferencial", isto é, alguns indivíduos reproduzem-se mais do que outros. Na realidade, a população humana nunca foi tão elevada em altura nenhuma da história da nossa espécie e temos até problemas de sobrepopulação. O seu argumento é portanto, falso pois parte de uma premissa errada. Se o seu argumento fosse verdadeiro teriamos que limitar as relações humanas ao objectivo reprodutivo. Se o seu argumento fosse verdadeiro teriamos que assumir que uma relação entre duas pessoas tem o objectivo exclusivo de gerar descendência e isso não é verdade. Uma relação entre duas pessoas tem uma componente emocional que não pode ser desprezada. Se duas pessoas que se amam mas não podem gerar descendência não pudessem constituir família, então teriamos que negar esse mesmo direito a casais inférteis, casais de pessoas mais velhas que não podem ter filhos ou casais que simplesmente não querem ter filhos.
    Quando afirma que os homossexuais necessitam de cuidados psicológicos também está errado e talvez até não tenha lido no meu comentário anterior que a Ordem dos Médicos bem como a esmagadora maioria das entidades médicas mundiais reconhecem que homossexualidade é uma forma normal de sexualidade humana. A menos que me apresente credenciais nesse sentido, não reconheço a sua capacidade para emitir opinião em contrário.
    O senhor afirma que a homossexualidade é erro da natureza. Em que é que se baseia para fazer tal afirmação? Também apoia que a grande maioria dos animais (aves, mamíferos e répteis) que possuem comportamento diferente do heterossexual são erro da natureza? E esse erro consiste em quê? Qual é o efeito detrimental desse erro?
    Humberto Reis | 10.07.2011 | 23.49Hver comentário denunciado
  • Sr.Humberto Reis , eu não tenho ORGULHO por ser heterosexual(um S chega), e nem vou em debates e conversas de " quem têm razão ou não ".
    Para mim , qualquer um pode viver a sua sexualidade como bem o entender , de maneira a não ofender os critérios da maioria onde vive.
    Quem quer respeito , têm que respeitar os outros...e a liberdade de cada um , acaba onde começa a do outro.
    Não tenho preconceitos ,mas as teorias sobre animais, não são um bom argumento ( no meu visto)
    Mas em todo o caso ,que cada um faça a vida como bem entender....mas adoptar crianças NÃO ...isso é domínio da natureza....macho e femea
    post scriptum | 10.07.2011 | 23.36Hver comentário denunciado
  • Qualquer dia, os paneleiros também querem subsídios para a vaselina...
    Ah, pois é! | 10.07.2011 | 20.08Hver comentário denunciado
  • que nojo estar a levar no cu ou lenber uma cona porcos.
    triste | 10.07.2011 | 19.53Hver comentário denunciado
  • Sr. Humberto Reis, grato pela sua resposta, ao meu comentário. Gostaria de lhe dizer que tem total razão, mas não posso, na medida que o Sr. omitiu algo importante, que faz com que a espécie continue. A procriação. Só se consegue NATURALMENTE com a união de macho e femea. Somente os caracois, e outros invertebrados, não necessitam por serem hermafroditas, e talvez algumas espécies de plantas. Sem tal facto, a procriação, nenhum de nós existiria. Nem sequer estou a levar o assunto para crença religiosa. A menos que me consiga provar que a homossexualidade provem de alguma mutação que tivesse dado origem, a um terceiro sexo. Deve-se pois tal facto, a grave erro, da natureza, que sabemos não ser perfeita, e que por isso gera, seres com essas caracteristicas, e anseios mentais. São pois essas criaturas dignas de pena, e de necessitarem de cuidados médicos a nivel psiquiatrico. Será tambem doença motivada por, motivos psicológicos, de pessoas que embora, heterossexuais, optaram por ter parceiros do mesmo sexo, por razões, que só eles sabem. O que tambem é de lastimar, mas que não justifica, nem abona a prática. Verdade que a nível de progresso tecnológico, muita coisa fazemos, que não provem directamente da natureza, embora seja ela que nos tenha proporcionada a mente com que as inventamos, porem não se pode dizer que sejam naturais, mas fruto da evolução tecnológica
    Alberto Sousa | 10.07.2011 | 18.56Hver comentário denunciado
  • Sr. Humberto Reis | 10.07.2011 | 13.08H e 10.07.2011 | 02.26H,
    A sua forma de pensar está errada a vários níveis, e o senhor não se apercebe desse facto. Permita-me que lhe explique de forma faseada:
    1.º) O próprio concorda que o comportamento homossexua/lésbico NÃO É NATURAL (ver 1.º parágrafo do comentário das 13.08H), mas no entanto, afirma que não é errado ("fazer algo que não é natural está errado, mas nem sempre é assim"). Ora, deveria procurar ter maior consistência intelectual e moral, não escolhendo uma posição fragilizada, logo ao início, pois não fica bem entrar em contradições consigo próprio;
    2.º) Afirma de forma vaga que "existem dezenas de espécies de mamíferos, aves e répteis que manifestam comportamento homossexual" (ver 2.º parágrafo do comentário das 13.08H), mas no entanto, não os identifica. Desgraçados dos animais, é o que dá não poderem falar.... Tais afirmações são caluniosas e injuriosas para todos os animais, que apesar de serem animais também direito ao bom nome e reputação. Se @s homossexuais/lésbicas têm comportamentos doentios, e além disso, se justifiquem fazendo comparações com os animais, isso é um problema vosso. Agora que queira a seu belprazer fazer acreditar a alguém, através destes pauperizantes exemplos, que se trata de um comportamento natural na espécie humana, não posso estar de acordo. Caso ainda não tenham reparado, o ser humano evoluiu muito ao longo de milhões de anos, e já está muito distanciado dos animais;
    3.º) Quanto à questão d@ homossexualidade/lesbianismo ser ou não uma "tara", devo fazê-lo recordar que até à poucos anos, a OMS classificava esses comportamentos como doenças mentais, e actualmente, não existe uma unanimidade dos psiquiatras ocidentais, sobre essa questão. Mesmo os periódicos científicos dessa área, chegam a afirmar que esses comportamentos podem ter cura;
    4.º) Questiona se "alguém ainda lhe conseguirá explicar que motivo (para além do preconceito ignorante) haverá para ser contra a homossexualidade?" (comentário das 02.26H). Pois bem, a explicação é simples, e espero que a consiga compreender. @ homossexualidade/lesbianismo interfere com a vida pessoal da população de todo o Mundo, porque quando se querem casar, ter filhos e adoptar, estão a roubar a identidade e a cultura de todas as pessoas heterossexuais, e qualquer pessoa que se sente roubada nunca está satisfeita com essa situação. Estas estruturas culturais foram criadas pel@s heterossexuais, e para @s mesm@s.
    Além disso, qualquer pessoa está no seu pleno direito de não querer ser comparado com um homossexual ou uma lésbica, quer você goste ou não. Até lhe digo mais, é perfeitamente normal uma pessoa heterossexual sentir nojo e vómitos dessa opção de vida, e sentir repulsa de uma pessoa que afirma, que pelo facto da população mundial não partilhar da SUA opinião, essa mesma população mundial tem um "preconceito ignorante" (comentário das 02.26H). Isto só denota que estamos perante potenciais ditadores, que não respeitam a opinião do Mundo, e que são ameaçadores para a sua civilização.
    Afinal, o próprio Hitler era homossexual, não era mesmo?
    Roberto | 10.07.2011 | 18.38Hver comentário denunciado
  • Sr. Humberto Reis, grato pela sua resposta, ao meu comentário. Gostaria de lhe dizer que tem total razão, mas não posso, na medida que o Sr. omitiu algo importante, que faz com que a espécie continue. A procriação. Só se consegue NATURALMENTE com a união de macho e femea. Somente os caracois, e outros invertebrados, não necessitam por serem hermafroditas, e talvez algumas espécies de plantas. Sem tal facto, a procriação, nenhum de nós existiria. Nem sequer estou a levar o assunto para crença religiosa. A menos que me consiga provar que a homossexualidade provem de alguma mutação que tivesse dado origem, a um terceiro sexo. Deve-se pois tal facto, a grave erro, da natureza, que sabemos não ser perfeita, e que por isso gera, seres com essas caracteristicas, e anseios mentais. São pois essas criaturas dignas de pena, e de necessitarem de cuidados médicos a nivel psiquiatrico. Será tambem doença motivada por, motivos psicológicos, de pessoas que embora, heterossexuais, optaram por ter parceiros do mesmo sexo, por razões, que só eles sabem. O que tambem é de lastimar, mas que não justifica, nem abona a prática. Verdade que a nível de progresso tecnológico, muita coisa fazemos, que não provem directamente da natureza, embora seja ela que nos tenha proporcionada a mente com que as inventamos, porem não se pode dizer que sejam naturais, mas fruto da evolução tecnológica.
    Alberto Sousa | 10.07.2011 | 18.34Hver comentário denunciado
  • O que interessa o que deus quer? Deus não é para aqui chamado. Parem de misturar as coisas
    F | 10.07.2011 | 18.28Hver comentário denunciado
  • Ainda não perceberam Deus? As formigas serão gays?
    o|o | 10.07.2011 | 15.07Hver comentário denunciado
  • " O mundo jaz no maligno ". Quando estes se apresentarem no tribunal de Cristo, Ele vai dizer -lhes estas palavras " Apartai-vos de mim malditos que eu não vos conheço."
    anónimo | 10.07.2011 | 13.43Hver comentário denunciado
  • Deus juntou o homem e a mulher para constituir família.
    anónimo | 10.07.2011 | 13.40Hver comentário denunciado
  • " Quanto aos mentirosos, aos devassos, aos feiticeiros ,aos idólatras, aos efeminados, não podem entrar no reino de Deus
    anónimo | 10.07.2011 | 13.38Hver comentário denunciado
  • Que mundo tão promíscuo em que vivemos ?
    anónimo | 10.07.2011 | 13.36Hver comentário denunciado
  • Sr. Alberto Sousa, a sua forma de pensar está errada a vários níveis e o senhor não se apercebe desse facto. Permita-me que explique. Por um lado, o senhor parte do pressuposto que fazer algo que não é natural está errado, mas nem sempre é assim. Se só fosse correcto fazer o que é natural então não nos deslocariamos de carro ou avião pois estas máquinas são tudo menos naturais. Não cobriríamos o nosso corpo com roupa pois não foi assim que viemos ao mundo nem nehum outro animal o faz. Não nos alimentariamos com alimentos pré-confeccionados, enlatados e preservados com substâncias químicas artificiais. Não nos tratariamos com medicamentos químicos e teriamos uma esperança média de vida muito mais natural, 40 anos, e não 70 que é uma idade muito pouco natural e nunca tinha sido atingida na história da espécie humana até há apenas algumas décadas. Nada disso é natural mas eu aposto que o senhor já fez tudo isso e muitas outras coisas não naturais. Nem tudo o que não é natural está necessariamente errado.
    Por outro lado, o senhor está errado quando pensa que a homossexualidade não é natural. A sexualidade humana tem uma componente biológica. Existem factores biológicos que contribuem para determinar a sexualidade. Ninguém escolhe a sua sexualidade. O senhor escolheu a sua? É claro que não escolheu, o senhor nasceu com a sua sexualidade. É a natureza que determina a sexualidade de cada pessoa, não é uma opção voluntária. A sexualidade de cada um é tão natural como nascer com olhos castanhos ou cabelo ruivo. E se pensa que a homossexualidade é algo exclusivo da espécie humana, está enganado outra vez. Existem dezenas de espécies de mamíferos, aves e répteis que manifestam comportamento homossexual. Afinal se tantos animais possuem comportamento homossexual vai continuar a achar que a própria natureza não é natural?
    Relativamente ao facto do senhor apelidar a homossexualidade de "tara" sinto que devo informá-lo que está novamente errado. A esmagadora maioria das entidades médicas mundiais, incluindo a nosso Colégio de Psiquiatria da Ordem dos Médicos, é unânime em afirmar que homossexualidade não é doença, nem distúrbio, nem perturbação mas sim uma das muitas formas naturais de sexualidade humana.
    Humberto Reis | 10.07.2011 | 13.08Hver comentário denunciado
  • Sr. Humberto Reis, com o devido respeito pelo seu comentário , achar a homossexualidade, uma coisa natural, é o mesmo que pensar que as outras pessoas que estão do outro lado do mundo, estão de cabeça virada para baixo.
    Existe macho e femea por alguma estranha razão? Fora disso é apenas, " TARAS", Embora possa o Sr.º dizer, que quem leva no que é seu, é porque gosta. E ai dou-lhe razão, cada qual é livre de atentar contra a natureza. Não tenham é " ORGULHO" nisso, pois não teem de que se orgulhar.
    Alberto Sousa | 10.07.2011 | 05.08Hver comentário denunciado
  • E o curioso, é que estes tipos invertidos, estão convencidos que estão muito distraidos. Cambada de dementes, vão-se curar.!!!!!!!!!!!!
    Alberto Sousa | 10.07.2011 | 04.57Hver comentário denunciado
  • Por várias vezes pedi que me explicassem por que motivo alguém poderia ser contra a homossexualidade, o casamento de pessoas do mesmo sexo ou a adopção por casais do mesmo sexo. Invariavelmente ou não me sabem responder ou obtenho respostas a deslizar para o vernáculo. Será que alguém ainda me conseguirá explicar que motivo (para além do preconceito ignorante) haverá para ser contra a homossexualidade?
    Humberto Reis | 10.07.2011 | 02.26Hver comentário denunciado
  • Promover aigualdade?? Ou promover os maricas e fufas?
    Tudo muda: eu sou do tempo em que era bonito fumar e feio levar no pacote!!! Agora é o contrário... Chamen o Sócas, o vosso patrono...
    Antunes Almeida | 09.07.2011 | 23.53Hver comentário denunciado
  • Esta fauna deveria acampar numa ilha bem no centro do Pacífico onde se podiam canabalizar à vontade!
    Jesus Cristo laico | 09.07.2011 | 23.35Hver comentário denunciado
  • Mas estes Homossexuais e Lésbicas e outros abstractivos, não poderão dar-se sem RECLAMES... Ou pré postagens...? Ora phodam-se...seus pedantes vaidosos e sem personalidade... Tenho pé da porta vizinha que também é rabeta...mas não o vê a cantar essa alternativa...?
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
    Autarquias; um câncer na gestão da coisa pública de Portugal... Muitos ou quase todos... Vejam, indaguem do que faziam antes...e depois falaremos...?
    Eunuco | 09.07.2011 | 23.09Hver comentário denunciado
  • E ESTES E AS COTAÇOES DA MODYS , É SO LIXO !
    TRUCAS PARA A SIBERIA | 09.07.2011 | 21.46Hver comentário denunciado
  • Defendam também o corrupto Pinto da Costa.
    FC Porto --> Junk
    Luis | 09.07.2011 | 16.42Hver comentário denunciado
  • Mais amigos das empresas de rating...
    OS AVANÇADOS MENTAIS | 09.07.2011 | 16.20Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE