Lisboa

António Costa defende fusão da EPUL, Gebalis e SRU Ocidental

20 | 09 | 2011   15.55H

O presidente da Câmara de Lisboa defendeu hoje que seria vantajosa a fusão numa só das empresas municipais EPUL, Gebalis e da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU) Ocidental.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

"Tendo em conta a limitação do objeto social da EPUL e da Gebalis (que gere os bairros municipais), a necessidade de alargar o âmbito de ação da SRU e as sinergias possíveis entre todas estas empresas, é vantajosa a fusão numa só empresa da EPUL, da Gebalis e da SRU Ocidental", afirmou António Costa, na comunicação que fez à Assembleia Municipal.

Assim, o universo das empresas municipais ficaria reduzido a três: uma dedicada à área do urbanismo, reabilitação e gestão patrimonial, outra na área da mobilidade (EMEL) e outra na gestão dos equipamentos culturais (EGEAC).

"A EPUL deve ter o seu papel limitado à sua função original de urbanização. Uma vez concluídos, os empreendimentos já em contrução, a EPUL deve encerrar definktivamente a função de promoção, que pode e deve ser exercida pelos setores privado, social e cooperativo", defendeu o autarca.

António Costa realçou que estratégia idêntica deverá ser seguida pela Gebalis.

"É útil e necessária a gestão empresarial dos contratos de arrendamento. Mas já não se justifica a sua acção socio-cultural e de gestão dos bairros, que deve ser exercida pelos competentes serviços do município.

Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE