PUBLICIDADE
Madeira

Governo Regional vai divulgar estudo que diz que dívida de Portugal é de 332,8 mil milhões

05 | 10 | 2011   20.26H

A dívida pública de Portugal ascende a 332,8 mil milhões de euros, o que corresponde a 203,1 por cento do seu PIB, segundo um estudo do Governo Regional da Madeira que será divulgado na quinta-feira.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

O deputado do PSD em S. Bento, Guilherme Silva, revelou à agência Lusa que esse documento, será tornado público no debate que está agendado para quinta-feira na Assembleia da República a propósito da dívida da Madeira.

Acrescentou que se trata de um estudo desenvolvido pelo Governo Regional para avaliar o peso da dívida pública do arquipélago nas responsabilidades financeiras de Portugal que concluiu que estas representam 1,8 por cento da dívida pública de Portugal.

"O estudo foi feito para comparar os números que tinham sido apresentados pelo ministro das Finanças e verifica-se que as proporções que se referenciam, relativamente a esta região, são muitíssimo mais surpreendentes e abismais, quando se faz o mesmo tipo de rácio relativamente ao Estado", declarou.

Com 267.938 habitantes, a Madeira representa 2,5% da população residente de Portugal, embora o seu Produto Interno Bruto (PIB) (5.100 milhões de euros) represente 3 por cento de toda a riqueza gerada no país.

De acordo com este documento, a que a Lusa teve acesso, a dívida direta de Portugal é de 159,5 mil milhões de euros (97,5 por cento do PIB), o sector empresarial do Estado tem responsabilidades financeiras que ascendem a 165,8 mil milhões de euros e as autarquias locais têm uma dívida de 7,4 mil milhões, um valor que é relativo ao final de 2010 e que não inclui os passivos das empresas municipais.

Com base neste estudo, a dívida per capita do Estado/autarquias do Continente representa 33.159 euros, correspondendo a 897 por cento das suas receitas efetivas e 1.031 por cento da receita fiscal.

O total das responsabilidades financeiras da Madeira apontadas pelo levantamento feito pelo Ministério das Finanças é de 6,3 mil milhões de euros, o que representa 123,5 por cento do seu PIB.

Quanto à dívida direta (3 mil milhões de euros) representa 60,2 por cento do PIB, enquanto a dívida per capita dos madeirenses é de 23.512 euros, representando 596 por cento das suas receitas efetivas e 922 por cento das receitas fiscais.

Este estudo considera duas variáveis, com e sem a inclusão dos 106,7 mil milhões de euros da dívida financeira da Caixa Geral de Depósitos.

De acordo com os dados, "se não for considerada esta dívida, que integra, contudo, o sector empresarial do Estado, as responsabilidades financeiras de Portugal ascendem a 226,1 mil milhões de euros, o que representa 138 por cento do PIB, 609 por cento das receitas efetivas e 700 por cento das receitas fiscais".

"Neste último caso a dívida da Madeira seria de 2,7 por cento de todas as responsabilidades financeiras de Portugal", conclui o documento.

Para Guilherme Silva, estes dados significam que "o Estado não tem grande moral para fazer uma crítica ou isolar a situação da Madeira, como uma situação singular".

Questionado sobre se este levantamento tinha já sido feito pelo Estado português, Guilherme Silva respondeu que se "está a assistir a uma situação inédita".

"Só há contas transparentes e com rigor e apuradas, relativamente à Região Autónoma da Madeira, relativamente ao que seja as dívidas das autarquias do Continente, no seu global e das empresas municipais, das dívidas do sector empresarial do Estado, tudo isso está numa nebulosa que ainda não sabemos", disse.

Garantiu ainda que "este documento toma por base documentos minimamente fidedignos das instâncias oficiais, designadamente dos dados estatísticos e de outras instâncias como o Tribunal de Contas e o Banco de Portugal e permite, pelo menos, numa aproximação minimamente rigorosa, ter essa conclusão".

12 comentários

  • O que é que que isto é ? O cúmulo da bandalheira. Se fosse com outro país o Jardim era deportado.
    Pedro | 07.10.2011 | 03.29Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Jardim devia deixar as Ilhas e vir para o continente. Destes homens com classe, cultura politica e bons administradores é que nós queremos. JARDIM AO PODER NO CONTINENTE. VIVA JARDIM
    Kekrize | 07.10.2011 | 03.20Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Mas isto é uma regra de 3 simples? Está tudo "tonto" ...
    anónimo | 06.10.2011 | 12.36Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Todos temos a noção de k tudo vai mal mas, assumir a INSURREIÇÃO por o dialogo já nada valer, somos muito poucos!! Enquanto andarmos para aqui aos empurrões uns aos outros, os politicos e os oportunistas, ñ perdem a oportunidade de nos explorar e de nos fazer dependentes da corja k nos (des)governa e se instalou como parasita na Sociedade!!! Portanto, falar e nada fazer é como as promessas k eles nos fazem e ñ cumprem!!! Afinal todos contribuimos para a desgraça em k nos encontramos e por isso, só temos o k merecemos por nada fazermos!!! É a democraCIA k temos!!!... E O POVO PÁ!!!
    Jorge Towers Lx | 06.10.2011 | 12.20Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Vi os comentários embaixo e deixo aqui o meu. .Nos ainda não "acordámos" ....agora é o Alberto João, depois o Isaltino e nós, portugueses, continuamos a "embarcar" nestas distrações "criadas" para não "vermos" a realidade de Portugal que se "afunda" mais e mais...Então 15 ministros não sabem quanto foi entregue à Madeira. quanto foi "perdoado" e por quem!!!!??? POR FAVOR PORTUGUESES ACORDEM
    AJS | 06.10.2011 | 10.04Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Mais um Pinto da Costa!...
    Vergnha | 06.10.2011 | 09.28Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O que acontece na Madeira é, simplesmente, de bradar aos céus. Como é possível que um homem como o dr. Alberto João, que é ditador, mau, vingativo, etc., consegue manter-se durante trinta e três anos à frente de um governo, mesmo que regional, sempre com maiorias absolutas, inserido num país democrático? Não acham que existe aqui algo de estranho, no mínimo? A meu ver, isto só pode ter acontecido porque uns o apoioam ferneticamente, pois dá-lhes votos que podem contabilizar a nível nacional, outros têm sido sido quase indiferentes, porque já desistiram de lutar contra algo que lhes parece impossível alterar e, finalmente, outros, porque vivem às custas do seu governo, às nossas custas, e convém-lhes que esta situação se mantenha eternamente. Como ainda não vi, ainda ninguém viu, alterações significativas neste tabuleiro de xadrez, onde as pedras colocadas há trinta e três anos parecem continuar imóveis, sem vontade de se mexerem para fora do centro onde sempre têm gravitado, presumo que, a única alteração a verificar-se nas próximas eleições de 9 de Outubro, possa ser a decisão governamental de Lisboa de impôr mais sacrifícios aos portugueses para se poder pagar, mais uma vez, a dívida da Madeira. É a vida!!!
    o justiceiro | 06.10.2011 | 08.23Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Está visto . . . ! As "malguinhas" . . . ! Afinal adoram . . . ! Os "bailinhos" . . . ! ! !
    alexandre barreira | 06.10.2011 | 07.05Hver comentário denunciado
  • Sim até lhes podemos dar a independencia mas primeiro o BOI paga o que deve, ou o que roubou para ser mais especifico.
    anticristo | 05.10.2011 | 23.19Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Conclusão que se pode tirar de tudo isto, é que Alberto João Jardim se tenha e seus amigos a andar a encher à custa o ZÈ PATEGO, pelo menos tem feito alguma coisa lá pelo ZÉ POVINHO da Madeira, enquanto estes LADRÕES aqui no continente, ao longo destes mais de 30 anos a nos (des) governar, o mais que têm feito é ROUBAR , ROUBAR, ROUBAR e nada têm feito pelo POVO, pelo contrário, só nos têm complicado a vida. Agora , só nos resta que apareça alguém, que prenda estes BANDOS de SALTEADORES, que lhes pergunte onde meteram o nosso dinheiro e através das instituições internacionais, fazerem com que esse dinheiro regresse ao país, ao ESTADO e que todos os bens adquiridos por estes POLITUICOS LADRÕES, seja expropriados a favor da NAÇÃO. ALBERTO JOÃO JARDIM, é um vigarista, mas mesmo assim, não CHEGA PARA ESTES FILHOS DA PUTA AQUI NO CONTINENTE.
    salteadores | 05.10.2011 | 22.57Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Estudo por encomenda, este gajo e mesmo um palhaço, limpem o sebo a este porco.
    Vai-te phoder Adalberto J J | 05.10.2011 | 22.49Hver comentário denunciado
  • Esta conversa da treta já cheira a podre... Dêm a INDEPENDÊNCIA a esses gajos e eles que se governem...
    Vão-sePhoder | 05.10.2011 | 22.46Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE