PUBLICIDADE
Crime

Tribunal negou liberdade provisória a mandante do massacre do "Meia Culpa"

22 | 01 | 2014   12.04H

O Tribunal de Execução de Penas (TEP) do Porto rejeitou a liberdade provisória a José Queirós, mandante do massacre do Meia Culpa, em Amarante, apesar de já ter cumprido dois terços da pena de 25 anos.

De acordo com despacho proferido na segunda-feira, ao qual a Lusa teve hoje acesso, "a natureza e quantidade dos crimes em presença tornam acrescidas as necessidades de prevenção especial que operam no caso em análise, as quais desaconselham a aplicação, nesta fase do cumprimento da pena, do regime de liberdade condicional".

Por se terem cumprido, em dezembro, os dois terços da pena, a defesa de José Queirós requereu que fosse concedida a liberdade provisória, mas o TEP entende que "o condenado é possuidor de uma personalidade imprevisível que não permite ao tribunal concluir com segurança que, uma vez em liberdade, não voltará a cometer o mesmo tipo de atos criminosos".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:

1 comentário

  • que cumpra pena até ao fim
    fernando | 30.01.2014 | 19.58Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE