Sindicato dos Técnicos de Ambulância de Emergência

Sindicato recebe com agrado nova carreira de paramédico

08 | 07 | 2008   17.30H

Comentando a entrevista de Abílio Gomes à Antena 1, a direcção do STAE diz acreditar que o «futuro da emergência médica nacional» passa pela criação da figura de técnico de emergência médica/paramédico, acrescentando que esse caminho já foi adoptado nos Estados Unidos e Inglaterra e que em Espanha se está a regulamentar nesse sentido.

O STAE lembra que o suporte básico e avançado de vida, que pode ser prestado por esses profissionais, actualmente está limitado às Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER), que sendo um meio «imprescindível, não podem funcionar como um remedeio de uma rede de ambulâncias com uma resposta técnica e operacional extremamente limitada, como a que existe».

Sobre a possibilidade levantada por Abílio Gomes de três helicópteros de socorro serem desnecessários por serviços de urgência se manterem abertos, o STAE refere serem meios importantes para o interior do país, mas não prioritários, destacando, em seu lugar, a rede de ambulâncias.

Pedro Junceiro com Lusa | pjunceiro@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE