Documento

Sociedade Metro Mondego defende conclusão da obra e realça prejuízos da interrupção

02 | 03 | 2014   09.44H

A Metro Mondego (MM) defende a conclusão do projeto do metro, com financiamento da União Europeia, realçando os "evidentes prejuízos pessoais e económicos" causados pela interrupção, em 2009, do serviço ferroviário no Ramal da Lousã.

Estas e outras recomendações integram um documento - a que a agência Lusa teve acesso - que a MM enviou ao grupo de trabalho para as Infraestruturas de Alto Valor Acrescentado, criado pelo Governo, como contributo para uma avaliação que permita candidatar a obra aos fundos europeus no período 2014-2020.

Segundo o relatório final do grupo de trabalho, o metro do Mondego não está entre as 30 obras públicas selecionadas para melhorar a competitividade económica do país, mas figura, em 15.º lugar, na lista dos 30 projetos prioritários de natureza ferroviária.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE