Facebook em guerra aberta contra o Google +

Saiba o que vai mudar no Facebook

22 | 09 | 2011   17.55H

A nova rede social da Google, o Google +, já está aberta a todos os utilizadores, ou seja, já não é necessário “convite” para poder aceder à mais recente rede social do mundo. Quem ainda não aderiu ao Google+, preferindo o Facebook, sentiu na mesma o peso da nova rede social.

Maria João Serra | destak@destak.pt

E a mais recente rede social veio para ficar. Em apenas duas semanas, o Google + alcançou os dez milhões de utilizadores, embora, para já, fique ainda muito aquém do Facebook, a maior rede social do mundo, actualmente com 800 milhões de utilizadores.

No entanto, o próprio Facebook já reconheceu a concorrência, e tenta combater o crescimento do Google + a todo o custo, e mais do que isso, impedir, a transferência de utilizadores.

Nos últimos dias, o Facebook tem realizado algumas mudanças, que ainda não ficam por aqui. A maior rede social do mundo vai continuar a mudar, aproximando as suas funcionalidades com as do Google +. Listas e círculos de amigos (que podem ficar agrupados por local de trabalho, cidade onde vivem ou escola que frequentaram) são as funcionalidades às quais o Facebook mais tem tentado moldar-se.

As mudanças introduzidas no Facebook desagradam, no entanto, à maioria dos utilizadores, nomeadamente, pelo facto de o Facebook introduzir novidades quase diariamente. Quem o utiliza acaba por “perder-se” com o elevado número de alterações constantes. Um simples pedido de amizade, transformou-se quase num inquérito, obrigando os usuários a agrupar os amigos e a responder a perguntas sobre eles. As reclamações crescem de dia para dia, e há mesmo quem já lhe chame o ‘Facebook +’.

O que vem aí?

O perfil dos utilizadores será será mais visual e terá menos informação escrita. Os utilizadores podem contar a história da sua vida através de fotografias, da geolocalização e do “taggeamento” de outros utilizadores.
As inovações foram anunciadas hoje por Mark Zuckerberg, criador do Facebook.

Timeline, como o nome indica ("barra cronológica", em português), é o nome da funcionalidade, que vem permitir contar toda a história do utilziador e mostra todas as suas aplicações. De acordo com Zuckerberg, o primeiro perfil do Facebook mostrava o que as pessoas normalmente dão a conhecer nos primeiros cinco minutos de conversa: quem é, onde estudou, se tem uma relação com alguém, quem é seu amigo, etc.

Depois, com o mural, sabe-se em que trabalhamos recentemente. Actualmente, com a nova Timeline, todas as informações vão ficar disponíveis, por ordem cronológica e através de fotografias. A Timeline seria então o que uma pessoa descobre sobre outra depois de uma conversa mais alargada: é a vida de alguém “editada pelo próprio”, segundo Zuckerberg. O desenvolvimento desta nova ferramenta demorou um ano a ser concretizado, adiantou.

A TimeLine vai incluir coisas tão específicas como que refeições cozinhou, onde costuma passear, etc. Além disso haverá também uma foto grande no topo do mural de cada utilizador que deverá “expressar e definir a pessoa”, diz Zuckerberg.

A partir de agora não vai também ser possível continuar a ver as actualizações dos amigos. O que o amigo X ou Y fez vai aparecer no lado direito do ecrã,e todas as actualizações ficam aí agrupadas.

O Facebook vai também lançar uma ferramenta que permite aos usuários ouvir música e ver filmes, e assistir a vídeos em simultâneo com os amigos.

Saiba mais sobre:
Foto: DR
Saiba o que vai mudar no Facebook | © DR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE