Segurança

Rui Pereira: «'Carjacking' diminuiu»

21 | 07 | 2008   17.37H

«Não quero aqui fazer algo que é fácil, mas que não seria completamente responsável, que é estabelecer uma relação directa de causa e efeito entre o início da actividade destas equipas e a diminuição dos números», afirmou Rui Pereira durante a apresentação pública, em Lisboa, das equipas de combate ao 'carjacking'.

Rui Pereira não deixou, no entanto, de realçar a «coincidência entre o início da actividade destas equipas e a diminuição dos números do roubo de automóveis».

O ministro disse também que as equipas «pretendem constituir um elemento adicional de prevenção e repressão do fenómeno do 'carjacking'», funcionando como um «reforço do dispositivo normal de segurança».

Rui Pereira destacou ainda que estas equipas têm valências de intervenção operacional e investigação criminal, grande mobilidade e a concentração de meios considerados «mais adequados para responder ao fenómeno».

As equipas

Para o combate ao "carjacking" a Guarda Nacional Republicana (GNR) criou Equipas de Intervenção Táctica (EIT) e Equipas de Análise (EA).

As EIT integram militares da Companhia de Operações Especiais com competências específicas em intervenção táctica policial, que actuam apoiados por elementos do Dispositivo, da Investigação Criminal e da Brigada de Trânsito.

As EA têm como objectivo a recolha de notícias e são compostas por militares da Estrutura de Investigação Criminal.

Com o mesmo objectivo a Polícia de Segurança Pública (PSP) criou as Equipas de Reacção Táctica Encoberta (ERTE), que integram elementos do Grupo de Operações Especiais (GOE), do Corpo de Segurança Pessoal (CSP) e elementos de investigação criminal. As equipas da PSP actuam «à civil» e em viaturas descaracterizadas.

Desde Maio que as equipas de combate ao fenómeno do carjacking estão em actividade nos distritos de Lisboa, Porto e Setúbal.

Números

O crime de 'carjacking' aumentou 55% nos primeiros seis meses deste ano face a igual período de 2007, mas há tendência de diminuição, segundo dados do Gabinete Coordenador de Segurança (GCS).

Os dados referem que entre Janeiro e Junho foram feitas 307 queixas de 'carjacking' (roubo violento de veículos na presença do condutor), enquanto nos primeiros seis meses do ano passado se registaram 198 casos.

De acordo com o GCS, 85% das queixas ocorreram nos distritos de Lisboa, Porto e Setúbal.

Luis Miguel Mota com Lusa | lmota@destak.pt
Foto: José Sena Goulão/Lusa
José Sena Goulão/Lusa | © José Sena Goulão/Lusa

3 comentários

  • Ó Snr. Rui: Cale-sa porque você não diz uma acertada...ou sai asneira, ou entra vareja...Como é que você pode afirmar que o carjacking diminui em tão curto espaço de tempo? Só se for para "engraxar" a G.N.R. ou a P.S.P. mesmo sem eles fazeram nada...incompetencia + burridade sabe o que dá? Vê como sabe!...
    Zezinho das meiguices | 22.07.2008 | 09.34H
  • Politicos do tetra, perdão da treta.
    Observador atento | 22.07.2008 | 01.31H
  • Diminuiu onde?
    AcfC | 21.07.2008 | 21.57H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE