Entrevista

À conversa com Cansei de Ser Sexy sobre disco e concerto

07 | 10 | 2013   10.04H

As brasileiras Cansei de Ser Sexy atuam amanhã, às 21h, na sala TMN ao Vivo, em Lisboa, para apresentar o novo álbum "Planta". A primeira parte está assegurada pelas Anarchicks.

Filipa Estrela | festrela@destak.pt

O que vão mostrar amanhã?
Agora temos quatro discos e fazemos um set list baseado nisso. Tocamos músicas do disco novo, mas é mais ou menos um mix de tudo o que temos e do que gostamos de tocar ao vivo. É importante porque dá ao show mais energia.

É importante que vocês também gostem do que tocam?
O público está em primeiro lugar e até tocamos basicamente todos os singles, mas acredito que o nosso show é baseado na troca de energia com o público e é importante os dois estarem em sintonia, com boa energia a fluir.

O público português corresponde a essa energia?
Sempre! Gostamos muito de tocar em Portugal. Os concertos em Lisboa e Paredes de Coura foram incríveis.

O que gostam mais do País?
Estamos muito animadas para comer e beber um bom vinho. Quando há aquela parte em que temos de esperar, o melhor é poder comer comidas diferentes e a portuguesa é das nossas preferidas!

O que podemos encontrar neste vosso álbum "Planta"?
Este disco foi feito de uma forma muito agradável. Fomos morar as quatro juntas para Los Angeles, alugámos uma casa e fomos fazendo música. Depois encontramo-nos com David Sitek que foi quem nos produziu o disco. Queríamos que o disco tivesse uma energia muito boa. Tocar ao vivo para nós é bem importante e as músicas do disco novo estão bem legais para tocar ao vivo. Ás vezes é difícil tocar música nova mas a recetividade tem sido muito boa.

Como foi essa vivência em banda a criar em Los Angeles?
Fomos para Los Angeles em março do ano passado e a nossa ideia era ficar dois ou três meses. Não sabíamos o que ia acontecer, mas foi tão legal que acabámos por ficar oito meses. Foi muito relaxado, porque havia dias em que fazíamos churrasco com amigos e havia outros dias em que íamos cedinho para o estúdio e ficávamos lá o dia inteiro a criar, sem nenhum tipo de pressão. Foi bem democraticamente sentido.

Porquê "Planta"?
Não tínhamos nome até muito perto do lançamento! Colocámos este nome porque achámos que era um nome significativo porque no inicio do processo criativo não sabíamos o que era e depois foi crescendo, como quando se planta uma planta. Vai regando e cuidando e de repente aquilo toma uma forma própria. Foi esse o conceito que passámos para o disco.

Apesar de serem brasileiras é mais fácil criar em inglês?
Nós temos uma música em português neste disco e às vezes inserimos palavras. O português é uma língua muito difícil para fazer musica, é preciso ser muito bom. Fazemos rock e em inglês é mais fácil encaixar numa música e permite ser mais criativo, é um processo mais natural, até porque as nossas influências são em inglês.

Conhecem as Anarchicks?
Não conheço, mas estava vendo no site e estou bem animada para assistir . é muito legal não ter banda fixa de abertura porque assim em cada país há uma banda diferente local e é óptimo conhecer tantas bandas diferentes durante a digressão.

Saiba mais sobre:
Foto: DR
À conversa com Cansei de Ser Sexy sobre disco e concerto | © DR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE