PUBLICIDADE
Alemanha

Controladores aéreos desmarcam greve

03 | 08 | 2011   20.56H

O sindicato dos controladores aéreos alemães desmarcou a greve de seis horas convocada para a manhã de quinta-feira, “para não prejudicar os passageiros”, disse hoje um porta-voz dos representantes dos trabalhadores, em Frankfurt.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

O sindicato resolveu assim não esperar pela decisão do Tribunal Regional do Trabalho de Hessen sobre o recurso que apresentou contra a providência cautelar da instância inferior, o Tribunal do Trabalho de Frankfurt, que proibiu a greve ao fim da tarde de hoje.

A providência cautelar tinha sido apresentada pela entidade patronal, a Agência Alemã de Segurança Aeronáutica (DFS), que considerou ilegal uma das exigências do sindicato, que queria vedar o acesso a cargos de chefia de controladores em início de carreira.

A primeira instância jurídica deu razão à DFS, mas o sindicato recorreu da decisão.

O Tribunal Regional do Trabalho de Hessen preparava-se para deliberar ainda esta noite, mas a audiência foi entretanto anulada, depois de a greve ter sido desmarcada pelo sindicato.

Os 5.500 controladores aéreos alemães exigem também aumentos salariais de 6,5 por cento, para um período de 12 meses.

A DFS, por sua vez, apresentou uma contra-proposta de aumentos de 5,2 por cento, em duas etapas, nos próximos dois anos e meio.

Os representantes dos trabalhadores rejeitaram a nova proposta, alegando que esta representaria apenas um aumento salarial médio de 2,1 por cento, o que nem sequer cobriria a taxa de inflação.

O sindicato convocou a greve à escala nacional, o que, a efectivar-se, poderia obrigar à anulação de 2.500 voos domésticos e internacionais, em pleno período de férias, altura em que o tráfego é ainda mais intenso.

Nesta época, o número de passageiros nos aeroportos alemães eleva-se a cerca de 600 mil por dia, segundo a DFS.

Os salários brutos anuais dos controladores de tráfego aéreo alemães oscilam entre os 70 mil e os 130 mil euros, acrescidos de suplementos por serviço noturno ou em dias feriados, e têm direito à pensão de reforma por inteiro aos 55 anos, segundo dados da DFS.

O sindicato garantiu, no entanto, que as suas principais reivindicações não estão centradas nos aumentos salariais, mas na futura organização da DFS, na sobrecarga de trabalho dos controladores e na escassez de pessoal.

Saiba mais sobre:

1 comentário

  • “para não prejudicar os passageiros” Ora aí está uma coisa que cá em Portugal não merece a atenção das tais de centrais sindicais e congéneres, pois quando há, por exemplo, greve na CP, os únicos prejudicados são os utentes QUE PAGARAM O PASSE E NÃO SE PODEM SERVIR DO SERVIÇO QUE FOI PAGO !!!
    tekapa23 | 04.08.2011 | 12.21Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE