PUBLICIDADE
Rui Pedro

Advogados dos pais rejeitam pressões sobre testemunhas

07 | 12 | 2011   20.08H

Um dos advogados da família da criança desaparecida de Lousada há 13 anos negou hoje qualquer tipo de pressão sobre as testemunhas.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

"Não aceito, de forma alguma, que se esteja a pressionar quem quer que seja", afirmou Miguel Mendes, no final da sétima sessão de julgamento que hoje decorreu em Lousada.

O jurista comentava o facto de algumas testemunhas terem dito em julgamento coisas nem sempre coincidentes com declarações feitas em fase de inquérito ou invocarem esquecimento, não confirmando o conteúdo de inquirições em fases anteriores do processo.

Na terça-feira, comentando a mesma situação, Paulo Gomes, advogado do arguido, disse "não acreditar só em coincidências".

Hoje, Miguel Mendes, que acompanha Ricardo Sá Fernandes como representantes dos pais de Rui Pedro, disse que a acusação particular "não está com truques".

"Os assistentes não pretendem manipular quem quer que seja. Os assistentes estão de consciência tranquila", insistiu Miguel Mendes.

Comentando o desconforto de uma testemunha quando, em sua casa, foi confrontado pelo pai de Rui Pedro para contar o que tinha visto em Lustosa, nomeadamente uma criança na companhia de uma prostituta, o advogado disse que a testemunha "prestou o depoimento de forma livre e serena".

"É legítimo aos pais que fizessem todas as diligências que pudessem ajudar a esclarecer aquilo que aconteceu no 04 de março de 1998", observou Miguel Mendes.

Saiba mais sobre:
Foto: DR
Advogados dos pais rejeitam pressões sobre testemunhas | © DR

2 comentários

  • Devia sempre ser feita justiça, mas na verdade nos tribunais, ou seja o ministério público a investigar e os juizes a julgar não passam de justiceiros, isto porque são incompetentes ou corruptos, e não por falta de tempo para realizar investigações e julgamentos justos.
    Fernando | 08.12.2011 | 16.07Hver comentário denunciado
  • Haja paciência . . . ! Decorridos 13 anos . . . ! Agora os "artistas" . . . ! Cá do "burgo" judicial . . . ! Querem mostrar "serviço" . . . ! Às "malguinhas" . . . ! ! !
    alexandre barreira | 08.12.2011 | 15.44Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE