Lisboa

Câmara abre candidaturas para talhões de hortas urbanas

04 | 10 | 2011   18.17H

A Câmara de Lisboa abre na quinta-feira as candidatura para atribuição de cerca de 40 hortas urbanas na Quinta da Granja e nos Jardins de Campolide, com preços entre os 55 e os 100 euros anuais.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

De acordo com uma nota enviada à agência Lusa pelo gabinete do vereador do Ambiente Urbano, José Sá Fernandes, estão a concurso cerca de 15 novos talhões no novo Parque Hortícola da Quinta da Granja (Benfica), com cerca de 150 metros quadrados cada.

Neste parque, os restantes 23 talhões - do total de 38 que foram recuperados pela câmara - "foram já atribuídos aos hortelões que ali exerciam a sua atividade há vários anos", disse o gabinete.

"Estes talhões destinam-se em exclusivo a hortas sociais e terão um custo anual de cerca de 55 euros, de acordo com a recente alteração aprovada em reunião de Câmara que estabelece descontos de 80% para a ocupação de terrenos para fins rurais, de Hortas Sociais em Parques Hortícolas Municipais. Os hortelões terão ainda acesso a água para rega e uma casa de arrumos", explica a autarquia.

Já no Parque Hortícola dos Jardins de Campolide (Campolide) estão disponíveis 22 talhões para hortas de recreio com áreas entre os 80 e os 100 metros quadrados.

A câmara explica que este valor surge com "a alteração aprovada pelo executivo municipal que estabelece descontos de 20 por cento para a ocupação de terrenos para fins rurais, de hortas de recreio em parques hortícolas municipais".

A estes preços acresce ainda o pagamento de uma comparticipação pelos custos suportados pela câmara com "o funcionamento e manutenção das partes comuns dos parques".

A criação destes parques hortícolas - conjunto de hortas urbanas integradas numa unidade homogénea e delimitada - "é uma aposta do executivo" e procura "dar resposta às necessidades de regularização de situações de cultivo já existentes, mas em condições precárias e desordenadas, mas também como forma de incentivar a agricultura urbana".

As hortas da Quinta da Granja nascem da "reconversão de áreas de ocupação agrícola já existentes", como aconteceu com o Vale de Chelas (ainda em obra), já as dos Jardins de Campolide foram criadas de raiz, tal como o novo parque hortícola de Telheiras (que ainda está em projeto).

As candidaturas devem ser feitas até dia 20, através da entrega em papel de ficha de candidatura, fotocópia do Bilhete de Identidade e Cartão de Contribuinte ou Cartão de Cidadão e de documento comprovativo da residência.

Saiba mais sobre:
Foto: 123RF
Câmara abre candidaturas para talhões de hortas urbanas | © 123RF

4 comentários

  • Está provado k as hortas nestes locais, produzem nas horticolas, excessos de metais pesados, de bactérias e venenos, causados pela poluição das cidades, nomeadamente dos automoveis!!! Portanto, isto só vai adiantar a morte aos cidadãos k as consumirem o k por sua vez vais reduzir a vida dos utentes e as reformas por velhice!! Oh Costa!...Esta dos talhões, só leva a mais corrupções!!! Cabecinha pensadoraaa!!!..... E O POVO PÁ!!!
    Jorge Towers Lx | 06.10.2011 | 12.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • A CRISE NÃO EXISTE SÓ DE AGORA o engraçado é que estas coisas só surgem quando se vê a poulação ocupar e recorrer a esses fins para subsistencia e aí já se lembram que até pode trazer alguns fundos lucrativos para as camaras.tudo isto já podia existir há muito tempo em beneficio de todos
    helena | 05.10.2011 | 14.58Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Ora aí está . . . ! As "malguinhas" . . . ! No seu "esplendor" . . . ! ! !
    alexandre barreira | 05.10.2011 | 07.27Hver comentário denunciado
  • As Aurfassias de Instufa num aterom bichinhos universsales...?
    DGB | 04.10.2011 | 21.10Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE