Teste

Conduzimos o Mercedes SL350, uma prenda para poucos que ruge como um felino

13 | 12 | 2012   20.43H

Testámos um dos melhores roadsters dos últimos tempos, é fácil sonhar com o SL350, é difícil comprá-lo.

João Tomé | jtome@destak.pt

Os tempos podem ser de crise, mas os sonhos continuam bem vivos. E a verdade é que os automóveis de luxo ou mais desportivos continuam a crescer nas vendas mundiais, e muito. Estivemos ao volante de um verdadeiro e entusiasmante roadster, que deixa água na boca e desejos de um sapatinho de Natal milionário.

O Mercedes SL350 tem uma tradição impressionante e está mais desportivo do que nunca. A provar isso está não só o motor V6 de 3,5 l com intensos 306 cv, como também aquele rugir impressionante quando carregamos no acelerador – e só não é mais sonoro porque a insonorização até é boa – e a potência está logo ali, disponível e pronta para o guiarmos como um desportivo à séria!

Tivemos o azar de o testar em dias de chuva (por isso não usufruímos do formato descapotável “cabelos ao vento” do SL), mas assim até deu para “saborear” melhor a dinâmica, eficácia nas curvas e agilidade impressionantes do SL, com posto de condução e precisão da direcção perfeitas.

Como perdeu peso (o uso de alumínio e afins fez perder 70 kg em relação à anterior geração), agora já faz jus às siglas SL, Sport Leicht, que significa desportivo leve. O irónico é que tem preocupações ambientais, com um sistema start/stop nada incomodativo, um modo Eco que altera as relações das 7 velocidades – nós fizemos médias a rondar os 9,5 l/100km.

A Mercedes mostra que está no caminho certo, ao fazer o melhor roadster que já conduzimos, com um luxo e conforto interior notávais, mas com alma de desportivo à antiga. Com o pack AMG da versão que conduzimos, custa 130 mil euros.

Saiba mais sobre:
Foto: João Tomé
Conduzimos o Mercedes SL350, uma prenda para poucos que ruge como um felino | © João Tomé
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE