PUBLICIDADE
Saúde

Recente estudo japonês sobre células estaminais continha partes "fraudulentas"

01 | 04 | 2014   05.49H

O Instituto Investigação Riken, do Japão, reconheceu hoje que o mais recente e revolucionário estudo sobre células estaminais liderado por uma investigadora do centro e publicado pela revista Nature continha partes "fraudulentas".

O estudo, publicado em janeiro em dois artigos, demonstrava um método muito simples para reprogramar células adultas (emergindo-as num ácido ou aplicando pressão nas suas membranas) e obter assim células-mãe com capacidade para se transformarem em qualquer tecido.

Apesar de a descoberta simplificar muito o processo para obtenção destas células - que constituem o futuro da medicina regenerativa - muitos investigadores começaram a denunciar, depois da publicação do artigo a utilização de imagens duplicadas para documentar artigos e a incapacidade de replicar os resultados do estudo.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE