PUBLICIDADE
Egipto

Ex-jornalista da Reuters queixa-se de violação por polícias fardados

24 | 11 | 2011   21.02H

Uma colunista norte-americana, de ascendência egípcia, e ex-jornalista da agência Reuters, disse que foi hoje agredida sexualmente por polícias uniformizados, depois de ter sido detida perto da Praça Tahrir, no Cairo, noticia a AP.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

Mona Eltahawy, de 44 anos, vive em Nova Iorque e é uma conhecida defensora dos direitos da mulher, uma divulgadora do papel dos ‘media’ sociais no mundo árabe e uma antiga jornalista da Reuters.

Conhecida pelas suas críticas ao anterior regime egípcio, Eltahawy descreve-se como uma muçulmana liberal, que tem criticado publicamente, nos Estados Unidos e em outros países, grupos islamitas violentos, em particular no seguimento dos atentados de 11 de Setembro de 2001.

A colunista chegou ao Egito na noite de quarta-feira e foi directamente para a Praça Tahrir, para as linhas da frente dos confrontos entre manifestantes e polícias nas proximidades do Ministério do Interior.

Neste local, foi detida nas primeiras horas de hoje, tendo sido libertada cerca de 12 horas depois.

No espaço de tempo entre a detenção e a libertação, queixa-se de ter sido vendada, agredida sexualmente e com bastões nos braços e na cabeça, tendo ficado com fraturas no braço esquerdo e na mão direita.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE