PUBLICIDADE
Cardeal D. José Policarpo

«Pensem duas vezes em casar com um muçulmano»

14 | 01 | 2009   08.29H

Falando na tertúlia 125 minutos com Fátima Campos Ferreira, que decorreu no Casino da Figueira da Foz, D. José Policarpo deixou um conselho às jovens portuguesas quanto a eventuais relações amorosas com muçulmanos, afirmando: «Cautela com os amores. Pensem duas vezes em casar com um muçulmano, pensem muito seriamente, é meter-se num monte de sarilhos que nem Alá sabe onde é que acabam».

Questionado por Fátima Campos Ferreira se não estava a ser intolerante perante a questão do casamento das jovens com muçulmanos, D. José Policarpo disse que não.

«Se eu sei que uma jovem europeia de formação cristã, a primeira vez que vai para o país deles é sujeita ao regime das mulheres muçulmanas, imagine-se lá», ripostou D. José Policarpo à jornalista e anfitriã da tertúlia, manifestando conhecer «casos dramáticos» que, no entanto, não especificou.

Na sua intervenção, o Cardeal Patriarca de Lisboa considerou «muito difícil» o diálogo com os muçulmanos em Portugal, observando que o diálogo serve para a comunidade muçulmana demarcar os seus espaços num país maioritariamente católico.

«Só é possível dialogar com quem quer dialogar, por exemplo com os nossos irmãos muçulmanos o diálogo é muito difícil», disse D. José Policarpo durante a tertúlia.

Respondendo a uma pergunta da anfitriã sobre se o diálogo inter-religioso em Portugal tem estado bem acautelado, o Cardeal Patriarca sublinhou que, no caso da comunidade muçulmana, «estão-se a dar os primeiros passos».

«Mas é muito difícil porque eles não admitem sequer [encarar a crítica de que pensam] que a verdade deles é única e é toda», sustentou.

Sublinhou ainda que o diálogo serve para os muçulmanos, num país maioritariamente católico, «como fazem os lobos na floresta, demarcarem os seus espaços e terem os espaços que eu lhes respeito».

Mais tarde, quase no final de mais de duas horas de conversa e respondendo, na altura, a uma pergunta da assistência sobre a presença muçulmana na Europa, lembrou que a comunidade muçulmana de Lisboa representa cerca de 100 mil fiéis «centrados à volta de três grandes mesquitas» e definindo as relações com o Patriarcado como «habitualmente boas e muito simpáticas».

No entanto, e noutro registo, alertou para a necessidade de existir «respeito e conhecimento» sobre a religião muçulmana enquanto «primeira atitude fundamental» para o diálogo.

«Nós somos muito ignorantes, queremos dialogar com muçulmanos e não gastámos uma hora da nossa vida a perceber o que é que eles são. Quem é que em Portugal já leu o Alcorão?», inquiriu.

«Se queremos dialogar com muçulmanos temos de saber o bê-a-bá da sua compreensão da vida, da sua fé. Portanto, a primeira coisa é conhecer melhor, respeitar», acrescentou D. José Policarpo.

Outra atitude a praticar na relação com os muçulmanos, sublinhou o Cardeal Patriarca é «não ser ingénuo», afirmação que ilustrou com a visão que alegadamente possuem de que o sítio onde se reúnem para rezar «fica sempre deles».

«Os muçulmanos têm uma visão na sua religião que o sítio onde se reúnem para rezar fica na posse deles, é o sítio onde Alá se encontrou com eles portanto mais ninguém pode rezar naquele sítio», disse D. José Policarpo.

Lembrou, a propósito, um «problema sério» ocorrido na Catedral de Colónia, na Alemanha, cedida pelo Cardeal da cidade à comunidade muçulmana local para uma cerimónia no Ramadão.

«Depois consideravam a Catedral posse deles, foi preciso a intervenção da polícia para resolver aquilo (…) Não sejamos ingénuos na maneira de trabalhar com eles», argumentou.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Foto: DR
DR | © DR

208 comentários

  • Esta semana da uma reportagem na RTP1.
    LOL | 04.02.2009 | 17.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Desculpe, amigo, mas as opiniões de Los Angeles já não noa interessam. Resuma-se e pense na sua América, que nós, os Portugueses, iremos pensar e desenvolver o nosso país da forma que muito bem acharmos. A América deixou de ser modelo para o que quer que seja. Cheers
    PORTUGA | 21.01.2009 | 09.26Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Estou de acordo, nem muculmanos, nem judeus, nem catolicos nem o raio que os partam a esses trafulhas todos que andam a enganar o mundo ha mais de 3000 anos. Ja chega de religiao, estamos em 2009 nao em 1147. Parem com essa trapalhada, para mafia ja chega. entreguem aos pobres (nao aos governos- que interessadamente os protegem) as fortunas que lhes roubaram durante seculos, pecam desculpa pelos crimes que cometeram contra os que nao iam no vosso jogo e facam-se a vida. Ja chega de violadores de criancas, trafulh, pulhas, etc e altura de deus (assim letra pequena) fazer a vidinha dele e deixar-nos fazer a nossa.
    Victor Machado-Los Angeles-USA | 21.01.2009 | 07.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Objectividade nunca fez mal a ninguém =)) O Irão, realmente, é um país problemático, tal como a Síria... Têm ambos grande população Xiita... Penso que os Xiitas costumam dar um mau exemplo do Islão, pois adicionaram inovações assombrosas, como as chicotadas até aparecer sangue e cortes na pele, etc... Simplesmente horrendo. Mas acho que os Estados Unidos, como potência mundial que são, deviam ter mais precauções... Até porque dentre as mortes de israelitas, só alguns foram civis. E dentre as mortes de palestinianos foram mais civis que membros do Hamas e em maior número...
    Cláudia Simões (Safyiah) | 20.01.2009 | 23.16Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • LOL, bem me pareceu! É, a agulha já aponta noutra direcção. Tchau
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 20.01.2009 | 23.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Nao, mensagem subliminar foi so a do John. Primeiro que tudo, porque o irmao dele, presente na tomada de posse do Obama, esta em risco de vida. O segundo comentario foi um "Ate ja!". Nao me levem tao a serio, porque eu de serio tambem tenho pouco... :) PS. Como a conversa ja esta moribunda, parece-me, cumpre-se dizer que gostei muito de ler-vos a todos! Uns mais outros menos! Mas gostei... :)
    LOL | 20.01.2009 | 23.05Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Claro que o post de LOL é dúbio. Poderia estar a referir-se ao nick JFK, ...
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 20.01.2009 | 23.04Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Caro POSEIDON, interpretei o comentário de LOl como uma chamada de atenção para os perigos a que OBAMA está exposto, assassinato também. Por isso respondi assim, e com mais medo fiquei depois do discurso de tomada de posse..... LOL, escreveu esse post, segundo minha interpretação, por eu na resposta ao anterior post de SAFYIA, ter respondido: «Era um facto.»
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 20.01.2009 | 22.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Va, divirtam-se... :)
    LOL | 20.01.2009 | 22.53Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • John Fitzgerald Kennedy (Brookline, Massachusetts, 29 de Maio de 1917 — Dallas, 22 de Novembro, 1963) foi um político estadunidense e o 35° presidente de seu país (1961–1963). Foi o primeiro Kennedy a nascer depois do século XIX.(NÃO PERCEBI)»»»» Um bem-haja»»»»2009
    POSEIDON | 20.01.2009 | 22.51Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Também tenho medo, muito MEDO!
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 20.01.2009 | 22.48Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • John Fitzgerald Kennedy foi assassinado em 1963.
    LOL | 20.01.2009 | 22.46Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Caro POSEIDON. Todos nós nos enganamos e confundimos, por vezes! Qual é o problema? Só me pareceu pertinente, repôr a veracidade histórica. Democracia só em Atenas, de facto.
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 20.01.2009 | 22.37Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Cara VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA fui eu que disse isso, desculpas por ter generalizado, mas como sabe teclar de memória faz dar erros e pequenos equívocos. Mas já corrigiu e alargou o nosso conhecimento. Penso que Esparta não era uma democracia.»»» Um bem-haja»»» 2009
    POSEIDON | 20.01.2009 | 22.31Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Era um facto. Mas também não posso deixar de recordar que o Irão e a Síria gastam mais em armamento para o Hamas do que em acabar com as injustiças sociais e miséria nos seus países. Sabe SAFYIA, nunca gosto de ver as coisas só dum lado, sinto que fico com "vistas curtas"
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 20.01.2009 | 22.25Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • VITÓRIA, também queria acrescentar que os Estados Unidos dão mais dinheiro para a matança em Gaza do que para os pobres em toda a África... É triste saber isto e não poder fazer nada...
    Cláudia Simões (Safyiah) | 20.01.2009 | 22.12Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • JFK é inconveniente e chega a ser ofensivo na sua argumentação, mas que tem razão quando fala de dois pesos e duas medidas, relativamente às posições das comunidades internacionais e ao posicionamento individual da maior parte das pessoas relativamente aos casos africanos, tem,na minha opinião. E os europeus são os principais responsáveis pelo que hoje se passa em África, mas preferem lavar as mãos como Pilatos, tornando-se nuns verdadeiros poltrões.
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 20.01.2009 | 21.36Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Permitam-me lá uma correcção _ a Grécia estava dividida em cidades-estado, de facto, mas não eram todas democráticas, com aqui foi afirmado. A democracia nasceu e foi praticada na cidade-estado de Atenas, atingindo o seu apogeu no séc. V a.C.. A democracia ateniense, era uma democracia dos cidadãos, o que excluía as mulheres, os estrangeiros (considerados como tal também gregos oriundos de outras cidades-estado...) e os escravos. Atenas nessa época praticava um imperialismo acentuado, sobre as outras cidades-estado gregas, por razões de superioridade militar ..... .Todos os sistemas políticos são imperfeitos, mas claro uns mais do que outros. E a democracia, apesar de todos os defeitos, mostrou ser o melhor de todos até ao presente. Há muitas intolerâncias, muitos radicalismos e venham eles donde vierem são todos perigosos e não esqueço que Hitler, chegou ao poder no quadro de um regime democrático; foi eleito, não chegou lá por outra via, como por exemplo o caso de Mussolini em Itália. Por isso me arrepio tanto com as intolerâncias e radicalismos, sobretudo no momento que estamos a viver, de profunda crise da classe média, desemprego e diferenças tão acentuadas entre poucos muito ricos e muitíssimos muito pobres: foi num quadro mais ou menos semelhante, mas com diferenças é óbvio, que Hitler lá chegou! E não se pense que só os judeus foram perseguidos, também os ciganos e mesmo alemães (aqueles quer sofressem de deficiências físicas e/ou mentais eram exterminados).
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 20.01.2009 | 21.25Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • È um bom exemplo de aculturação, certo Poseidon???
    Lúcia Lima | 20.01.2009 | 19.46Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • ERRATA »»»»»QUANDO SE FALA DE VISTA AÉRIA É PARA SR A SUA SITUAÇÃO.»»AS DESCULPAS»»Um bem-haja»»»»2009
    POSEIDON | 20.01.2009 | 19.46Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Como houve muitas mesquitas que pela conquista foram transformadas bem igrejas. Também existiu o contrário. Igreja de Santa Sofia»»»»» A Igreja de Santa Sofia se localiza bem em frente da Mesquita Azul, no bairro de Sultan Ahmet. A Igreja foi construída na então Constantinopla, por volta de 360 pelo imperador Constantino e foi destruida duas vezes por incendios. A Igreja foi então reconstruida por volta de 530 DC pelo imperador Justiniano. O layout e decoração são típicos de uma Igreja da era bizantina. Vista aérea da Igreja de Santa Sofia Depois da tomada de Constantinopla pelos Turcos em 1453, Santa Sofia foi transformada em uma Mesquita e foram adicionadas a ela quatro minaretes (torres altas). Santa Sofia passou por muitas reformas e também sofreu danos por causa de vários terremotos. Hoje ela não é nem uma igreja nem uma mesquita e sim um museu. Na visita se tem uma sensação bem clara da mescla de religiões em suas decorações e afrescos.»»»Um bem-haja »»»2009
    POSEIDON | 20.01.2009 | 19.41Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • atmbém eu passarei a ignorar os comentários de JFK, usando assim a milha LIBERDADE para o fazer! Excelente ideia, SAFIYAH!
    qwartz | 20.01.2009 | 17.45Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Penso que dá bem para entender que o que estás é mesmo a borrifar-te para tudo, pois não passas de um malabarista incitador à violência e ao ódio, JFK, e ao uso de NAPALM!!! De cada vez que falas, desfazes-te...
    qwartz | 20.01.2009 | 17.40Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 1º - Quem disse que uma mulher no Islão não pode andar ao lado do marido?? Tanto pode, como deve! Para sua própria protecção. 2º - Obama tinha pai muçulmano e mãe cristã e num dos seus discursos disse "que Deus vos abençoe", logo, não pode ser um ateu democrata tão radical como diz ser. Os crentes em Deus existem, aprenda a viver com eles. 3º - a partir de agora vou passar a ignorar os seus comentários =) tenho LIBERDADE de o fazer e NÃO ESTOU A MAGOAR ninguém =))) solução simples, esta. Wishing you a good life, friend. Paz
    Cláudia Simões (Safyiah) | 20.01.2009 | 17.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Oh amiguinhos, vamos lá a ver se nos entendemos! Eu estou-me a borrifar para ser politicamento correcto. Isso é para as pessoas desprovidas de tesão! Respeito? Como é que eu posso respeitar quem não permite que uma mulher ande ao seu lado? Tu andas ao lado do teu marido, quando vais à Arábia Saudita, Safio? É que até o meu cão anda ao meu lado!!!! Eu admito que uma gaja goste de levar nas trombas e é para o lado que eu durmo melhor! Não são contas do meu rosário! Defender essa possibilidade como politica de Estado, já me faz evocar um outro filme: Apocalipse Now!! "Hummm I love the smell of naplam in the morning..." Ring a bell??? E depois, eu sou ateu. Posso ser injusto, odiar, dizer barbaridades, cuspir, escarrar e vir-me. Tudo sem sentimentos de culpa! São caracteristicas humanas e eu sou humano! Não sou nem pretendo ser deus! Não temo deuses! Não faço tenção de me ir para o céu! Não me vou sentar ao lado do S. Pedro, do Maomé, nem do Monhé! Por isso sou mais feliz e livre que vocês, recalcados infelizes, todos juntos!!!! A liberdade de pensamento é uma coisa absolutamente fenomenal!!!! SPOOOOOORTING!!! O FIDEL está moribundo e em vez de estarmos a festejar estou para aqui a gastar latim!!!!!!!!!!! Vou ganhar dinheiro e ver o discurso do Obama!
    JFK | 20.01.2009 | 16.46Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • POSEIDON, peço desculpa, não quis falar da Patriacal Judaica Ortodoxa. =)
    Cláudia Simões (Safyiah) | 20.01.2009 | 15.29Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não falem de uma Civilização Patriarcal Judaica Ortodoxa senão temos muito que falar até ao próximo ano! Se a Islâmica, segundo dizem, é má para a Mulher o que dizer da Patriarcal Judaica Ortodoxa. Dá a entender que Israel só se libertou depois de ser colonizada por Ingleses e aliada dos Norte Americanos. Isto devido à sua Diáspora.»»» Um bem-haja»»» 2009
    POSEIDON | 20.01.2009 | 15.27Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • (ERRATA) Lírica? Eu? Não senhor... A religião ensinou-me respeito, pelo menos... E fóruns religiosos conheço muitos e falo com pessoas da Arábia Saudita, sim. O senhor diz que elas são bárbaras, é? Não me insultaram, trataram-me com o máximo respeito e são pessoas simples, sem grandes mordomías. Se acredita na evolução do físico humano, muito bem, eu acredito na evolução do intelectual humano e a sua parece ser de muito baixo nível. Tolerância? Pois bem, a tolerância começa dentro de cada um. Eu não sou a favor de matanças injustas, mas o senhor parece estar a favor delas. O filme da sua vida é o Casablanca. E pelo que parece, é só esse que deve ver, para ter uma mente fechada como a sua. Como Stephen Hawking disse: "O grande inimigo do conhecimento não é a ignorância, é a ilusão de ter conhecimento". Paz
    Cláudia Simões (Safyiah) | 20.01.2009 | 15.19Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Meus caros, viva a democracia! E agora tratem de se desrespeitar uns aos outros, porque, de facto, podem... E se formos todos homenzinhos e mulherzinhas grandes, vamos um dia, gritar o nome da democracia, liberdade e igualdade, nos lugares onde ela nao existe... Mas, para ja, ficamos por aqui, a cuspir uns nos outros e ate para o ar.
    LOL | 20.01.2009 | 15.19Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Lírica? Eu? Não senhor... A religião ensinou-me respeito, pelo menos... E foruns religiosos conheço muitos e falo com pessoas da Arábia Saudita, sim. O senhor diz que elas são bárbaras, é? Não me insultaram, trataram-me com o máximo respeito e são pessoas simples, sem grandes mordomías. Se acredita na evolução do físico humano, muito bem, eu acredito na evolução do intelectual humana e o sua parece ser de muito baixo nível. Tolerância? Pois bem, a tolerância começa dentro de cada um. Eu não sou a favor de matanças injustas, mas o senhor parece estar a favor delas. O filme da sua vida é o Casablanca. E pelo que parece, é só esse que deve ver, para ter uma mente fechada como a sua. Como Stephen Hawking disse: "O grande inimigo do conhecimento não é a ignorância, é a ilusão de ter conhecimento". Paz
    Cláudia Simões (Safyiah) | 20.01.2009 | 15.17Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Desculpem a minha intrusão nos vossos sempre alegres diálogos, mas....uma pergunta ao JFK: viva a republica...porquê??o Bush também é republicano...não??
    Alberto | 20.01.2009 | 14.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Há uns líricos que gostam de comparar discussão e vernáculos com a tirania da opressão dos estados religiosos ou das ditaduras! Há uma diferença que vocês compreenderiam se soubessem a história do parlamento inglês. Mas, também, se não fossem ignorantes não acreditavam em deuses!... Eu NÃO TENHO RESPEITO por quem defenda a prepotência, o limite das liberdades individuais, a proibição da leitura de livros, o acesso à internet (oh Safio, vai lá para a Arábia Saudita para um Forum de discussão na net sobre as religiões, se és Mulher!), a castração dos costumes, etc, etc. E acho que temos que acabar com isso a bem, ou a mal! Foi essa a decisão de Churchill: RENDIÇÃO INCONDICIONAL da Alemanha nazi. É exactamente o que eu advogo face aos países islamicizados! Se eu não sou um democrata, o Churchill também não era.... CORJA DE IGNORANTES. NÃO VOS TENHO RESPEITO, NÃO!! E esse filme da treta é protagonizado por uma gaja de quem só os gays é que gostam, por isso não faz parte do meu cardápio... Essa história de gays é mais para os países islâmicos, realmente! O filme da minha vida é o Casablanca, senhora. E digo-lhe ainda, por mais que o veja choro sempre que eles cantam a Marselhesa! "às armas cidadãos..."!!! Viva a Liberdade! Viva a democracia! Viva a República!
    JFK | 20.01.2009 | 14.51Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Xiii... Agora é que eu digo... Fiquei uns tempos fora da discussão e já aparecem palavrões fortes =S Mas que rica Democracia que o senhor mostra, sim senhor JFK. Vamos insultar os outros em nome da Democracia, vamos ser agressivos verbalmente para fazer ver os nossos pontos de vista, vamos tentar pôr umas frasezinhas de pessoas que contribuiram para o conhecimento e "pufff", fez-se o chocapic! Apelo mais uma vez, sem desistir, ao respeito que cada um tem que ter pelos outros e por si mesmo (para não se insultar a si próprio) e sabia como é que as judias eram tratadas? e ainda são (por uma minoria)? Elas não podiam aprender, APRENDER! Eram consideradas demónios se soubessem alguma ciência... E fala nas mulheres... Peço desculpa, mas o que lhe devo dizer é como se fazem com os meninos, veja um filme chamado Yentl e depois conversamos. =) Paz
    Cláudia Simões (Safyiah) | 20.01.2009 | 14.28Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Oh SPACEWALKER, eu não advogo tolerância para com os israelitas. Eu advogo o apoio incondicional aos israelitas! Sobretudo às mulheres...É pena o mundo (leia-se a ESQUERDA LIRICA) preocupar-se tanto com a corja terrorista dos palestinianus e não se preocupar com a situação na República do Congo, ou no Zimbabué... Porque é que não manda o palerma do Miguel Portas para o Congo??? Porque é que ele não vai defender os direitos humanos para o Zimbabué? Morrem lá bem mais que na Faixa de Gaza... e não são terroristas... Será que é porque, para os comunas, tudo o que seja inimigo de Israel ou dos Estados Unidos é para apoiar? Mesmo que sejam terroristas???? Corja de um cabrão!
    JFK | 20.01.2009 | 13.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Caro POSEIDON, eu sei que a democracia é altamente imperfeita. O facto de se admitir Partidos legais que advogam a opressão do povo (PCP e BE), diz bem que ainda há muito para fazer em democracia. O facto de uma pessoa que não paga impostos ter o mesmo voto que eu, é de uma profunda injustiça. O facto de o Ordenado Minimo ser € 450 e haver reformas de dezenas de milhares de euros, é impróprio de um país que se diz democrático. Essas saõ as coisas que há que melhorar. E há muitas. Mas não há outra forma de nos entendermos. Por isso, vamos trabalhar com o que temos e melhorar. Ditaduras ou tolerância para com elas, jamais!
    JFK | 20.01.2009 | 13.02Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Obviamente o que abaixo diz JFK é de um cinismo arrepiante, sinistro até, e mostrará bem de quanto esforço se munem certos indivíduos para tentar convencer os outros da consistência dos seus pobres ideais. Analisando os posts que JFK aqui deixou vê-se bem que é um indivíduo com tendências para o insulto e inclinação terrorista para o NAPALM!!! E agora, como boa prática quem sabe talmúdica, em que inverter a lógica das coisas é sempre possível desde que com isso se obtenham benefícios, aqui vem ele com a conversa dos grandes princípios que estarão por detrás do seu (e outros) espíritos fascinados por labaredas, explosões, gritos, violências, penetrações, insultos, bombas atómicas e, sempre que isso não seja possível, NAPALM! Ao falar de Mr Blair, revela-se ainda mais, e ao tentar 'oferecer-nos' Amos Oz é como o diabo que nos tenta mostrar uma pepita dourada para ver se caímos em mais uma das suas armadilhas. As pessoas de hoje, contudo, já sabem mais de MANHA do que os próprios MANHOSOS. Tolerância para com os Israelitas, diz ele... Depois daquilo que todo o mundo pode apreciar, sem equívocos, nestas últimas semanas!? Nem sequer merece a pena comentar o que o senhor JFK escreve. Pense o que quiser, senhor. E fique em paz com isso.
    SPACEWALKER | 20.01.2009 | 11.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Caro amigo JKF estou a ver que lê escritores Israelitas Laicos. Amos Oz. Eu felizmente também. Temos um grande problema da Humanidade. Desde os primórdios foi Religiosa e Crente. Por isso sempre tentou defender os seus Credos. Passando por cima do dos outros. Com os Enciclopedistas e com a Revolução Francesa foram lançados os conceitos de Liberdade Igualdade e Fraternidade. Outrora ouve democracias tirânicas. O poder de maiorias sem dar voz às minorias. Clara que chegamos às democracias parlamentares modernas de deputados eleitos e tudo funciona de maneira mais ou menos diferente. A Grécia que estava dividida em Cidades-Estado democráticas estiveram muitas vezes em guerra. Faz parte das características Humanas querer a privilégio de dominar e isso não vai acabar nunca. Eu também sou democrata mas consigo ver que é ainda um sistema imperfeito de governar. Talvez com a evolução da Humanidade venha a conseguir progressos e ser ainda mais justa. Embora Laica como é, essa eficiência tenha de partir de Homens de Boa Vontade e de Justiça Social.»»»» Um bem-haja»»»» 2009
    POSEIDON | 20.01.2009 | 11.33Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • A religião como a guerra, sao processos políticos, culturais, entre outras coisas. Como a democracia. Discutir, se gostamos ou não gostamos, é uma mera opinião individual. "Democracy is the worst form of government, except for all those other forms that have been tried from time to time." W. Churchill. O seguinte link é sobre aquilo que uma democracia pode fazer a outras: http://en.wikipedia.org/wiki/Operation_Condor
    LOL | 20.01.2009 | 11.16Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Eu acho cá uma piada as gentes da Religião estarem à espera de tolerância, que até me dá vontade de rir! Quando a Igreja Católica estava no Poder, qual foi a tolerância que tiveram para os seus adversários, opositores, ou simplesmente pessoas que não acreditavam nas vossas patranhas?? Qual a tolerância dos Estados Islâmicos para com os israelitas ou para os costumes ocidentais? Vocês, os religiosos, querem receber a tolerância que nunca ofereceram! Os Direitos do Homem, os conceitos de Liberdade, de Democracia, de Igualdade não foram criados pelas religiões. Foram CONQUISTADOS pelos homens à Igreja, e contra esta! Por isso sou intolerante pelas Igrejas, TODAS, e outras formas de totalitarismo de Estado, como comunismo ou fascismo! Sou radicalmente democrático - é um conceito novo mas vão-se habituando! E deixo-vos com o pensamento de uma pessoa insuspeita de radicalismos, um senhor chamado Amos Oz:"No meu vocabulário, a guerra é terrível, mas o mal supremo não é a guerra, e sim a agressão". Há uma coisa que eu aprendi com um senhor chamdo Tony Blair (perdoem-me a presunção): NUNCA HOUVE GUERRA ENTRE DEMOCRACIAS!
    JFK | 20.01.2009 | 10.44Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • A Bíblia do Antigo Testamento não é para aqui chamada. Isto não é o Alcorão!
    anónimo | 20.01.2009 | 09.48Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Bíblia - Antigo Testamento - Levítico 11:7-8 "O porco que tem a unha dividida, mas que não rumina, será impuro, para vós. Não comereis carne de nenhum deles nem tocareis em nenhum dos seus cadáveres: são impuros para vós." Deuteronómio 14:8 "O porco, porque tem a unha fendida, mas não rumina, será impuro para vós. Não comereis da carne destes animais nem tocareis no seu cadáver." Há muitas mulheres muçulmanas que nem conversas são e que têm mais coragem que eu =))) Elas ensinam o Islão a muitas pessoas (homens ou mulheres). Geralmente, as mulheres que não têm coragem no Islão é porque não conhecem a sua religião. Se conhecessem talvez não se visse tantas vezes elas a serem enganadas pelos maridos quanto a violência, divórcios e outros assuntos. O conhecimento é nosso amigo, como diz o Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele).
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 22.48Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O senhor esteja connosco! Cara CLÁUDIA SIMÕES (SAFYIAH) | Desculpa não mencionei o teu nome no último comentário. Trato-te assim porque para uma mulher Islamita Conversa tens conhecimentos e coragem. »»»» Um bem-haja »»»
    POSEIDON | 19.01.2009 | 22.04Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • JUDAÍSMO»» TORAH»» Comes animal de Unha Fendida mas que seja ruminante; já não comes animal que tenha a Unha Fendida mas não seja ruminante. (CARNE DE BOI VERSUS CARNE DE PORCO.) Um bem-haja 2009
    POSEIDON | 19.01.2009 | 21.53Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • VITÓRIA, não fui eu que apelidei de islamismo científico foi POSEIDON =) Apenas disse que no Islão a religião e a ciência estavam lado a lado. No que toca à amamentação não desminto o que disse, no entanto, segundo pesquisas científicas recentes, provou-se que o Alcorão estava certo. Não havia pesquisas científicas antigamente para o provar. Beber vinho com moderação sempre foi um começo. Todos os alcoólicos tiveram que experimentar alguma vez, daí a prevenção que o Alcorão nos dá. E o porco a mesma coisa... Pois, como tinha dito antes, é uma carne sujeita a bactérias e outros parasitas em que se tem que ter especial cuidado, é somente outra prevenção. Se não comermos porco ou bebermos vinho, não corremos o risco de sermos afectados por parasitas nem por nos tornarmos alcoólicos ou sofrermos acidentes por causa do álcool. E pesquisas recentes também mostraram que beber vinho, tal como as outras bebidas alcoólicas têm mais desvantagens que vantagens em relação à saúde. Obrigada por se interessar =)
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 20.14Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • SAFYIA: pedi-lhe que fizesse o favor de me esclarecer quanto ao que apelidou de islamismo científico. Obrigada por ter respondido, mas a sua argumentação não me convenceu, nem me parece ser intelectualmente séria! Pegando em alguns dos seus argumentos, por exemplo no da importância do leite materno, acho que sempre assim aconteceu entre os humanos (a amamentação materna, ou de mulher próxima que o fizesse) bem como entre todos os mamíferos; é coisa da natureza! Com os movimentos feministas e sobretudo a partir da década de sessenta é que muitas mulheres para não deformarem os seios se recusaram a amamentar e a ciência teve que se debruçar sobre isto para que a prática fosse de novo retomada pela maioria das mulheres que tivessem condições (leite) para o fazerem, em benefício da sua infantil; quanto ao porco e ao vinho, qualquer médico diz que beber VINHO com moderação e até benéfico para a saúde, afora naturalmente os alcoólicos recuperados, que nunca mais poderão tocar em bebidas alcoólicas, como sabemos; quanto ao porco, tudo também é muito relativo - os nutricionistas defendem normalmente que uma alimentação equilibrada é aquela que inclui de tudo um pouco .... Se tiver ácido úrico, as carnes vermelhas são as mais prejudiciais..... De qualquer forma, obrigada pela atenção que prestou à minha questão.
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 19.01.2009 | 19.48Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Bem, há nos nossos dias vários mitos que obviamente passaram a ser utilizados por certa classe de indivíduos como bandeiras justificadoras da estupidez e da brutalidade que, por exemplo, são bem patentes nessa personagem que abaixo dá pelo nick de JFK. Esses indivíduos habituaram-se a falar-nos de DEMOCRACIA, como se fossem os guardiões da Democracia; e falam-nos em princípios elevados, contrários aos princípios elementares de outras culturas, como se fossem os guardiões dos princípios elevados;porém, assim pensam ter 'adormecido' as mentes dos incautos, caem em cima da coisa com NAPALM!!! Aviões, mísseis, escolas, hospitais destruídos, democraticamente reduzidos a cinzas!!! Só se estiverem a referir-se a essas DEMOCRACIAS assaltadas por oportunistas que insistem em usar a beleza dos princípios como disfarce, enquanto levam a cabo os crimes do costume, que depois abafam, que escondem, que ignoram, que tentam eliminar da própria História, como o assalto dos bancos aos Estados, como o assalto de Israel à Palestina, como a perseguição ao criminoso de guerra Saddam, primeiro por causa das armas nucleares, depois por ser um ditador, depois por ter bombardeado uma aldeia sua e ter morto cerca de duas centenas de pessoas, depois, quem sabe, por ter bigode; e muitas outras coisas mais. Por isso, o mundo de hoje, esclarecido, e de forma brilhante esclarecido, como aqui revela essa outra personagem de nick (SAFYIAH), a qual, se aqui fosse democraticamente sufragada, muito provavelmente seria eleita, já não vai mais em conversas de xaxa. Pelo contrário, o mundo de hoje passou a estar consciente e exigente até, para ao pouco eliminar da nossa querida humanidade essa estranhas aberrações. E tu, JFK, devias saber que a tua pequenez de espírito não faz sequer jus à tecnologia que homens e mulheres valorosos ao longo dos tempos se esforçaram para te trazer, pois não tendo argumentos, a única coisa que te resta é a miséria do insulto. Serás que tens coragem de passar a falar de forma civilizada, ou seja, sem recurso ao insulto? Que dever terás tu cumprido para usares o insulto como direito? Se nos explicasses. poderia ser que nos permitisses ver mais longe, mas duvido... E a dúvida resulta de saber que o teu verdadeiro intuito é não deixar as pessoas ver mais longe, para elas não possam ter vidas melhores (não falo materialmente). Por vezes acho que tudo se resume à angústia do réptil que a todo o custo tenta convencer os seres a continuarem a chafurdar na lama, ao constatar que muitos deles se soltam dessa prisão e ficam pássaros...
    45-35-GK | 19.01.2009 | 18.38Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O mais interessante é que existem almas que resolvem os problemas com soluções muito faceis. Se estou a falar de alguem em concreto? Sim, a todos e a ninguem. Em concreto. Religião é uma coisa, Futebol é outra, Politica é outra, etc etc... Se lá foram misturam tudo, deixem misturar, os meus apelos, aqui dentro foram para que nao se misturassem as coisas. Compreendo a dificuldade, mas... Digam-me o que é que um ateu tem a ver com Deus, ou o que um muçulmano tem a ver com um terrorista, ou um cristão tem a ver com um preservativo...
    LOL | 19.01.2009 | 18.35Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • (ERRATA) MAU MAU digo eu. Será que não dá para distinguir árabe de muçulmano? Acho que sim, eu sou muçulmana e sou portuguesa. Cientistas que provaram a autenticidade do Alcorão: http://www.scienceislam.com/scientists_quran.php (o último converteu-se)
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 18.23Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • MAU MAU digo eu. Será que não dá para distinguir árabe de muçulmano? Acho que sim, eu sou muçulmana e sou portuguesa. Cientistas que se converteram ao Islão: http://www.scienceislam.com/scientists_quran.php
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 17.58H
  • houve em tempos muito antigos um portugues ilustre k disse: "se vires em teu caminho uma cobra e um arabe, mata o arabe e deixa a cobra esta nao volta atraz para te picar mas o arabe volta para te apunhalar" isto ja diz tudo dessa cultura e sociedades.
    mau mau | 19.01.2009 | 17.52Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Passo a citar o que tinha dito num comentário para o CHARLES: "peço desculpa, mas uma mulher PODE sim senhor divorciar-se. Pode divorciar-se quando arranjar um argumento válido para isso, por exemplo, violência doméstica. O problema aqui é se a mulher (tal como outras mulheres vítimas de violência) tem a coragem de apresentar queixa ao Imam ou outra autoridade com meios de divorciá-la do marido. No Cristianismo o casamento é visto como sendo para toda a vida, mas no caso do Islão pode ser ou não. No Alcorão é citado que o divórcio é a coisa legal que Deus mais odeia. Diz que é legal, logo pode ser feito, com justa causa. A questão do adultério é tanto para mulheres como para homens mas é limitada a sentença pois exige um grande número de testemunhas... O que faz com que seja quase impossível condenar os culpados. A luta de direitos que fala só pode ser das mulheres cristãs que só há pouco tempo é que adquiriram o direito de herdar, ter propriedade e votar. No Islão, já as mulheres muçulmanas (há 1400 anos atrás) tinham esses direitos. Factos históricos..." "Lá não há escolha"? Não, lá há escolha, dependendo dos danos psicológicos da mulher (mesmo não sendo muçulmana) se tiver a coragem de denunciar o marido ou não. Falo no Egipto porque é um exemplo de um país laico e convivência entre muçulmanos e cristãos lado a lado. E os outros países, se forem pela lei islâmica à risca, não teriam tantas denúncias de TVs e outros meios de divulgação comunicativa. Quanto a pensadores... Sabia que foi um muçulmano que descobriu a circulação humana? Indico-lhe um website que lista algumas contribuições de muçulmanos: http://www.geocities.com/ibnkhaldoun_2000/legadoci encia.htm . E em vez de perguntar que muçulmanos contribuiram, pergunte antes quantos CIENTISTAS se converteram ao Islão nesse últimos 1000 anos... E pedrada deve ter o senhor na cabeça, não tem uma mente aberta e por isso fecha-se nesse seu mundo, insultando quem se opõe às suas ideias.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 17.48Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • E a frase que destacou "Se é ateu, muito bem, continue com o seu caminho que eu continuo com o meu" é precisamente o que o Profeta Muhammad disse para os seus seguidores dizerem quando confrontados por ateus ou politeístas. Por isso, o que afirma de não ser permitido dizer isto em países islâmicos é outra mentira... Paz
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 17.30Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Oh Safia, sabe qual é a diferença entre a violência no Ocidente e nos países islâmicos? É que uma é individual, a outra é de Estado!... Já falei aqui, quando ninguém o fazia da violência doméstica. Mas aqui só leva quem quer! Lá, não há escolha! Aqui pode dirigir-se à policia, as pessoas vão presas, são mal vistas pelos vizinhos, pelos colegas, e se cortarem a goela do crápula podem alegar legitima defesa. Na sua terra de sonho, como é? Não vou discutir minudências consigo senão não fazia mais nada mas deixe-me que lhe diga que, em vez de falar do Egipto e da sua laicidade, porque não fala da laicidade dos outros 'Estados' árabes? Porque não fala do facto de nenhum deles ser uma democracia? NENHUM! Porque não fala de serem os países com mais recursos e mais atrasados do mundo? Porque é que essa cultura não produz UM grande pensador, artista, criador? Qual foi o vulto dessa grande cultura, com dimensão mundial, nos últimos 1000 anos???? Como dizia o outro, isso é uma corja que andava à pedrada há 50 anos e vai andar à pedrada 50 anos depois de acabar o petróleo!! A não ser que se despeje aa quantidade certa de napalm...
    JFK | 19.01.2009 | 17.28Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Desculpe-me, mas o que diz são completos disparates. Eu sou PORTUGUESA, percebe? Não tenho traços nem família directa do Oriente. Religião é uma coisa e cultura é outra. Para não falar que, por exemplo, o Egipto é um país de governo laico e no entanto a maioria são muçulmanos, por isso não venha cá com gaitinhas. Não é ser sensível, é estar estupefacta quanta ignorância e tacanhice lhe tomam o cérebro. Tem direito a dizer o que pensa sim senhor, mas tem a OBRIGAÇÃO (característica da LIBERDADE) de RESPEITAR os outros. E a "terra" de que fala não tem nem metade da criminalidade que existem nos países do Ocidente... Já reparou como o adorado USA está em termos de criminalidade?? E já viu a taxa de violência contra as mulheres no Ocidente?? Não me venha com modernices porque nem sempre é tudo rosas no Ocidente. Sei isso porque também nasci e vivi aqui. Bitaites, sim, é tudo o que manda o senhor JFK. Porque cultura geral e educação, custa a acreditar que tenha alguma. Paz
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 17.04Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Oh amiga SAFYIAH (a fêmea do safio ...) também vem com a conversa de que eu não tenho direito de dizer o que penso seja sobre aquilo que for? A Safio parece que pertence ao cardume dos comunas, dos fascizóides e dos fundamentalistas cristãos!! Hello, oh piquena, isto aqui é o Ocidente, não é um 'Estado' islâmico!! O Estado aqui é Laico e é uma Democracia!! Acredito que não saibas bem o significado disto mas, entre outras coisas, posso chamar ignorante ao Presidente da República e nem por isso posso ser incomodado! E esta hem???? Quanto mais dizer que quem crê no absurdo dos deuses é ignorante! Era só o que me faltava! Quem não gosta do que eu escrevo (eu não obrigo ninguém a lêr-me!) pode deixar na borda do prato!!! Além de que, se não me incomoda a bestialidade do que vocês falam, porque é que se hão-de incomodar com as minhas bestialidades??? Somos muito sensiveis, é???? E quando diz "Se é ateu, muito bem, continue com o seu caminho que eu continuo com o meu" di-lo porque este país é democrático porque se fosse lá na terra da corja que defende, MATAVAM-ME!!!!! Vocês gostam muito de vir para o Ocidente mandar bitaites mas lá na vossa terra já não admitem bitaites nossos!!! Eu tratava do vosso caso mas era com NAPALM!!!!!!!
    JFK | 19.01.2009 | 16.43Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • então prontos!
    qual é o problema? | 19.01.2009 | 16.31Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Uma mulher católica ou judia não tem que se converter para o Islão se quiser casar com um muçulmano... Isso é mentira de acordo com esta religião. Os homens muçulmanos podem casar com as Pessoas do Livro (muçulmanas, cristãs e judias). Mas claro que é difícil haver estes casamentos se ambos os noivos estiverem em total desacordo face a sua visão do que é a vida.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 16.30Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Então, e porque é que uma mulher católica (por exemplo) ao casar-se com um muçulmano tem que se converter para muçulmana? Porque é que tem que ser ela a deixar/esquecer a sua fé/religião e não ele? Porque é que ele não se converte para a religião dela? Eu concordo com as palavras do Cardeal, apesar de ter consciencia que iriam gerar conflitos...
    CRL | 19.01.2009 | 16.15Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Peço desculpa, JFK mas aqui quem não desiste é o senhor. É que ainda não viu que está a falar para o auditório errado... Se é ateu, muito bem, continue com o seu caminho que eu continuo com o meu. Mas não tem o direito de dizer que os outros são ignorantes porque as pessoas têm escolhas. Temos a nossa liberdade assim como o senhor tem a sua. Mas liberdade vem com responsabilidades, e a resposabilidade de não magoar ninguém é muito importante. Paz
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 12.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Bem, a minha alma está parva! Vocês têm consciência que não regulam bem da tola, certo?? Deixei-vos aqui sossegaditos, na sexta-feira e, agora, venho aqui e é só testamentos cheios de vento e de disparates! E a boa da SAFYIAH que não desiste! Sim senhor, gabo-lhe a tenacidade! Espero que tenham consciência que estão a discutir o sexo dos anjos porque nenhum dos vossos deuses existem, mas enfim... Já agora deixo-vos um desafio mais interessante que é proposto pelo MEC numa sua crónica (o seu a seu dono): Porque é que o Policarpo advirtiu AS jovens e não OS jovens, ou ambos, de casarem com muçulmanas??????????????.... ehehehehehehehehehehehheheehehehehehehheh
    JFK | 19.01.2009 | 12.31Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • SPACEWALKER, não faz mal, dou-lhe um e-mail antigo que não uso muito: claudiafsimoes_ do hotmail =)
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 11.47Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Estou a tentar imaginar uma maneira de me enviar o email sem com discrição ::)). Alguma ideia?
    SPACEWALKER | 19.01.2009 | 10.42Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • è verdade sim senhor, verdade verdadinha verdadeira, verdade verdade verdade! é VERDADE! sim senhor!
    anónimo | 19.01.2009 | 10.12Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O homen nao quiz fazer polemica mas apenas avisar o k todo o mundo sabe, e ele deve saber de casos concretos gravissimos resultados desses casamentos, por isso vamos deixar de ser hipocritas, todos sabemos dos problemas k poderao vir dessas unioes. Portugal como país hipocrita k é, esconde as verdades do seu povo, mas outros países expoem essas verdades e casos até passados dentro dos países da UE onde o Estado teve k criar protecao para essas mulheres. Por isso nao posso considerar xenofobia, foi um aviso aquilo k meio mundo sabe excepto aqueles povos onde os media nao expoe as verdades.
    VERDADE | 19.01.2009 | 10.07Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Acho que me enganei! (Peço desculpa Poseidon e P:)) Quando me referia ao Aristóteles como discipulo mais próximo, na verdade foi o Platão. Mas mantenho o que disse relativamente á frase: -"Deus tem muitos nomes embora seja um único Ser.” Aristóteles"- Sócrates foi o primeiro monoteista!!
    Lúcia Lima | 19.01.2009 | 07.56Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • É indigno de qualquer pessoa civilizada falar naquele tom jocoso e depreciativo, que ofende e magoa gratuitamente. Vindo de quem vem, é caso para pensar que o velhote está gagá e já não está ali a fazer nada. Imagino que se sinta bastante envergonhado de cada vez que se vê no écrã a dizer aquilo. Que Deus lhe dê a justa recompensa pelos seus actos, nesta vida e na outra.
    Manuel Trindade | 19.01.2009 | 07.31Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 1 MANDAMENTO:-NÃO INVOCAR O SANTO NOME DE DEUS EM VÃO!!!
    paulo sousa | 19.01.2009 | 02.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sou apenas uma muçulmana a tentar divulgar e defender a minha religião, não tenho qualquer título importante =) Ler árabe também é difícil para mim e estou a tentar aprender o melhor que posso, mas por agora não tenho ajuda de ninguém e somente pesquiso livros que ensinem árabe, se quiser dou-lhe o meu endereço de e-mail e envio alguns livros ou software, é só pedir =)
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 01.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • ::) certo... Onde tirou o seu curso de 'imam' CLÁUDIA? Sabe ler árabe? Eu ando a tentar aprender, mas é difícil...
    SPACEWALKER | 19.01.2009 | 01.37Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • SPACEWALKER, penso que na questão dos políticos em Portugal, os crentes, de qualquer religião, devem ter a mesma opinião de que não prestam =)))
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 01.16Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA, muito bem. Mas a senhora quando fala dos muçulmanos parece ter uma certa tendência em focar-se no passado. Pelo menos usa imenso o passado no seu discurso. Os muçulmanos são do presente e não deixaram de ser o que eram no passado. Por outro lado, qualquer aceitação ou relutância com respeito a eles não deveria sequer estar dependente desse passado brilhante, pois quem somos nós para avaliar seja quem for dado não termos qualquer domínio do Tempo, e não sabermos em que resultará o futuro? O que eu quero dizer com isto é que Einstein era um fraco aluno, por exemplo, assim como hoje os palestinianos são pobres, por exemplo. O que é necessário, no meu ponto de vista, é hoje, com os recursos informativos que graças a Deus e a um admirável Físico foram colocados à nossa disposição, se seja efectivamente justo para com a condição actual dos seres humanos, e que pelo menos se pratique esse mínimo de justiça que é ouvi-los, dar-lhes espaço para se exprimirem, promovendo dessa forma um diálogo universal, ao invés de um universal mar de monólogos atirados uns contra os outros. Aqui, neste fórum, sim, o que está a acontecer é diálogo. Devíamos despedir a maioria dos nossos políticos e arranjarmos outros a sério para os substituir. :)
    SPACEWALKER | 19.01.2009 | 00.40Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • (ERRATA) POSEIDON, não tinha compreendido então o que tinha dito antes, peço desculpa. Sim, os profetas têm que utilizar a língua da sociedade em que estão inseridos, como é óbvio =))). Algumas pessoas vêm aqui sem saber o que dizer e é lastimável quanta ignorância vai neste país, que essas mesmas pessoas ainda se dão ao trabalho de redigir um comentário desprezável. VITÓRIA, quando disse que a religião e a ciência no Islão estão lado a lado, referia-me, à questão de fenómenos e factos científicos descobertos recentemente. Dito alguns exemplos: - expansão do universo (descoberto em 1917 por W. De Sitter) Encontra-se no verso 51:47 E o céu, edificamo-lo com vigor, e, por certo, somos Nós Que o estamos ampliando. - os planetas movem-se em órbitas. Encontra-se no verso 21:33 E Ele é Quem criou a noite e o dia, e o sol e a lua. Cada qual voga, numa órbita. - protecção que nos dá a atmosfera terrestre. Verso 21:32 E fizemos do céu um tecto custodiado. E eles, a seus sinais, estão dando de ombros. - Relatividade do tempo (Einstein com a sua teoria, como devem saber). Verso 22:47 E pedem-te que apresses o castigo, e Allah não faltará a Sua promessa. E, por certo, um dia junto de teu Senhor é como mil anos dos que contais. - amamentar os filhos até aos 2 anos é aconselhável (descoberta muito recente). Verso 31:14 E recomendamos ao ser humano a benevolência para com os seus pais; a sua mãe carrega-o, com fraqueza sobre fraqueza, e sua desmama se dá aos dois anos; e dissemo-lhe: "Sê agradecido a Mim e a teus pais. A Mim será o destino" No nosso dia-a-dia, o porco é-nos proibido e as bebidas alcoólicas também. O porco não é aconselhado por nenhum nutricionista e é uma carne em que se tem que ter especial cuidado, pois o porco é um ser susceptível a bactérias e outros parasitas. As bebidas alcoólicas - foi comprovado que traz mais danos ao ser humano que bens e o alcoolismo começa sempre por ser apenas convivência e bebida moderada (isto também se encontra na Bíblia). Proibição de ir a casinos e jogar com dinheiro - descubriu-se recentemente que a pessoa pode ficar com doença psicológica de obcessão por estes jogos de sorte e pode levar essa pessoa e a família à falência. E muitos outros...
    Cláudia Simões (Safyiah) | 19.01.2009 | 00.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • POSEIDON, não tinha compreendido então o que tinha dito antes, peço desculpa. Sim, os profetas têm que utilizar a língua da sociedade em que estão inseridos, como é óbvio =))). Algumas pessoas vêm aqui sem saber o que dizer e é lastimável quanta ignorância vai neste país, que essas mesmas pessoas ainda se dão ao trabalho de redigir um comentário desprezável, infelizmente. VITÓRIA, quando disse que a religião e a ciência no Islão estão lado a lado, referia-me, à questão de fenómenos e factos científicos descobertos recentemente. Dito alguns exemplos: - expansão do universo (descoberto em 1917 por W. De Sitter) Encontra-se no verso 51:47 E o céu, edificamo-lo com vigor, e, por certo, somos Nós Que o estamos ampliando. - os planetas movem-se em órbitas. Encontra-se no verso 21:33 E Ele é Quem criou a noite e o dia, e o sol e a lua. Cada qual voga, numa órbita. - protecção que nos dá a atmosfera terrestre. Verso 21:32 E fizemos do céu um tecto custodiado. E eles, a seus sinais, estão dando de ombros. - Relatividade do tempo (Einstein com a sua teoria, como devem saber). Verso 22:47 E pedem-te que apresses o castigo, e Allah não faltará a Sua promessa. E, por certo, um dia junto de teu Senhor é como mil anos dos que contais. - amamentar os filhos até aos 2 anos é aconselhável (descoberta muito recente). Verso 31:14 E recomendamos ao ser humano a benevolência para com os seus pais; a sua mãe carrega-o, com fraqueza sobre fraqueza, e sua desmama se dá aos dois anos; e dissemo-lhe: "Sê agradecido a Mim e a teus pais. A Mim será o destino" No nosso dia-a-dia, o porco é-nos proibido e as bebidas alcoólicas também. O porco não é aconselhado por nenhum nutricionista e é uma carne em que se tem que ter especial cuidado, pois o porco é um ser susceptível a bactérias e outros parasitas. As bebidas alcoólicas - foi comprovado que trás mais danos ao ser humano que bens e o alcoolismo começa sempre por ser apenas convivência e bebida moderada (isto também se encontra na Bíblia). Proibição de ir a casinos e jogar com dinheiro - descubriu-se recentemente que a pessoa pode ficar com doença psicológica de obcessão por estes jogos de sorte e pode levar essa pessoa e a família à falência. E muitos outros...
    Cláudia Simões (Safyiah) | 18.01.2009 | 23.23Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O Cardeal Patriarca deu um bom conselho. Uma evidência. O Cardeal Patriarca exprimiu, em liberdade, a sua opinião. Outra evidência. Muita gente, comentou, neste espaço, aquilo que o Cardeal Patriarca afirmou. Mais uma evidência. Eu estou a comentar, não o que o Cardeal Patriarca afirmou mas o facto de tanta gente ter comentado as afirmaçãoes do Cardeal Patriarca. Ainda, outra evidência. Como tenho mais que fazer, acabo aqui o meu comentário, que, aliás, nada disse de relevante. Mais um evidência. Será pretencioso concluir que todos estes comentários servem apenas para afagar ao de leve uma ociosidade, companheira silenciosa de uma solidão rejeitada e despeitada? Será isso uma evidência?...
    Só Zinho | 18.01.2009 | 22.51Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O Senhor esteja connosco! Cara Cláudia (Safyah)»»»»»»»»»» !EVANGELHO SEGUNDO SÃO JOÃO»»»»»»»» Capítulo 1»»»»»» 1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio junto de Deus. 3 Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. 4 Nele havia a vida, e a vida era a luz dos homens. 5 A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. 6 Houve um homem, enviado por Deus, que se chamava João. 7 Este veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos cressem por meio dele. 8 Não era ele a luz, mas veio para dar testemunho da luz. 9 [O Verbo] era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem.»»»»»»»»» Como vê o Profeta ao recitar O Corão usou o Àrabe por ser a língua do Povo a que era destinado. Um bem-haja 2009
    POSEIDON | 18.01.2009 | 22.05H
  • 18.01.2009 | 21.23Hcomentário reprovado
  • Reentrei na leitura deste fórum, que está cada vez mais enriquecido, a meu ver! Para mim são muito gratificantes os contributos de uma muçulmana e de um budista. Pessoalmente, nunca me tinha sido dada a oportunidade de "dialogar", porque nunca antes conheci, com uma muçulmana. Quanto a Poseidon, o primeiro contacto que tive com o Budismo, já lá vão muitos anos, foi através do livro do Hermann Hess. Mas também nunca tive oportunidade de "ouvir" um Budista tibetano, a não ser pelos escritos de Dalai Lamma. Parece-me, que as religiões e filosofias, neste caso como o Budismo, o Confucionismo..., buscam transmitir uma sabedoria e uma prática de vida que conduza a uma elevação do homem, para além dos seus instintos primários e encerram no Amor o caminho para a paz interior e a paz entre todos os homens e todos os elementos do Universo. Esse caminho é sinuoso, cheio de desvios, e os desvios confundem o espírito humano e substituem-se ao caminho, que é de facto muito difícil. Ainda bem que SAFYIAH (Que DEUS esteja contigo) trouxe aqui ideias tão importantes e que desfazem preconceitos injustos relativamente ao Islão. Não sei o que entende por islamismo científico (gostaria de ser esclarecida quanto a isso, se fizer o favor) mas não se pode acusar o Islão (tout court), os muçulmanos de obscurantismo, ignorância, nem tão pouco de "acientíficos". Isso é profundamente injusto. As ciências, acompanharam sempre os muçulmanos, cujos conhecimentos levaram, para onde foram, dando assim um contributo precioso para o desenvolvimento dos povos com que conviveram, ao longo de séculos, e os quais são indispensáveis ainda hoje nas ciências: se pensarmos só na matemática, as suas descobertas são de uma importância capital, ainda nos nossos dias; só a título de exemplo, relembro a numeração árabe, que passou a incluir o zero, cuja invenção se lhes deve - a numeração faz parte da mais universais das linguagens, a matemática; e na matemática, não podemos falar apenas da aritmética, já que a geometria, sofreu um enorme avanço, (é curiosíssimo, como a proibição da representação antropomórfica, cânone religioso, conduziu à decoração arquitectónica com elementos vegetalistas e geométricos - há hoje em dia cursos universitários que se debruçam sobre o estudo dos padrões geométricos da azulejaria muçulmana e na construção de programas informáticos de grande complexidade para reproduzirem esses mesmos padrões); mas não só na matemática, também na astronomia, na medicina e noutras ciências o seu contributo foi verdadeiramente extraordinário. Igualmente a filosofia, a poesia foram extremamente cultivadas pelos muçulmanos; o conhecimento sempre foi muitíssimo valorizado, bastando dizer que algumas das mais importantes e prestigiadas universidades da Europa foram fundadas pelos muçulmanos na P.Ibérica. Foram os muçulmanos, que trouxeram para o mundo medieval europeu o conhecimento dos grandes filósofos da Antiguidade, de que aqui alguns já falaram. E interessante é mesmo constatar, que cristãos e muçulmanos conviviam na P.I. pode-se afirmar, com muita tolerância religiosa de parte a parte, apesar dos períodos de guerra. Alguns reis cristãos da península tinham em muita conta o saber e conselhos de sábios das universidades muçulmanas. E digo com todo o desassombro, que o mundo cristão medieval, até ao séc.XI era duma ignorância e primarismo de costumes absolutos face à civilização muçulmana, requintada, cheia de conhecimento e desenvolvimento e fazedora de um dos primeiros pontes interculturais, nomeadamente entre o Oriente e o Ocidente - da China trouxeram para a Europa a bússola, o papel e a pólvora.Tenho como quase certo que foram os reis católicos que, com a conquista do Reino de Granada, último reduto político muçulmano na península, impuseram uma intolerância religiosa com o uso e abuso da Inquisição tanto perante os muçulmanos como os judeus em geral. D. Manuel I de Portugal e depois mais acentuadamente D. João III fizeram o mesmo em Portugal. Foi lastimável, mas coisas dos tempos, dos homens poderosos (hierarquia da Igreja católica e Reis). O nosso europocentrismo, acentuado a partir da Rev. Industrial, é que tem levado a Europa e mais tarde o chamado mundo ocidental a pôr em pouco todas as outras civilizações do mundo, vistas com uma sobranceria e altivez que distorceram e ainda distorcem a realidade. A esta mundividência presidiram e ainda presidem muitos interesses. Felizmente, hoje em dia , graças à globalização, esses esteriotipos vão-se desfazendo, a pouco e pouco, direi mesmo muito lentamente.
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 18.01.2009 | 20.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Para a Bíblia ainda não encontrei um local onde fazer o download de uma boa edição. Mas par o Corão encontrei este, que me parece uma edição nobre, de uma lado em árabe e do outro em português. São 30Mb devido a estar copiado de um livro e digitalizado, ao que parece, mas vale a pena: http://www.islam.com.br/Eventos/Livros/Nobre_AlCor ao_Arabe-Portugues.zip
    ABLABLA | 18.01.2009 | 18.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Para todos os que precisarem ficam aqui alguns endereços que considero importantes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Alcor%C3%A3o http://pt.wikipedia.org/wiki/Biblia Copiem os endereços conforme eles estão escritos. Cada um deles, no fim da página tem ligação a exemplares gratuitos do Alcorão e da Bíblia, respectivamente. Aproveitem e leiam os artigos escritos em cada uma das paginas. Se tiverem facilidade em ler em inglês, leiam então nessa língua porque os artigos estão mais completos.
    LOL | 18.01.2009 | 16.58Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • POSEIDON, a sua afirmação "Não fale de Islamismo cientifico porque há muito tempo a Religião e Ciência estão de costas voltadas." No Islão não é bem assim... Este é outro dos muito preconceitos existentes contra o Islão. Muito pelo contrário, o Islão baseia-se tanto em ciência da literatura como ciência biológica, física, química e matemática. Esta religião está lado a lado com a ciência. Por favor, peço-lhe que visite www.harunyahya.com (website está em inglês). Foi aconselhado aos muçulmanos, por muitos Sheikhs, a lerem a Bíblia. Como já tinha a Bíblia anteriormente, já a tinha lido, pois era católica. Não disse que o Budismo tinha um Deus, apenas afirmei que tinha parecenças com os ensinamentos da religião monoteísta. Sendo crente, não posso concordar que foi o Profeta que optou pelo Árabe, mas sim Deus. É uma língua que até hoje não morreu e é uma língua complexa com vários recursos estilísticos. O Google, desculpe dizer, mas não constitui uma grande ajuda porque precisa de grandes aperfeiçoamentos, aconselho a falar com uma pessoa que entenda esta língua, mesmo não sendo muçulmana. Obrigada por ter tanta paciência =)))
    Cláudia Simões (Safyiah) | 18.01.2009 | 16.29Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O Senhor esteja connosco! Cara Cláudia (Safyah)! Bom domingo, pede para lermos as sutras ou suras d' O Corão e eu peço-lhe para ler os livros da Biblioteca apelidada de Bíblia Pode começar pelo CÂNTICO DOS CÂNTICOS atribuído ao Rei Salomão, Livro de ESTHER. Vou informá-la que não sendo Islamita nem tencionando ser tenho O Corão. Edição bilingue – Árabe para o Castelhano. Alem de a informar que o Google traduz Blogues do Árabe para Português. Como vê eu quero ajudar nesse passo que deu de se converter a uma religião que não é a minha. O Corão foi escrito em Árabe por decisão do profeta. O povo e escrita Árabe já existiam antes do Profeta Maomé. Como existiam imensos dialectos e escritas entre aqueles Povos. O Profeta escolheu o Árabe por ser mais abrangente. Eu acho que deve acreditar n' O Corão, mas discernir entre os comentários feitos às suras e o seu próprio conhecimento. Eu faço isso em relação aos versículos da Bíblia. Os Judeus têm imensos comentários À Torah, e como existe uma grande Diáspora às vezes são divergentes. Não fale de Islamismo cientifico porque há muito tempo a Religião e Ciência estão de costas voltadas. Quanto ao Budismo, falo por conhecimento próprio, não tem qualquer Deus. É simplesmente uma Filosofia de vida que por mero acaso se chama de Religião. Quanto A Siddartha Gutama é um dos muitos BUDAS que existiram à superfície da Terra. Buda quer dizer aquele chegou ao topo da Iluminação interior. Siddarth somente chegou à iluminação e transportou o chamado Budismo para o Tibete. Lá existia uma religião xamânica que foi absorvida pelo chamado Budismo. Por isso o Budismo Tibetano é diferente de outras correntes de Budismo que se Ocidentalizaram. Bem no próximo comentário se ainda houver debate eu continuo. Ao falar em Budismo acho que vou meditar se devo continuar ou não»»»». Um bem-haja»»»» 2009
    POSEIDON | 18.01.2009 | 15.39Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Adorei conhecer as ideias de pessoas sem preconceitos em relação aos muçulmanos aqui neste "debate", especialmente em relação à trindade. Mas gostaria de dizer que a questão da trindade não é motivo de diferença para muitas pessoas mas muitos cristãos recorrem a isto dizendo "ah, mas vocês muçulmanos não acreditam na trindade", foi por isso que me referi a este facto. Um debate bastante enriquecedor o que vai aqui, a meu ver. É raro conseguir debater ou até dialogar com alguém sem que essa pessoa me julgue pela minha religião, infelizmente. Muito obrigada e continuação de um bom domingo =) (vou passar aqui várias vezes, não vá haver mais opiniões)
    Cláudia Simões (Safyiah) | 18.01.2009 | 14.10Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Cara amiga Lúcia Lima! O Deus aristotélico é um Deus cuja actividade é inteiramente de ordem teorética. Deus olha, vê, contempla, compreende, e nós vivemos dentro desta atmosfera intelectual divina, somos pensamentos divinos, de algum modo. Deus age, mas na forma da pura contemplação, e portanto, a acção de Deus tem aquela rapidez, aquela instantaneidade própria da inteligência — o ato de intelecção é instantâneo, e assim também os actos divinos, pois não supõem a mediação de um instrumento. - “A palavra "teorético" vem do verbo theorein, que quer dizer olhar, ver, contemplar. Como Sócrates não escreveu e conhecemos a sua Filosofia através dos escritos do seu discípulo Platão. Sendo Aristóteles também discípulo de Platão daí essa afirmação. Como Sócrates era como diz um crente numa só Divindade Universal é natural que Aristóteles ao debruçar-se sobre o Mito dos Deuses tenha chegado a esta frase. Deus tem muitos nomes mas é só um SER.»»»» Um bem- haja»»» 2009
    POSEIDON | 18.01.2009 | 13.45Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não haja dúvidas de que o senhor Cardeal Patriarca fez muito bem em dizer às mulheres portuguesas «pensem duas vezes em casar com um muçulmano». De outra forma não teríamos sequer tido o prazer de ler e participar neste excelente debate. É que o que normalmente nos põem no prato é futebol, rockn'roll, sexo e anormalidades. Escreverá Deus 'direito' por linhas que nos parecem 'tortas'? Quanto ao que aqui se está a debater, e não sendo eu um especialista em religiões, tenho a impressão de que a questão da Trindade não será uma questão fundamental para e separação entre muçulmanos e cristãos. Alias, porque a 'construção' da trindade parece somente uma forma de se tentar caracterizar a divindade de modo a que ela seja, talvez, melhor representável no mundo material e dos humanos. A trindade resultaria assim de uma mera tentativa de classificar minimamente Deus, para a partir daí se poder então construir o edifício da IGREJA (instituição). Seria como que um alicerce, se assim quisermos, pelo que em nada espantaria que esse impulso representativo pudesse não ter sido muito original, uma vez que provavelmente bebeu de sistemas religiosos politeístas. Mas, no meu entender, mesmo os sistema politeístas desejavam, quero imaginar, o bem da humanidade, só que o modelo que utilizavam seria ainda rudimentar em termos filosóficos, talvez. Por isso foi ultrapassado. Assim, o facto de a trindade poder ter sido 'importada' da família Osíris, Ísis e Horu, não tem de representar algo de mal ou de errado. Só demonstra que essa foi desde sempre uma fórmula usada pelos humanos para tentar representar o seu Deus. No entanto, penso também que os muçulmanos são mais puros e modestos do que os cristãos, também por isso, uma vez que parece que se abstêm de qualquer tentativa de representação de Deus. E. na verdade, Deus será irrepresentável, ou não será? Não será até uma certa presunção da nossa parte querer representá-lo de alguma forma, muitas vezes usando a própria forma humana, como muitos painéis e pinturas sugerem? É que, se houver Deus, ele não será somente Deus dos homens, mas Deus de tudo, e dos cães e dos gatos e das borboletas, e de tudo o que é bicho e não é que para aí anda a povoar este admirável planeta, que a mim, que já passei por Marte :) e por Vénus :), me parece pura e simplesmente um PARAÍSO. Por um lado, poderíamos dizer que sim, mas, por outro, sendo nós 'filhos de Deus', então deverá de alguma forma existir uma qualquer interligação entre os nossos dois universos, por mais absurda que ela possa parecer a uma mente vulgar. E isso justificaria e desculparia a tentação de se utilizar o conceito de Sagrada Família (Trindade). A principal razão para se manterem as diferenças entre cristãos e muçulmanos não deveria ser essa, no meu entender...
    SPACEWALKER | 18.01.2009 | 13.32Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • POSEIDON, obrigada por se dar ao trabalho, espero não estar a ser chata =))). Eu não me baseei tanto na filosofia porque a maior parte do conhecimento com que estive a lidar está no Alcorão. Não sei se o leu, mas penso que seria interessante se o lesse. Não estou a dizer que o que disse está incorrecto mas o facto de dizer "não há nenhuma religião que não possua um pouco de outra" leva-me a dizer-lhe o que está no Alcorão novamente (desculpe a maçada). Como tinha dito, Deus (no Alcorão) disse que enviou mais de 125 000 profetas à Terra. Mas neste caso já teríamos que acreditar em Deus e acreditar que este de facto os enviou. Alguns especialistas muçulmanos até acham que possa existir uma interligação entre o Islão e o Budismo, não pelos sistemas de combinação de ideias que fala, mas porque tem ensinamentos parecidos às religiões monoteístas e porque há existência de um possível profeta Siddartha (Buda) cujos ensinamentos poderiam ter sido distorcidos. No Alcorão também se encontra escrito que Deus exterminou civilizações por completo por não acreditarem e serem arrogantes quanto a isso, incluindo a Civilização Egípcia. Penso que alargaria os horizontes a muitas pessoas que lessem o Alcorão, não para o lerem para tentar encontrar defeitos, mas lerem por curiosidade e até filosoficamente. Existem coisas que dão para pensar, mesmo pelas metáforas e outros recursos estilísticos utilizados. No que toca à afirmação em que diz que Muhammad não rejeitou completamente o Judaísmo e o Cristianismo, pois bem, acreditando em Deus e que ele mandou o Alcorão (sem defeitos ou possíveis mudanças e genuíno segundo especialistas muçulmanos e não muçulmanos) Muhammad não poderia rejeitar porque está escrito no Alcorão que temos que respeitar estas religiões, porque são religiões monoteístas que existiram por causa de profetas enviados por Deus que passaram a mensagem e esta não foi tão distorcida quanto as outras. Daí que no Islão, os muçulmanos consideram como seus melhores amigos os cristãos e só depois os judeus, porque os cristãos são os que estão mais perto de nós no que toca a crenças. Se Muhammad soubesse ler ou escrever, teríamos encontrado algo escrito por ele possivelmente, já que ele foi uma pessoa com grande influência no mundo. Não esquecendo que a Europa saiu da Idade das Trevas por causa dos muçulmanos. Digo isto porque a afirmação "não rejeitou completamente" implicaria que ele tivesse um conhecimento elevado naquela altura e que conseguisse sozinho ditar este Livro cheio de milagres e factos científicos que só se conseguiram, muitos deles, descobrir à pouco tempo com os avanços tecnológicos. Desculpe se estou a ser chata de todo, reconheço que às vezes sou. E digo mais uma vez que não estou a tentar impor a minha religião, estou só a dizer factos que já foram provados. Se eu não tiver a certeza escrevo sempre "eu penso" ou "eu acho", pois não sei tudo =))). Obrigada pela paciência e bom domingo!
    Cláudia Simões (Safyiah) | 18.01.2009 | 12.26Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Concordo Poseidon, acho que li isso num livro sobre o cristianismo primitivo, as ascendências e como se decidiram certas coisas nomeadamente sobre a divindade de Jesus Cristo. È engraçado que depois de ler esse livro tenho ainda mais certezas!! (Mas acerca do seu comentário sobre Aristóteles, não sei se estou de acordo se foi realmente ele que disse isso, ou se foi o Sócrates, é que o Arist foi o seu seguidor mais próximo e como o primeiro não sabia escrever, hoje em dia pensa-se que muito do que o Arist dizia seria muito do que "herdou" do Sócrates, que como a minha prof de Filosofia dizia, foi o primeiro monoteísta da sua era e por isso mm foi incómodo no seu tempo!!
    Lúcia Lima | 18.01.2009 | 12.07Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Que Deus esteja connosco! Cara amiga Cláudia Simões um bom Domingo. Vamos começar pelo seu primeiro comentário: “Maomé não rejeitou completamente o judaísmo e o cristianismo, duas religiões monoteístas já conhecidas pelos árabes.” Ora portanto os Teólogos e Doutores da Igreja conheciam A Filosofia Clássica e As Religiões. Mas como seres Humanos têm opiniões que são diversas de uns para outros. Como esses dogmas eram discutidos e decididos por maioria em Concílios daí o seu aparecimento. A isso chamamos o Sincretismo das Religiões! SINCRETISMO - Filos., sistema que combinava as opiniões e os princípios de diversas escolas; eclectismo; amálgama de concepções diferentes; portanto não há nenhuma religião que não possua um pouco de outra. Por isso para os seus crentes todas são verdadeiras. Um indivíduo que abrace a sua Religião cumpra e respeite a dos outros salva-se porque Deus é Misericordioso e Único. Lembre-se do que disse Aristóteles no seu tempo. A semelhança antropomórfica de Nossa Senhora com o menino Jesus ao colo advém de Ísis com Hórus na mesma posição. Bem penso que dá para perceber a minha afirmação. Quanto ao segundo comentário temos uma situação imutável. Quando o Mestre Desencarna ou morre é como uma mão cheia de fina areia a dividir-se entre os dedos. Formam-se logo várias facções. Não vou enunciar porque a amiga sabe que isso aconteceu no Islão. Por isso todos os profetas tiveram a sua importância e devem ser respeitados mas Jesus o mais próximo no tempo a Maomé que é o último profeta dos crentes no Monoteísmo Tem uma importância dupla veio e virá para o juízo final. Por isso a sua importância maior. Como leigo já disse de mais e como humano posso ter dito asneiras, por isso termino. Acho que a esclareci a amiga Cláudia Simões (SAFYAH) »»» Um bem-haja»»» 2009
    POSEIDON | 18.01.2009 | 10.41Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Bismillah. Sabe que é impressionante ter sido necessário um encontro casual como este com a menina (SAFYIAH) para ficar a saber que a ideia da Trindade é de origem Egípcia e romana, e, sendo assim, pagã? Ufff... impressionante. E chocante também. Irei já agora estudar o assunto
    OOORION | 18.01.2009 | 10.00Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sobre a trindade egípcia: http://www.misteriosantigos.com/artigos/modules/so apbox/article.php?articleID=5
    almeida | 18.01.2009 | 09.58Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Uma das frases que diz é que Jesus é o mais importante de todos os profetas no Alcorão. Ora, isto não está correcto. Pode ser que queira dizer que é um profeta que tem, digamos, 2 papéis: veio e vem outra vez para salvar. Porque segundo o Alcorão, temos que gostar e respeitar não um ou 2 mas todos os profetas de Adão até Muhammad. Nenhum é mais importante que outro. Todos contribuiram para guiar a humanidade, segundo o Islão, e devem ser todos vistos em pé de igualdade.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 23.15Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Outra coisa que acho pouco viável é retirarem argumentos de uma civilização idólatra (antiga civilização Egípcia). Como é que se pode tirar argumentos de uma civilização que possivelmente iria contrariar o que o Cristianismo pregava? Peço que me esclareça se puder, foi somente um pensamento que tive, peço desculpa se for um pensamento ignorante. Mas estou a adorar o facto de haverem pessoas com quem se pode dialogar e debater sem haver palavrões no meio, é raro. =)
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 23.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • POSEIDON, num dos meus últimos comentários eu disse que os muçulmanos acreditam nas escrituras originais, e isso não incluiria a trindade Egípcia posteriormente aceite. Logo, a Bíblia não teria a trindade, e a trindade era muito utilizada também pelos romanos e não só pelos egípcios. Os romanos tinham muitos mitos de transcendências e tripla unicidade. Eu reconheço que sim, que é Só Um Deus nas 3 religiões, mas para os muçulmanos, Deus ter um filho significaria não ser Só Um e não ser Autosuficiente. No entanto, há sectores da religião cristã que não têm esta trindade (esqueci-me de mencionar que estava a falar do Catolicismo) nem reconhecem que Jesus é literalmente filho de Deus. Penso que ouve uma grande confusão quanto à língua e expressões utilizadas antigamente com as línguas actuais. Antigamente, ser filho de alguém podia significar ser "muito achegado" e não "filho" literalmente. Mas sim, é o mesmo Deus para estas três religiões como tinha mencionado anteriormente algumas vezes. E até mesmo o que Aristóteles disse acerca dos muitos Nomes de Deus é admitido no Alcorão. Obrigada pela contribuição neste "debate de comentários". =D
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 22.34Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Continuo a achar que a prudência exige que se trate com cuidado as diferenças religiosas e os costumes. O Cardeal, ao aconselhar as jovens a pensarem duas vezes antes de se meterem em sarilhos, não foi muito diplomata.
    rosa | 17.01.2009 | 22.18Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • "ERRATA" ALIEN38 a Trindade não é oriunda do cristianismo primitivo mas posteriormente aceite como dogma em Concilio»»»»». “Deus tem muitos nomes embora seja um único Ser.” Aristóteles – filósofo Grego»»»»»»»»» Um bem-haja P | 17.01.2009 | 21.50H | DENUNCIAR COMENTÁRIO
    POSEIDON | 17.01.2009 | 21.56Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Cara amiga Cláudia Simões! Vou se calhar ser maçador mas quem não gosta de uma discussão, sem agressões verbais! Cada religião tenta defender os seus Deuses como Verdadeiros, Imutáveis e Inatacáveis! Os Judeus, os Cristãos e os Islâmicos. Têm todos o mesmo Deus! “Eu sou Jeová, o Deus que tem todo o poder, apareceu a Abraão, a Isaque e a Jacob, ainda que não tenha revelado a eles toda a força do meu nome Jeová”. Portanto para os Judeus era o impronunciável “Não tomarás o nome do teu Deus em vão”; para os Cristãos a Trindade “Pai, Filho e Espírito Santo”; para o Islão “Alá”! Os teólogos cristãos influenciados pelas Mitos da Antiguidade Clássica das Trindades e da influente trindade Egípcia “Osíris Íris e Hórus” conseguiram em concílio aprová-la. Por isso dizem “Uno mas Trino”. Portanto para mim o Deus é o mesmo. Jesus é o mais importante de todos os profetas para O Corão. Maomé é para a humanidade crente Monoteísta o último dos Profetas.»»»»»»»» Caro ALIEN38 a Trindade não é oriunda do cristianismo primitivo mas posteriormente aceite como dogma em Concilio. “Deus tem muitos nomes embora seja um único Ser.” Aristóteles – filósofo Grego»»»»»»»»» Um bem-haja
    p | 17.01.2009 | 21.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Assunto interessante! Mas sabe o que eu considero que se deveria fazer, SAFYIAH? Não falar mais dele, por uns tempos. É que muito do que aqui foi dito me parece preciosíssimo, pelo que seria agora necessário dar tempo às pessoas para poderem meditar. E o silêncio é um bem necessário quando se deseja meditar para evoluir. Quem sabe se daqui a alguns dias voltarei por aqui a passar... Cheers!
    WATERSOURCE | 17.01.2009 | 21.19Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • "as escrituras actuais para nós muçulmanos estão corruptas" - referia-me à Torah e à Bíblia... (peço desculpa se fui incómoda mesmo...). Eu sinto-me um pouco culpada quando digo estes estudos porque pode magoar ou indignar muitas pessoas, peço imensa desculpa se o fiz...
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 21.18Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • ALIEN38, sim, muçulmanos e cristãos acreditam que Jesus (que a paz esteja com ele) retornará à Terra antes do Juízo Final.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 20.52Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Uma coisa que muitos cristãos dizem é que os muçulmanos não acreditam em Jesus (que a paz esteja com ele) como filho (literalmente) de Deus... Eu não queria entrar em campos de estudos das escrituras, mas neste caso, para responder vou ter que usar um pouco desse conhecimento que tenho. Os muçulmanos acreditam em todos os livros divinos (Torah, Bíblia e Alcorão), no entanto, acreditam só nas escrituras originais, ou seja, as escrituras actuais para nós muçulmanos estão corruptas (segundo muitos estudos realizados). A questão de Jesus, no Cristianismo, ser considerado filho de Deus não é permitido no Islão, porque Deus (segundo o Alcorão) é Só Um. A questão da trindade (Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo) também não é aceite, como é óbvio, visto que até a própria Bíblia não sustenta esta prática. E existem muito mais coisas escritas na Bíblia que não são praticadas, tal como a dieta de não comer porco nem beber vinho (o que é um pouco contraditório porque nas próprias missas o vinho é bebido pelo Padre como indicador do sangue de Cristo). As diferenças residem tanto nas crenças como nos rituais. Os muçulmanos rezam 5 vezes ao dia e os cristãos têm que ir à missa uma vez por dia ou por semana. Os muçulmanos tentam seguir o Alcorão enquanto que os cristãos não fazem o mesmo com a Bíblia. Uma verdade bastante clara entre os especialistas nas escrituras é que esta foi mudada pelos romanos depois da morte de Jesus (que a paz esteja com ele). E isto é evidenciado no Alcorão que é uma importante fonte de conhecimento tanto científico como histórico, pois nenhum especialista conseguiu provar até hoje que o Alcorão não é genuíno. Outra coisa que no Islão é permitido é o uso de contraceptivos, pois cabe à mulher, somente, escolher quando quer ter filhos, visto que é ela quem dá à luz. Peço desculpa se fui um pouco "bruta" mas é o conhecimento que tenho, aceito críticas válidas. Espero ter ajudado na sua questão ALIEN38.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 20.34Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Os Padrinhos das religiões católica e muçulmana são como os Padrinhos das mafias, passam o tempo em contendas para disputa de territórios de influência.
    Manuel Silva | 17.01.2009 | 19.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • No entanto, parece-me haver aqui alguma coisa que faltaria esclarecer, não no que respeita a questões históricas, mas antes a questões de convicção. Sabendo a três religiões monoteístas com a mesma origem, isto é, o que se costuma chamar a 'filosofia hebraica', compreende-se be, qeu os Cristão se tenha separado 'ideologicamente' dos judeus uma vez que os ultimos não aceitaram Cristo como personagem divina. Porém, já não se compreende tão bem que Cristãos não tenham abraçado a 'ideologia' muçulmana, uma vez que o Islão parece tratar Cristo como o um elemento divino, o qual, segundo parece, voltará à Terra no Dia do Juizo Final. De uma certa forma, poderia dizer-se que o Islão inclui o Cristianismo? Ou seja, onde é que residem as diferenças entre aquilo em que acredita um cristão e um muçulmano? É uma questão de credos, ou uma questão de práticas, de rituais? Um pouco confusa ainda essa ideia. Boa discussão, aqui. ::)
    ALIEN38 | 17.01.2009 | 19.54Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Nao vou discutir Historia das religioes e crenças, mas continuo a ler-vos... Comentario numero 100! :D
    LOL | 17.01.2009 | 18.28Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • POSEIDON, falou verdade =D É bom ver que muitos portugueses procuram investigar aprofundadamente. Tenho a adicionar que foi um rei cristão que abrigou os muçulmanos quando estes estavam a tentar fugir da injustiça dos mecanos. =)
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 18.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • UM SÓ DEUS PARA TRÊS RELIGIÕES A afirmação do Cardeal Patriarca parece mais laica do que Religiosa. Porque o Deus de Israel dos Cristãos e dos Islamitas é o mesmo. Eu sou católico acredito no mesmo Deus das três Religiões Monoteístas. Não vou dizer mais nada, para não atirar mais paus à fogueira. Para os muçulmanos, Maomé foi precedido em seu papel de profeta por Jesus, Moisés, Davi, Jacob, Isaac, Ismael e Abraão. Como figura política, ele unificou várias tribos árabes, o que permitiu as conquistas árabes daquilo que viria a ser um império islâmico que se estendeu da Pérsia até à Península Ibérica. “Não é considerado pelos muçulmanos como um ser divino, mas sim, um ser humano; contudo, entre os fiéis, ele é visto como um dos mais perfeitos seres humanos.” Não foi provado, por falta de fontes históricas e religiosas! Nascido em Meca, Maomé foi durante a primeira parte da sua vida um mercador que realizou extensas viagens no contexto do seu trabalho. Tinha por hábito retirar-se para orar e meditar nos montes perto de Meca. Os muçulmanos acreditam que em 610, quando Maomé tinha quarenta anos, enquanto realizava um desses retiros espirituais numa das cavernas do Monte Hira, foi visitado pelo anjo Gabriel que lhe ordenou que recitasse uns versos enviados por Deus. Estes versos seriam mais tarde recolhidos e integrados n' Alcorão. Gabriel comunicou-lhe que Deus tinha-o escolhido como último profeta enviado à humanidade. Maomé não rejeitou completamente o judaísmo e o cristianismo, duas religiões monoteístas já conhecidas pelos árabes. Em vez disso, informou que tinha sido enviado por Deus para restaurar os ensinamentos originais destas religiões, que tinham sido corrompidos e esquecidos. Muitos habitantes de Meca rejeitaram a sua mensagem e começaram a persegui-lo, bem como aos seus seguidores. Em 622 Maomé foi obrigado a abandonar Meca, numa migração conhecida como a Hégira (Hijra), tendo se mudado para Yathrib (atual Medina). Nesta cidade, Maomé tornou-se o chefe da primeira comunidade muçulmana. Seguiram-se uns anos de batalhas entre os habitantes de Meca e Medina, que se saldaram em geral na vitória de Maomé e dos seguidores. A organização militar criada durante estas batalhas foi usada para derrotar as tribos da Arábia. Por altura da sua morte, Maomé tinha unificado praticamente o território sob o signo de uma nova religião, o islão. Um bem-haja 2009
    POSEIDON | 17.01.2009 | 17.46Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • BOMDIA, sim Bismillah (significa "em Nome de Deus"), se tiver alguma questão, estou disposta a responder. Obrigada por ler =)
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 14.52Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • CLÁUDIA SIMÕES (SAFYIAH), sabe que é um prazer ler o que escreve? De uma certa forma, leva-me aos poucos a mergulhar numa esfera que me parece irreal para os dias obtusos que vivemos, mas, ao mesmo tempo, absolutamente REAL para oq ue sentimos no mais íntimo de nós. E na realidade nada há de patético nas suas palavras. Agradeço-lhe imenso ter vindo aqui conversar. Bismilla (é assim que se diz?)
    BOMDIA | 17.01.2009 | 10.53Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA, as suas contribuições neste fórum parecem muito interessantes, mas não acha que devia tentar reduzir um pouco ao patético de assumir-se como uma espécie de classificadora daquilo que os outros escrevem? Não seria muito melhor libertar-se dessa responsabilidade para a qual não foi convocada, e para a qual obviamente não possui qualquer autoridade, dado que na verdade a autoridade não existe? É que essa é precisamente a base da tal atitude de 'evangelização' de que fala REGATA, já reparou? E o grande problema da tal 'evangelização' a que os cristão não resistem é essa 'evangelização' não passar de um monólogo, está a ver?
    BOMDIA | 17.01.2009 | 10.35Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • ALMA37 e VICTÓRIA, o Judaísmo, o Cristianismo e o Islão são as três religiões monoteístas (acreditam só nUm Deus). Do ponto de vista islâmico, todos os muçulmanos devem acreditar nos profetas que vieram de Adão (Adam) até Muhammad (isso inlcui Abraão (Ibrahim) e Jesus ('Issa), que a paz esteja com eles. O Cristianismo não aceitou Muhammad como mensageiro, e o último, para os Cristãos, foi Jesus. Jesus foi um profeta muito importante, dá-se igual importância à sua mãe Maria (Maryam), que o teve miraculosamente, ou seja, engravidou enquanto nenhum homem lhe tocou. Não existem grandes diferenças entre as 3 religiões. O Cristianismo acrescentou, mais tarde, crenças em santos e anjos. Mas no entanto, no Alcorão foi mencionado que foram mandados mais de 125 000 profetas. E a maior parte deles foram mortos (excepto Jesus), segundo o Islão, pelos judeus. Deus diz aos muçulmanos para não discutir de forma grosseira, mas com graciosidade para com as Pessoas do Livro, os cristãos e os judeus (o "Livro", neste contexto, é considerado como sendo os livros divinos destas 2 religiões, a Torah e a Bíblia). Agora vou tentar rezumir a biografia do Profeta Muhammad. Muhammad nasceu na Arábia Saudita, o seu pai já teria morrido antes dele nascer e a sua mãe morreu quando ele tinha 6 anos; sempre foi honesto, e por causa disso se tinha tornado uma pessoa respeitada e um grande comerciante. Khadijah, uma viúva rica e com grande aptidão para comerciar ouviu o bem-dizer acerca de Muhammad e contratou-o como pessoa para comércio. Ouvindo relatos de grande honestidade e inteligência, pediu a uma amiga que lhe desse a conhecer que ela pretendia casar com ele. Muhammad aceitou, apesar dele nessa altura ter 20s e Khadijah já estar nos seus 40s. Ela foi a sua primeira mulher e foi a primeira a aceitar o Islão. Muhammad ficava muito intrigado e aborrecido como os tempos pré-islâmicos estavam... A Kaa'ba (aquilo a que muitas pessoas chamam de caixa preta no deserto, infelizmente) é considerada o santuário que Abraão construiu. Esta estava totalmente apilhada de ídolos, estátuas e coisas mirabulantes, na altura pré-islâmica. E realizavam-se peregrinações a Meca para a Kaa'ba. O comércio era desonesto, os comerciantes vendiam as coisas muito caras a uns e baratas a outros, mentiam, faziam jogos de sorte (do género: tu ficas meu escravo se este pedaço de madeira ficar ao contário), as mulheres eram menosprezadas ao ponto de serem só objecto de sexo e serem parideiras. Resumindo, era um caos. Muhammad, vendo estas coisas horrendas, retirava-se muitas vezes para uma gruta numa montanha chamada Montanha da Luz. Chegava a ficar lá dias a meditar. Um dia, apareceu o arcanjo Gabriel (Jibril) que o agarrou fortemente e disse "Lê/recita!". Muhammad, assustado, disse que não era uma "recitador" (o que se apreciava muito naquela época), não sabia ler. O arcanjo disse mais algumas vezes "Lê!" e agarrou-o ainda fortemente. Muhammad sentiu então as primeiras palavras inspiradas por Deus a sair da sua boca "Recita, em Nome de Deus que creou". Muhammad depois queria escapar, ele não sabia o que fazer, o arcanjo então aparecia em tudo o que avistava. Muhammad correu para sua casa e disse a Khadijah para o cobrir com lençois, porque estava com medo, enquanto se abrigava no colo dela. Ele depois contou-lhe o que tinha sucedido e disse-lhe que pensava estar possuído. Khadijah disse que não, que não era o que Deus fazia, disse que tinha vindo de Deus o que acontecera. A partir daí foi revelado o Alcorão por 23 anos até que Muhammad morreu. Muhammad e os seus seguidores tiveram muitas dificuldades, como privação de comida e água por 3 anos, pois os mecanos não gostavam das suas revelações e não queriam acreditar. As várias guerras durante o tempo de Muhammad foram pura defesa (nada de espalhar a religião pela espada). E as pessoas eram livres de praticar a sua religião dentro da comunidade islâmica desde que pagassem um taxa que não era muito diferente da taxa que todos os muçulmanos têm de pagar por ano (2,5% por ano para ajudar os pobres). Muhammad dizia que a verdadeira Jihad (que não significa guerra santa, mas sim "esforço") é dentro de nós, para combatermos o mal que fazemos. A grande Jihad é essa, e a guerra física é a pequena Jihad. Depois da morte de Muhammad houveram muitos conflitos... E foi a partir daí que houveram os vários sectores Xiitas, Sunnitas, etc; que não deviam haver... E foi a partir daí que houveram várias guerras. O nome Sofia (meu segundo nome depois de Cláudia) vem de origem grega, mas Safyiah é nome muçulmano e significa "pura" e foi o nome de uma das esposas do Profeta. Todos os nomes muçulmanos costumam ter um significado, outros são só por terem sido nomes de pessoas importantes no Islão. Peço desculpa de não ter escrito a biografia mais detalhada, mas há tanta coisa para dizer... Acho que pelo relato que deixei sobre Khadijah e Maryam (que a paz esteja com elas) dá a conhecer que o Islão não é a religião machista que pensam ser... Quanto ao evangelismo para questões económicas como afirma VICTÓRIA, isso existe em todas as religiões. E acho que foi por muitas dessas fraudes que as pessoas têm uma ideia tão errada do Islão, tal como as outras religiões todas. Enfim, o Homem não é isento de pecado. Devo acrescentar que as Cruzadas contra os muçulmanos tiveram sucesso, segundo os muçulmanos e factos históricos, porque a fé destes não estava nas melhores alturas e muitos tinham-se começado a desviar do Caminho. Porque o Islão também tem regras de guerra. Os prisioneiros não podem ser maltratados e não lhes pode faltar nem comida nem água, por exemplo. Espero ter contribuido, obrigada pela atenção.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 07.31Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Já ia fechar isto quando vi a questão de ALMA37. Sou uma pequena achega para começar. Tanto o Cristianismo como o Islão derivam de um tronco comum, uma mesma religião, a Hebraica, a religião dos judeus, cujo livro sagrado é O ANTIGO TESTAMENTO, em que se anuncia a vinda do filho de Deus à terra , o Salvador, O Redentor. Cristo, O Salvador (para os Cristãos), que veio trazer a BOA NOVA, baseada no AMOR, PERDÃO, SALVAÇÃO depois da morte (vida eterna), IGUALDADE DE TODOS OS HOMENS PERANTE DEUS PAI/todos os homens são IRMÃOS ... Tudo Isto está no NOVO TESTAMENTO, por isso o livro sagrado dos Cristãos é a BÍBLIA (Antigo e Novo Testamento). O ISLÃO nasceu +- seis séculos mais tarde, na Arábia, e foi revelado ao PROFETA MAOMÉ, pelo Arcanjo....aqui entra a SAFYIA (Que Deus esteja contigo), que estou muito cansada e ela é quem mais sabe. Sobre o Antigo Testamento, quem por aqui anda e me parece saber mais é o JFK, mas não sei se estará para aí virado, que é um ateu raivoso :)
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 17.01.2009 | 04.46Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Só há pouco tempo pude voltar a este fórum. Achei muitas coisas que aqui foram ditas extremamente importantes e úteis. Gosto sempre de aprender e de ouvir bons argumentos e mundivisões diversas, que na diversidade está a riqueza! Acho que foi bem interessante a entrada de SAFYIAH ( o mesmo que SOFIA, ou não?) e apreciei particularmente o contributo de REGATA, POSEIDON. Quanto a Regata penso que a ciência não podia ser para aqui chamada da maneira que o fez, que nem a discussão se pôs neste fórum nessa vertente! Mas gostei muito da ideia que penso ter querido transmitir a propósito de BACH e o que ele representa para si e da analogia que fez com a religião. Penso, sinto que todas as religiões na sua essência nos "lançam" para o transcendente, para o sublime, para o amor sublime. Projectam-nos para além da existência limitada e material e como disse POSEIDON obrigam-nos a uma dimensão filosófica de reflexão sobre o sentido do ser/existir, acopulando sempre uma moral, normativa de condutas, balizadas pelo o bem e o mal. As primeiras formas de espiritualidade, ainda nem o homem era HOMEM, manifestaram-se no culto do mortos, evoluiram já depois, também para a consciência da dependência do HOMEM da Natureza e para a busca de controle da mesma, porque dela dependia antes de tudo a sobrevivência... Mas voltando atrás, mais uma vez a Regata: se bem entendi, ouvir Bach, é como que prostrar-se e embalar-se, deixar-se tomar, possuir,... sentir cada célula pulsar pela experiência do sublime: como dizer é um carnal e emocional num crescendo de simbiose, que alcança um clímax FORTISSIMO, inenarrável! As lágrimas caem, o corpo agita-se e depois tranquililiza, aquieta-se, contemplativo no bem estar da identificação completa, feita quase pertença. É uma experiência de amor sublime, que depois nos interpela sobre donde viemos, a que é que pertencemos! É o sagrado! Por isso é que são OBRAS DE ARTE! E "cada um" tem a sua: a minha é o meu nick! E pobre de quem não tem nenhuma! Aqui não há nenhuma altivez, superioridade, soberba, Não! É só um desejo de que todos pudessem viver, vivenciar ISTO. Mas há quem o consiga na presença do que há de mais simples, o natural: o mar, as nuvens, a flor a mulher o homem que se AMA e quase todos os que, graças a Deus, foram abençoados com filhos. Quando digo à minha filha, tu és a minha vida, tu és a minha alma...é a criação e o criador feitos um só! Por isso é que se calhar o Islão, permite o divórcio, como afirma SAFYAH - é que o amor dum homem/mulher pode acabar, mas o dos filhos, vai para além da morte. Nunca me tinha apercebido desta dimensão do divórcio na sua vertente religiosa, é engraçado! - a tradição católica não o admite, mas isso é doutrina dos homens, da hierarquia, acho que A PALAVRA de Cristo, A BOA NOVA não o diz; não sei?, sou tão ignorante! Mas algumas coisas eu sei, estão provadas, aqui sim, cientificamente: a evangelização não é coisa só dos católicos, também é dos muçulmanos. O conceito e a prática de guerra santa (Jihad) é genuinamente muçulmano; depois a Igreja ocidental apropriou-se dele e aí nasceram as Cruzadas, aquando da tomada de Jerusalém pelos turcos otomanos. É assim, não é SAFYAH? Já agora também, aliar a evangelização aos interesses económicos não é "pecado" só dos católicos, pois não, SAFYIAH? Na sua Jihad os muçulmanos sempre associaram as motivações comerciais - quem dominava o comércio no Mediterrâneo até ao século doze/treze? Quem dominava o comércio das especiarias, e das pedras preciosas no Índico e depois, no século catorze, as vendia aos genoveses e venezianos, para estes as comerciarem no resto da Europa (ROTA DO LEVANTE)? Como é que pensam que o Oriente se tornou, nalgumas partes, tão dominantemente muçulmano? O Islão nasceu na Arábia, estão a ver o mapa?!! Como é que a África subsaariana é em grande parte muçulmana? Lembram-se da excisão, de que falei lá atrás, noutro post? Pois, é que quem dominava o comércio do ouro e dos escravos eram os muçulmanos berberes, do N. de África. Depois, no séc. XV, é que houve um país periférico da Europa, com uma inflacção que na altura rondava os 2 000%, que teve que partir mar adentro para se safar da crise em que estava, para a qual no seu interior não tinha saída, e com o vizinho do lado já chegava de guerras! Para se safar da crise e por outras causas também, dentre elas a religiosa, não foi SAFYAH? Bem por hoje fico por aqui, que estou cansada, e vocês se fizeram o favor de me lerem, devem estar fartos! Não duvido, que muitos me tenham achado patética, por ventura ridícula em partes deste texto. Mas a matéria é apaixonante, é coisa de amor esta da religião e como dizia o poeta «todas as cartas de amor são ridículas». Bem hajam pela paciência, os que conseguiram vir até aqui!
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 17.01.2009 | 04.15Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Do ponto de vista de árvore 'genealógica' e de conceitos e crenças fundamentais, haverá alguém aqui que me possa elucidar sobre as diferenças entre Cristianismo e Islão? Seria interessante ouvir a opinião de quem tanto parece conhecer sobre o assunto. Muito agradeceria.
    ALMA37 | 17.01.2009 | 00.49Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • masalam
    :) | 17.01.2009 | 00.38Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Bem, gostei do debate aqui nos comentários. Talvez amanhã passe aqui para esclarecer algumas perguntas (se tiverem), se Deus o permitir. Quero deixar claro que não estou a tentar impor a minha religião, só estou a tentar defender-me. Pois muitas das afirmações que dizem sobre o Islão não são as mais correctas, infelizmente. Eu vou tentar, se Deus quiser, vir aqui várias vezes.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 17.01.2009 | 00.27Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • pffff Pense como quiser. Eu é que não me caso consigo de certeza. Não quero que sinta pena de mim nem das muçulmanas orgulhosas de ser o que são. Falo nisto porque só conheço muçulmanas que não têm nada contra o Islão nem contra os maridos e são de vários países, ocidentais ou orientais (incluindo Arábia Saudita). Coisas que não interessam aos mídia, porque a maior parte deles só quer é diminuir o bom conhecimento do verdadeiro Islão. Um pouco de pesquisa fazia bem, e não só o que o jornal da manhã nem a TV diz, mas vida real vista com os seus próprios olhos.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 16.01.2009 | 23.47Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Acho piada as suas declaraçoes . Será que os portugueses leram a biblia, principalmente o Antigo Testamento?! Ja reparam que durante mais de 2000 anos que as Mulheres foram sempre maltratas pela Igreja? Tratadas como um ser inferior ? Que têm que se subjugar ao Homem? E que ainda socialmente e pela Igreja são maltratadas?! Leiam o que diz a Biblia e verão as atrocidades la descritas! Portanto Sr. Cardeal em relação a esse aspecto deveria estar calado.
    Lurdes | 16.01.2009 | 23.43Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Por acaso acho que as muçulmanas por serem tão maltratadas e pisadas pela cultura islâmica dão muito melhores esposas do que as cristãs arrogantes prepotentes cheias de mimos e a cuspir no prato aonde comem...as muçulmanas devem sonhar todos os dias com as mordomias do mundo ocidental, com os direitos, o estilo de vida e como são valorizadas, faltou o aviso do cardeal: 'Cristãos casem com mulheres muçulmanas serão muito mais felizes, porque elas sofrem e não há nada que eleve mais a alma e o carácter do que o sofrimento'
    Charles | 16.01.2009 | 23.35Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • CHARLES, tal como há condições para a medição do adultério, também há condições para ter mais que uma mulher. Um homem casar com mais do que uma mulher pode dar em divórcio se a mulher assim o quiser. Primeiro, uma mulher que se case com um muçulmano, para sua própria segurança, pode fazer um contrato de casamento em que estipula que o marido deve ser monógamo (ter só a ela como esposa) e se ele violar esse contrato, ela pode ter o divórcio. Segundo, o marido tem que tratar as mulheres com igual justiça (se tiver mais que uma esposa) e isso é muito difícil, salvo raras excepções; pode dar em divórcio se ele não tratar as esposas com igualdade (monetária, de carinho, etc). O próprio Profeta (que a paz esteja com ele) disse "Podem ter 1, 2, 3 ou 4 mulheres; MAS uma é melhor para ti, se soubesses!". Ou seja, isto é um aviso para o muçulmano que querer ter mais que uma mulher. O Profeta diz que sim, pode ter, mas deve ter muitíssimo cuidado. Pois sabemos como nós mulheres somos poderosas, e então no ciúme... =P
    Cláudia Simões (Safyiah) | 16.01.2009 | 23.16Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • E as meninas são ciumentas? é que o corão também diz que o homem pode ter várias mulheres (epá isto é bom é para os homens), e aguentam um guarda roupa apenas com uma peça que deixa de fora apenas os olhos? então do que estão à espera, o sonho de qualquer mulher deve ser casar com um muçulmano e viver na faixa de gaza :) , eu aposto que as muçulmanas devem estar com mais vontade de sair do que as cristãs de entrar...
    Carles | 16.01.2009 | 23.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • CHARLES, peço desculpa, mas uma mulher PODE sim senhor divorciar-se. Pode divorciar-se quando arranjar um argumento válido para isso, por exemplo, violência doméstica. O problema aqui é se a mulher (tal como outras mulheres vítimas de violência) tem a coragem de apresentar queixa ao Imam ou outra autoridade com meios de divorciá-la do marido. No Cristianismo o casamento é visto como sendo para toda a vida, mas no caso do Islão pode ser ou não. No Alcorão é citado que o divórcio é a coisa legal que Deus mais odeia. Diz que é legal, logo pode ser feito, com justa causa. A questão do adultério é tanto para mulheres como para homens mas é limitada a sentença pois exige um grande número de testemunhas... O que faz com que seja quase impossível condenar os culpados. A luta de direitos que fala só pode ser das mulheres cristãs que só há pouco tempo é que adquiriram o direito de herdar, ter propriedade e votar. No Islão, já as mulheres muçulmanas (há 1400 anos atrás) tinham esses direitos. Factos históricos...
    Cláudia Simões (Safyiah) | 16.01.2009 | 22.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Vamos lá ver se nos entendemos quando uma mulher casa com um muçulmano nunca mais se poderá divorciar! percebem, é para toda a eternidade, estas são as regras, é isto que vocês mulheres desejam? depois de decadas e decadas a lutar por direitos? vamos voltar à idade média, as meninas foram avisadas, agora não me peçam para assinar mais petições para salvar uma mulher de ser lapidada na nigéria por ter sido apanhada em adultério, acabou cada um sabe de si e faz a cama aonde se deita
    Charles | 16.01.2009 | 22.40Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • É com prazer que anuncio o prazer que a leitura do comentário de REGATA, me deu.
    angela | 16.01.2009 | 22.30Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • É com orgulho que anuncio que esta noticia teve mais contributos que os que lhe sucedem na lista. Quer seja sobre futebol, quer seja sobre um jogador de futebol. :)
    LOL | 16.01.2009 | 22.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Por outro lado, a mim parece-me haver aqui uma grande confusão de ideias. E a primeira é a de alguém poder afirmar cientificamente e a pés juntos que Deus existe. A segunda, é alguém poder afirmar, cientificamente, que Deus não existe. Por isto, só me parece haver uma coisa a dizer. Deus existir ou não existir trata-se de uma questão emocional que respeita a cada um e que tem a ver com a sensibilidade, perspicácia, e intuição de cada pessoais. Estamos nos domínios daquilo que num sentido lato se poderia chamar 'amor'. Como é que sabemos que amamos ou não amamos? Uns preferem acreditar que amor não existe, dado ser um simples resultado de manifestações químicas e físicas no nosso organismo. Outros consideram que há algo para além desses processos físico-químicos, pois conhecer a forma como uma coisa se desenrola não é conhecer a fonte dessa coisa. Toda a gente sabe pegar numa caneta e escrever palavras. Rara é a que escreve um livro importante. Muita gente sabe o que são notas de uma escala. Só um houve chamado J.Sabastian Bach, o meu compositor preferido de sempre, por exemplo. Não é, por isso, pelo mero conhecimento do desenrolar do processo que se pode afirmar conhecer o que gera, ou seja, a fonte que leva à CRIAÇÃO desse processo, ou à sua existência. Assim, os senhores e senhoras que se afirmam ateus, por respeito à inteligência de que somos dotados, tenham paciência mas mudem para agnósticos, caso não queiram ser somente considerados CRENTES ao contrário. Pessoalmente, posso dizer que, ao reconhecer a inimitabilidade de Bach, reconheco a própria existência de Deus, ou seja, Deus para mim existe, e o facto de o 'perceber' devolve-me uma boa impressão. Àqueles que, pela sua forma de ser, não se interessam por o assunto, só lhes posso desejar que sejam minimamente saudáveis também. Mas ainda há outros pontos: abaixo, alguém dizia que os problemas emergem das instituições religiosas, mais do que das religiões. E isso aí já se compreende, pois quanto mais uma instituição é hierarquizada mais intolerante se torna. No caso do Islão, engraçado notar, essa hierarquização não existe, trata-se de uma religião horizontal, não há o conceito de igreja, pelo que há mesmo quem a compare à própria ciência, uma comunidade sem hierarquia, na qual os líderes acabam por emergir naturalmente pelos seus conhecimentos e pelo reconhecimento geral, numa dada comunidade. A maioria dos nossos políticos, por outro lado, manda em nós sem saber do que fala, sem possuir qualidades exemplares e reconhecidas por todos, ou seja, atingem o poder pela obsessão de trepar pelas árvores dos partidos. Por tudo isto, e apesar de não professar qualquer religião, mas todas elas, as monoteístas que crêem em Jesus Cristo, não posso deixar de concordar que grande parte da brutalidade se deve àquela ideia da religião cristã de que quando vai para um sítio não é somente para aí servir quem é cristão, mas antes para 'evangelizar' os outros, como se os outros fossem idiotas e necessitassem da sua palavra para serem libertados dessa idiotice. É uma outra forma de 'imperialismo' agressivo e com sorrisos, e, no meu ponto de vista, a isso se deve o horror que certos países muçulmanos devem sentir quando lhes dizem que há alguém a querer ali construir uma igreja. É que eles já saberão que depois da igreja virão os mormans, os missionários, os jeovás, os evangelistas, e depois os empresários, os financeiros, os vendedores de sexo, os do rock'n roll, os activistas, os espiões, os agitadores, e, finalmente, os vendedores de armamento... Por fim, há ainda outro ponto: há no mundo gente cujo interesse não é atingir PAZ, mas antes apoderar-se das propriedades dos outros, e para isso usa de todos os métodos possíveis, ora dizendo a verdade ora mentindo, simplesmente conforme lhes for mais vantajoso.
    REGATA | 16.01.2009 | 21.13Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • POSEIDON, também acho mal terem tirado a Filosofia como disciplina obrigatória. Faz muita falta para o cérebro do ser humano, para ser mais aberto e ter várias hipóteses perante a vida. Mas enfim, o que é que se pode esperar neste país?
    Cláudia Simões (Safyiah) | 16.01.2009 | 20.22Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • ANTÓNIO FERNANDES, se não se desfaz dos seus preconceitos, evoluirá e aprenderá o que é o respeito mútuo? Saberá o que é um debate? E um comentário como deve ser? não me parece.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 16.01.2009 | 20.18Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Concordo consigo João G.M... foi mal escolhido o momento para estas afirmações. A Palestina precisa de ajuda e Israel nem deixa passar alimentos ou ajuda médica para a Faixa de Gaza... Não têm coração nem sentimentos aquela gente... No entanto, também há judeus contra o próprio Estado de Israel, mas se isso desse em alguma coisa, era melhor... Por trás disto tudo estão os Estados Unidos que dão mais dinheiro para as armas militares israelitas que dão para o combate à pobreza em África... Uma das pessoas importantes que falam desta horrenda participação dos Estados Unidos é o americano Ron Paul, com grande influência na política americana. Mas o que é feito da moral?
    Cláudia Simões (Safyiah) | 16.01.2009 | 20.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Viva Alá!...Viva Jesus Cristo!...Viva o Sr. Cardeal Patriarca!... Já quanto à Fátima Campos Ferreira,...valha-nos Nossa Sehora de Fátima! Bem pode casar com um muçulmano e emigrar para as terras secas do deserto. "Secas" como ela...
    Deserto | 16.01.2009 | 20.04Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Ó António Fernandes: Já pensou se em vez das 72 virgens lhe apareciam 72 "bombas" virgens?... Também sentia vontade de "explodir"?...
    Jacinto Prado | 16.01.2009 | 19.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • "INTRERVALO" Senão o Cardal Pratriarca que tem o cabelo branco pode ficar com ele preto»»»» Sugestão: vão a uma biblioteca, a uma livraria ou a um alfarrabista. Comprem ou requesitem TRATADO DE HISTÓRIA DAS RELIGIÕES - AUTOR O ROMENO MIRCEA ELIADE. Leiam e depois comecem a alargar os vossos conhecimentos do que é uma Religião. Ficando com conhecimentos profundos sobre o Mito e o Sagrado. Em Portugal acabaram com a disciplina fundamental que era A FILOSOFIA., Não vi qualquer manifestação contra dos católicos. Acabaram com a Filosofia desapareceu o Mito e as obras dos grandes filósofos. Olhem se não fizeram barulho quando acabou Religião e Moral. Porque as duas eram católicas. Estão a apagar as luzes não nos deixemos cair nas trevas»»»». Um bem-haja»»»»» 2009»»»»»» PS- MIRCEA ELIADE VIVEU ALGUM TEMPO EM PORTUGAL
    POSEIDON | 16.01.2009 | 19.42Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sem querer dar azo continuo a discussao pseudo-metafisica, eu nao quis, nem quero ofender ninguem. Sou ateu, com formação europeia e cristã. Se me senti ofendido, foi pelas palavras do senhor que falou a televisao. O resto que vim aqui escrever, tal e qual um treinador de bancada e sapiencia de fazer inveja, nao foi mais do que isso. Apelei e apelo sempre a que, nos, pessoas, seres humanos dotados de alguma racionalidade, possamos, por vezes, reflectir sobre determinadas discussoes da praça publica. E se alguma coisa ainda me lembro e faço questão de lembrar, é e será, ama o outro como a ti mesmo. Que me parece esquecido na consciencia do tal senhor. Querer saber apenas o que eu acho acerca das religioes? E que pode ate resumir muito da natureza humana? Egoismo, como a necessidade basica de todas as necessidades. PS. Digo e repito, nao e minha intencao ofender ninguem. Respeito o credo de outras pessoas como sei que respeitam o meu.
    LOL | 16.01.2009 | 19.34Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Aconselhar a pensar duas vezes antes de casar com um muçulmano? Onde é que está a gravidade do conselho? Duas vezes, será muito? De facto, quaquer rapariga de bom-senso, não pensará nisso uma única vez...Dormir com um homem, quiçá, carregado de explosivos e a pensar nas 72 virgens do bacanal que se vai seguir à detonação deve ser algo aborrecido...
    António Fernandes | 16.01.2009 | 19.13Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O problema aqui não é tanto o que o Exm. Sr. Cardeal Patriarca disse. Se o entendermos como forma de conselho por parte de quem se realmente preocupa com o casamento, tanto a religião, cultura ou até mesmo a politica, que são formas de estar e ver a vida que influenciam e muito uma qualquer relação, quanto mais a do casamento que se pretende que seja para a vida. O problema aqui, quanto a mim, não é propriamente a opinião que cada um de nós poderemos ter em relação à religião do outro um mas sim o momento. Uma personalidade tão respeitada e com a responsabilidade como o Cardeal Patriarca deveria saber, e sabe com certeza, que esta altura não é a mais adequada para tais afirmações! Estamos neste momento, e mais uma vez, a assistir a novos massacres por parte do Estado de Israel ao povo Palestineano. A Comunidade Internacional "assobia" para o lado como se de nada se tratasse, esquecendo a sua responsabilidade na matéria. A dramática situação vivida pelo povo palestiniano em Gaza devido causou já cerca de 900 mortos - entre os quais 200 são crianças! - milhares de feridos e também a destruição de inúmeras infraestruturas como escolas, hospitais, creches... A opinião pública tem um papel importante a desempenhar na defesa de uma paz justa em toda a região, com o reconhecimento da independência da Palestina e no respeito pelas resoluções da ONU. É triste assistir a afirmações desta natureza, de um alto representante da Igreja Católica, numa altura que deveria pôr em pratica o que diz defender; um mundo de Paz e igualdade entre todos os povos! E, já agora, porque não o fim do cerco e da opressão militar!? JoãoG.M.
    João G.M. | 16.01.2009 | 19.05Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não ligue Claudia! Tem razão quando diz que não se conhece muito dos outros, neste caso da religião, aliás como disse o próprio Cardeal. O que interessa para a oposição é apontar os defeitos e nunca as virtudes, não se esqueça disso!!! Bjs e fique com Ele:)
    Lúcia Lima | 16.01.2009 | 18.51Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Eu "só tenho o Teco"? Apenas disse o que tinha para dizer, não tou a impor nada a ninguém. Só a tentar mudar algumas ideias erradas que muitas pessoas têm sobre o Islão. E vi muito dessas ideias, infelizmente. E quando se tocou neste assunto do Cardeal ainda mais me chocou o que muitas pessoas disseram. Reconheço também que até muçulmanos não sabem a sua religião, pelo menos a moral que se tira dela. Aqui ninguém disse se tinha o Teco ou não, mas que digo alguma verdade, digo.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 16.01.2009 | 18.41Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Oh VICTORIA DE SAMO, não és tu que evangelizas, pá! Tu fazes o mesmo que nós, aqui. Mandas bitaites! A Igreja Católica é que é a única que tem a pretensão de "espalhar a palavra" e "converter" quem não seja do seu clube! Mais nenhuma religião do mundo tem essa prática! Nenhuma religião cria grupos de missionários para ir converter os tipos de outras religiões ou de religião nenhuma! Essa é, aliás, uma das parecenças que vocês têm com os comunas e os fascistas: é que não admitem alternativas!!! Não admitiam, aliás, que agora já não têm voto na matéria!!! Oh CLÁUDIA SIMÕES, ao contrário da maioria das portuguesas, tu só tens o Teco, não?........ ehehehehehehehheehehhehehehehehehe
    JFK | 16.01.2009 | 17.33Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Vou-me converter ao judaísmo! Vejam o seguinte video e perceberão!!!! http://www.youtube.com/watch?v=glBSWLLKUcI
    JFK | 16.01.2009 | 17.28Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Porque não sugerir ao nossos inteligentes da praça, como os ateus, por exemplo, que elaborem um processo em tribunal contra D. Afonso Henriques por ter expulsado de suas casas homens e mulheres, que só foram expulsos por professarem a religião muçulmana? Ou então um pedido de desculpas aos mesmos e proceder-se o devolver dessas terras ao seus herdeiros?
    Miguel | 16.01.2009 | 17.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Sou portuguesa e converti-me ao Islão há alguns anos atrás. Fui católica desde os meus primeiros anos de idade. A minha actual religião não me menospreza nem me trata “abaixo de cão”, muito pelo contrário, eleva-me o espírito e reforça a minha auto-estima mais do que a religião que tinha anteriormente... A questão do véu ou hijab constitui um “problema” para a sociedade secular de hoje. O que muitos mídia não mostram a maior parte das vezes é que há muitas mulheres que querem e nunca abdicariam desta peça de vestuário que causa “horror” a muitas pessoas só de o verem. As pessoas que dizem ter lido o Alcorão não podem tirar as suas próprias interpretações deste, aliás, nem uma pessoa que leia a Bíblia pode tirar a própria interpretação desta. Tem que ir a um especialista que estudou ou estuda por vários anos este tipo de escritura, visto que não são livros como aqueles que se fazem hoje e se compram por uns tostões só para ver a fofoca que vai lá dentro... E mais ainda, o Alcorão tem que ser acompanhado com a Sunnah (tradições) do Profeta Muhammad que explicam alguns pontos do Islão e tem algumas interpretações do Alcorão explicadas. Eu, como muçulmana que sou, não achei bem as acusações subentendidas do Cardeal. Mas, também não desminto que existem muitas pessoas irresponsáveis. E quando eu digo irresponsáveis é não se darem ao trabalho de conhecer bem a religião, meio onde viveu, educação da pessoa com quem se pretende casar. Porque, o objectivo do casamento é ficar com a pessoa com quem se casa até ao final da vida, se Deus quiser. O casamento não é casar só por casar e divorciar-se a seguir. Por muito que estas situações estejam na moda. A vida, em geral (sem por religiões ou culturas no meio), já não era como dantes. Agora, até análises clínicas de ambos os noivos é recomendada, devido a inúmeros casos de hoje em dia. Quer queiram, quer não, há muitos homens que ainda são machistas, e isso não tem nada a ver com o Islão, só para esclarecer alguns pontos aqui.
    Cláudia Simões (Safyiah) | 16.01.2009 | 16.42Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Como eu já disse anteriormente cada um acredita no que quer.... Para mim acreditar em Deus (seja ele qual for) é só uma forma de dar outra dimensão á natureza humana. Compreeendo que na sociedade actual isso é sinal de fraqueza mental (como alguns comentários aqui o demonstram) mas ainda assim não tenho vergonha de me declarar crente neste Pai que para muitos não existe, o que felizmente hoje é permitido pensar. O que eu não entendo é pq é que o facto de pessoas se declararem crentes incomoda os não crentes (não especificando religião)? Se acham que a vossa existência tem mais sentido e é mais racional acreditar que não existe Deus (ou outra instância superior qq) isso é exclusivamente com vocês, agora não tentem rotular os crentes de burros e fracos!!! Afinal pergunto eu, quem é que está a fazer a lavagem cerebral a quem??
    Lúcia Lima | 16.01.2009 | 16.19Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • gostei dessa JFK, "não andas longe da verdade". è que quando não há bengala, ou necessidade dela, usamos a cabeça - os católicos como eu, e não só...LOL
    Alberto | 16.01.2009 | 16.12Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Ó JFK e ateus afins, estamos então a ver se nos entendemos. Eu não faço evangelização nenhuma. Apenas retorquo quando leio, ouço e sinto o ódio e intolerância, que por aqui volta e meia vai contra as religiões e os insultos e maus tratos a pessoas religiosas (estúpidos, lorpas, burros, hipócritas, assassinos ... e poderia contiuar - isto para os católicos, que os muçulmanos é mais com Napalm, quando dá jeito!). A figura de Cristo não é uma ficção, nem a de Pilatos, nem a de Herodes, nem a de Salomé, nem a de João Baptista , nem as dos apóstolos.....São figuras históricas, não inventadas. Também os por vós "ditos milagres", estão referidos em escritos da época, que não só os dos apóstolos. São relatos históricos. Já o falarmos na "concepção sem pecado", na "ressuscitação" é diferente, porque são dogmas de fé, os quais por natureza não se discutem, ou se acredita ou não se acredita. Quem não acredita está no seu pleno direito, quem acredita, também. Se essa da lavagem ao cérebro, tem a ver com aquela corrente, se ofendi ao propô-la, não era minha intenção, era apenas uma sugestão, quem quis aderiu, quem não quis nunca foi recriminado,e jamais o será, como é óbvio! As maiores barbaridades foram cometidas desde as civilizações pré-clássicas, do médio-oriente, às Américas, sendo todas civilizações politeístas. A barbárie, como a seu tempo já escrevi não é coisa das religiões mas dos homens! E não nos esqueçamos que todas as hierarquias religiosas são compostas por homens, donde que a história das religiões, seja também manchada pela barbárie. Estamos entendidos ou não?
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 16.01.2009 | 16.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não andas longe da verdade ALBERTO. Eu defendo há muito que as ideologias estão para as pessoas politicas como as religiões para os crentes. Reduzem-lhes a capacidade de raciocinio mas são óptimas bengalas nos momentos dificeis e quando as pessoas se escusam de pensar!!...
    JFK | 16.01.2009 | 15.38Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Srª Lucia Lima, tem razão em parte, mas não totalmente; porque há certas coisas, que sendo de obrigação informar o público, atendendo à fragilidade das pessoas com quem se vai pôr em causa a união, pode-se dar a mesma informação, e até mais detalhada para que as pessoas percebam, por pessoas de segundo ou terceiro plano na herarquia, sem causar o impacto que causa sendo essa informação dada por pessoa de 1ºplano. O que está em causa, é informar detalhadamente, sem pôr em causa a convivência das pessoas devido ao facto da informação partir da autoridade máxima na herarquia. Se fôr um leigo a informar detalhadamente, a informação fica dada convenientemente, que é o que está em causa, e não pôe em causa a convivência entre religiões, como parece ser o caso. Um abraço.
    jrocha | 16.01.2009 | 15.34Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • As "religiões" dos tempos modernos, são os partidos políticos, mais do que acreditarem em deuses, acreditam nos deuses-homens que lhes tolda o espírito....! Qual a comparação hoje, entre uma reunião na IURD ou um congresso de um partido??nunca assisti nem a um nem a outro, mas imagino que não diferem muito dos métodos....e das intençoes LOL
    Alberto | 16.01.2009 | 15.17Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Oh VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA e beatas afins, vamos lá a ver se nos entendemos. Não existem deuses! Existem pessoas que acreditem em deuses, o que é diferente. Mas uma coisa é 17% da população mundial acreditar no "Deus Católico", outra coisa é ele existir!... Por isso, quando escreves "...É sabido que, quando estava prestes a ser lapidada, ...", eu pergunto: É sabido? Sabido como? Sabido por quem? Sabido desde quando? Onde é que isso está documentado? Como é que se sabe o que o tal de Yussuf (Jesus) disse? É que vocês acreditam nessas coisas e acham que são verdade mas só são verdade para vocês. A questão nem sequer é de crença, é de factos! Factos! Factos! E factos, VICTORIA DE SAMO, nicles batatóides, utilizem vocês a retórica e os sofismas que quiserem!!!! Eu sei que é chato, mas não existem deuses, nem o católico nem nenhum. O que nos revolta, aos ateus, não é vocês crerem num deus. O que pensamos sobre isso é: cada maluco com a sua maluqueira! O que nos incomoda é que em nome dos deuses, nomeadamente nas religiões monoteístas, se praticam as maiores barbaridades!!! O catolicismo tem ainda uma particularidade que mais nenhuma religião tem e que se torna inaceitável nos dias de hoje: é que tem a mania da evangelização ou seja, de lavarem o cérebro aos outros! Eu até respeito as crenças das pessoas mas odeio as instituições religiosas!!! Mais do que ódio, é mesmo desprezo!! Tudo sentimentos humanos...
    JFK | 16.01.2009 | 15.13Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Eu odeio o cristianismo por ser uma religião-politica, mas sou obrigado a dar razão ao LoLicarpo... Muitas das vezes so se casam, para terem acesso a nacionalidade, nada tem a haver com amor, muitas das vezes, levam filhos para longe das maes ou dos pais, muitas das vezes os seus ensinamentos sao incopativeis com os direitos das mulheres, obrigam-nas ausar trajes com cujo os quais nao se identificam... não estou a dizer que não haja amor eventualmente. mas sao raros. hoje pensa-se em medio pequeno prazo infelizmente, as pessoas deixam-se levar por fantasias como novelas ao genero do clone, depois apercebem-se que a realidade e bem diferente daquela que a promovem, mesmo pelos governos. a estupidificação e cada vez mais crescente nas nossas mentalidades.
    Nansen | 16.01.2009 | 15.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Desculpe JRocha mas não posso concordar consigo!!! Precisamente por ele ser Cardeal tem responsabilidade perante a sociedade (católica) e de uma maneira geral quando ele adverte para o casamento entre homem muçulmano e mulher que não esteja dentro da doutrina de Alá está só a sublinhar que a união será sempre desigual! É um facto, não é uma declaração "odiosa"!!!
    Lúcia Lima | 16.01.2009 | 12.57H
  • Pensem duas vezes antes de casar com um muçulmano; a advertência está correta, só um pequeno parêntes, não devia ser feita pelo Cardeal, que deve promover a reconciliação e o dialgo, e não o ódio entre religiões. Mas concordo; Pela razão de que há muita menina católica e não só, que desconhece que na religião Muçulmana, um homem pode ter várias mulheres. E pergunto erá que uma católica está disposta a ser a terceira, quarta, quinta, ou mais mulher de um muçulmano? Aqui é que está o principal interesse da advertência, com a qual eu concordo; só que devia ser feita por outra pessoa, e evidamente fundamentada especialmente em torno desta questão. Não está em cusa o modo de vida, mas em que nº de mulher quer ficar em 1ª, ou em 5ª ou mais.
    jrocha | 16.01.2009 | 12.38Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Vamos lá ver se eles voltam aqui à carga, Lúcia Lima! Se voltarem, cá estaremos.
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 16.01.2009 | 12.38Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não há nada a fazer Victória da Samo! Cada um acredita no que quer, mas devo dizer que pela primeira vez, vi um ateu dar graças a Deus (o que não deixa de ser uma antitese) e outras pessoas que acham que não devem mandar as crianças para a catequese pq têm medo que elas sejam abusadas. E depois somos nós que somos os obtusos!!!!! Eheh
    Lúcia Lima | 16.01.2009 | 12.32Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Boa, MARIA DE PORTUGAL! A maior parte deles quer lá saber dos direitos das mulheres para alguma coisa! Só aproveitam para se atirarem obtusamente e com uma argumentação de cá-cá-rá-cá, para se atirarem aos católicos, ou a outros, conforme a música, para sustentarem o seu ateísmo! Vão dançar para os Alunos de Apolo, tá bem?
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 16.01.2009 | 12.04Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Já agora, lembrei-me de algo que não posso deixar de evocar a estes tão ilustres ateus, agnósticos tão raivosos em relação aos católicos, exclusivos responsáveis da violência doméstica contra as mulheres, no seu sapiente entender - há por aqui quem já tenha demonstrado profundo "afecto" por Maria Madalena! É sabido que, quando estava prestes a ser lapidada, Jesus salvou-a dizendo: «quem nunca pecou, que atire a primeira pedra». Portanto, meus caros, é Jesus que inspira a violência doméstica, sem dúvida alguma! Tenham juízo antes de abrirem a boca.
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 16.01.2009 | 11.57Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Acho sempre muita graça,que nestes assuntos de "mulheres" sejam "eles" que opinem com tanta sabedoria! Na minha "humilde" opinião é melhor que "eles" se calem! E as poucas mulheres que tanto defendem que os direitos delas casando em qualquer país ou religião lhes assegura puderem andar de "mini saia", porque não experimentam ir nem que seja para Marrocos? Nem na mesma sala onde estão os homens a comer, elas podem comer e só comem depois deles! (por vezes os restos) Isto é que são igualdades!...
    Maria de Portugal | 16.01.2009 | 11.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Ele , apenas, deu um conselho paternal...eu sei que ninguém lho pediu...
    duarte | 16.01.2009 | 10.49Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O ZEZINHO DAS MEIGUICES é lisboeta, «devia de ...»,não engana, é como o algodão do PRONTO! «(...)Mas percebe-se...é a concorrencia...» Que pensamento obtuso, penso eu de que! ..............
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 16.01.2009 | 10.31Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • que comentario mais parvo ó zezinho! não disseste nada, só blá blá blá... e nem nisso acertaste!!
    anónimo | 16.01.2009 | 10.26Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O snr. Patriarca devia de pensar duas vezes antes de falar...Só gostava que me respondesse se a bíblia o manda fazer afirmações absurdas como as que fez. Presunção e ágaua benta cada um toma a que quer...mas o snr. Patriarca tem presunção a mais e água benta a menos (que tambem n~ ao faz falta) , por se julgar superior a tudo e a todos, o que não é. Só se torna superior pelas palermices que disse que nem um palerma simples fazia as afirmações que ele fez. Mas percebe-se...é a concorrencia...
    Zezinho das meiguices | 16.01.2009 | 10.10Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Há um bocado disse que escreveria algo a propósito dos comentários de EDUARDO PAULINO, de LOL e de JFK. Eu não ando a evangelizar ninguém, apenas me limito a escrever e a minha escrita reflecte as minhas convicções, que não as nego, nem me envergonho delas. Quanto ao que diz E.PAULINO e LOL relembro um deputado da A.R. que há muitos anos foi defender uma tese relativamente à sexualidade/procriação em plena Assembleia e na altura a Natália Correia tratou dele. Ser católico não significa ser-se estúpido, fanático, burro, necessariamente... Claro que a maior parte dos católicos não seguem esta doutrina da Igreja e não ficam com a sensação de pecado por o não fazerem. Vocês estão a omitir, parece-me que muito conscientemente, que nunca a I.Católica procedeu, defendeu, incentivou à prática da excisão, né? Isso são práticas de algumas correntes muçulmanas, verdad? Quanto à questão do posicionamento do Vaticano perante as práticas pedófilas de alguns padres, acho abominável! Quem é que não pensa, LOL? Já me viram insultar, suave ou brutalmente os agnósticos ou ateus? Deixem as nossas convicções em paz. E depois tem memória curta! ....... Já ninguém se lembra do Bispo do Porto e do Bispo de Setúbal, pois não? Que falta que gente como eles faz nos momentos que vamos atravessando!
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 16.01.2009 | 00.18Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Argumento falacioso, CÉSAR AUGUSTO CASTRO: no ocidente dito civilizado, que eu também critico em muita coisa, tendencialmentel, esses homens têm que responder perante a justiça, enquanto que em alguns países muçulmanos a aplicação da justiça é, em caso de adultério, a lapidação de mulheres!! Hello!!! Tá a ver a diferença?
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 15.01.2009 | 23.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • É curioso que no mesmo dia em que o Cardeal Patriarca alertou sobre o «monte de sarilhos» que seria para as jovens casarem com muçulmanos, a secretária de Estado Adjunta e da Reabiltação tenha revelado o registo de 132 mil casos de vítimas de violência doméstica nos últimos oito anos. Também afirmou que estes números devem corresponder a 30 por cento da realidade, ou seja, na verdade esses casos de violência doméstica deverão andar à volta de 400 mil. Seria interessante que aqueles que vêem no Islão como o Mal Absoluto ou como algo completamente diferente e inconciliável com o suposto Civilizado Ocidente, e que admiram e aplaudem a suposta coragem do referido Cardeal Patriarca, nos explicassem esta realidade e estes números. De acordo com o Concelho da Europa, todos os anos 15 por cento da população feminina europeia é alvo de violência doméstica e muitas mulheres acabam por morrer às mãos dos companheiros. Corajoso e de admirar teria sido o Cardeal Patriarca advertir os pais católicos para os perigos de enviarem os filhos para a Igreja, pois poderão ser alvo de abusos sexuais por parte dos padres.
    César Augusto Castro | 15.01.2009 | 21.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Poderá ter sido uma afirmação polémica, mas o que o Cardeal disse é verdade. Louvo-lhe a coragem de falar coisas com sentido.
    postal de londres | 15.01.2009 | 21.48Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 15.01.2009 | 21.37Hcomentário reprovado
  • O sr Cardeal meteu-se num assunto para o qual não é a pessoa mais indicada, uma vez que não pode falar com conhecimento de causa. Os padres armados em conselheiros matrimoniais fazem-me lembrar a estória do sapateiro que queria tocar rabecão.Se o sr cardeal está tão preocupado com a paixão das mulheres portuguesas,então promova uma agência matrimonial onde poderá exercer essa pedagogia de forma mais apropriada.Toda a gente sabe que quando surge a paixão entre 2 pessoas elas ficam bloquedas e não pensam noutra coisa.A religião passa a 2º plano.Os muçulmanos são fanáticos isso é um facto.As religiões incluindo a católica têm sido as grandes culpadas pelas guerras no mundo.Quando a moral e a ética passarem a substituir a irracionalidade das religiões então poderemos ter esperança num mundo mais justo e tolerante.Enquanto isso não acontecer,vamos ter guerras por muitos mais séculos....
    josé carlos | 15.01.2009 | 21.04Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O Cardeal, precisava, mesmo, de dizer isso ou foi inconsequente?
    faria | 15.01.2009 | 20.52Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Corrijo: o comentário de LOL, uma vez k já lhe "roubaram" o 2º.
    angela | 15.01.2009 | 18.58Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Graças a Deus, não sou "atua", mas subscrevo, na generalidade, o 1º comentário de LOL.
    angela | 15.01.2009 | 18.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 15.01.2009 | 18.46Hcomentário reprovado
  • Ao contrario de cardeais e outros que tais, eu nao falo para ninguem em concreto, seja ele, preto, branco, catolico, muçulmano, jeova, terrorista, nazi, comunista, macho, femea, etc... Falo para aqueles que, em democracia, sabem parar e pensar... Ouvir e tambem falar. E como ateu, que graças a bom deus sou, estou a borrifar-me ou como ja ouvi dizerem: "nao e nada contigo, ateu... nao te metas..." Ainda bem que nao tem nada a ver comigo. So me enfurece que os impostos que todos nos pagamos, sirva para o canal publico que temos, abrir as noticias, com as declaracoes desse senhor enviado por deus. Quando a conjuntura actual e bem mais do que um credo feito por pessoas incendiarias, seja ele qual for, mimados por meninos jornalistas que querem ver o mundo todo a arder, com sangue e lagrimas; que antecendem um programa chamado 30 minutos e que pode falar das coisas boas da vida. Solução? Desligar a televisao na hora da refeição. Alias, desligar a televisao no horario nobre. Hipocrisia? Religiao, mesmo que prometo que nao o e... E Politica, que todos nos sabemos que o e... Do dia de ontem? A reportagem sobre a adopção. Mas isto so sou eu a delirar...
    lol | 15.01.2009 | 18.44Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 15.01.2009 | 18.34Hcomentário reprovado
  • JFK, Eduardo Paulino, Lol, depois respondo, que agora não posso. Sem testamentos, quase prometo. Tchau.
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 15.01.2009 | 18.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Se há pessoas que não conseguem entender ou saber o que está por de trás de determinadas declarações da Igreja então é pq não percebem nada. O mais giro é que a maioria delas nem é católica e nem nada que se pareça!!!! As mulheres que todos os dias são mal tratadas ou mm mortas é claro que são católicas; os homens que são agressores é claro que são católicos; os pedófilos é claro que são católicos; os violadores é claro que são católicos. Em conclusão é o catolicismo que é o responsável pela péssima sociedade que temos, então cabe a vocês, salvadores da pátria, indicarem o caminho da luz...... Acho que estou a ver qq coisa....será a luz???
    Lúcia Lima | 15.01.2009 | 18.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Ganda boca LOL!!! ehehhe Esses otários dos padrecos devem pensar que somos todos ursos!!!!
    JFK | 15.01.2009 | 17.51Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 15.01.2009 | 17.44Hcomentário reprovado
  • Oh VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA, deixa lá os testamentos, pá! Mas tu andas aqui para evangelizar o pessoal ou quê? Isso de ser missionária já era! Já te contei a do Goethe??
    JFK | 15.01.2009 | 17.43Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Pensem duas vezes em ser Catolicos... Ou pensem, uma vez que seja, na escola do Vaticano, que recusa metodos contraceptivos, porque o amor de carne é unicamente para procriar... E a Sida é doença de paneleiros! Ou pensem, uma vez que seja, e leiam a Biblia, e talvez possam dizer o que pensam... Pensem nos outros antes de pensarem so em voces... E sobretudo, pensem. Uma vez, que mal nao fara... Experimentem!
    lol | 15.01.2009 | 17.25Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Concordo plenamente consigo Victória da Samo!!! Estou 100% a seu lado!!
    Lúcia Lima | 15.01.2009 | 17.18Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Casamento... homem, mulher... procriação... sexo oral, anal, por cima por baixo... virgindade... Desde que cheire a sexo, num àpice, eis que surge a Igreja Católica no seu esplendor, que aliás, deve ser a única que não tem moral para falar em sexo. Já agora, as católicas que diariamente levam pancada dos seus católicos maridos, peço-lhes: tenham capacidade de sofrimento. Aguentem a vossa cruz, porque Deus, depois, faz o desconto com os pecados. Não se divorciem, lembrem-se que (algumas) têm filhos! Aguentem! Ah, já me esquecia: não usem preservativo, é pecado. Para acabar, um conselho às mulheres: não tenham orgasmos. Isso são coisas do Diabo. Sejam recatadas e muito cuidado: o sexo anal é contranatura. A Igreja reprova esses desejos animalescos. Bom, se forem padres... com crianças... bom, isso é diferente, embora claro, também um pouco reprovável...
    Eduardo Paulino | 15.01.2009 | 17.14Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • D. José Policarpo falou e as hostes entram logo no campo de batalha! Acho que a maior parte dos que por aqui andam conhecem as minhas convicções religiosas. E já devem ter percebido também que sou crítica relativamente a sectarismos, extremismos, intolerâncias, ódios (tirando os "ódios de estimação" que concentram as más energias e são inócuos) and so on, e que admiro muitos aspectos e contributos excepcionais da civilização muçulmana para o então tão atrasado ocidente (Europa). Apesar da minha falta de cabeça, deixem-me lá pensar alto: Cristo houve só um, e há várias correntes (religiões) cristãs - os coptas, os bizantinos, os católicos, depois a partir do séc. XVI os luteranos, calvinistas, anglicanos, testemunhas de Jeová, adventistas do sétimo dia, e sei lá mais quantas. Maomé revelou Alá, só um, e há vários islãos ( soa-me tão mal este plural, será mesmo assim? bom, agora também não me apetece ir ao dicionário), correntes islâmicas - sunitas, xiitas, o islamismo africano, que não sei como se chama, e tantos outros, o asiático ....; Enfim, o panorama não é muito diferente quanto à panóplia de correntes dum lado e do outro. Uns mais/absolutamente radicais outros mais tolerantes (contou-nos um professor meu que a dada altura, S. Francisco de Xavier quis ir evangelizar o Marrocos e que foi muito bem recebido, não lhe fizeram mal nenhum, «mas, meteram-no num barco e devolveram-no à procedência»). Ora bem, todas estas correntes têm, para além de variadas leituras da coisa doutrinária, Bíblia e Al Corão, também lastros culturais diferentes que acentuam as diferenças. Claro que D. José Policarpo falou enquanto chefe dos católicos portugueses, e as suas palavras são lidas naturalmente dentro desse contexto; também disse que o diálogo entre as duas religiões no nosso país não tem acontecido porque por parte dos muçulmanos portugueses não tem havido abertura para isso, e que está agora a dar os primeiros passos (mais vale tarde do que nunca!). Não me parece que tenha sequer deixado subentender que eram uns radicais perigosos! Nem tão pouco ouvi a chefia religiosa muçulmana fazer a leitura "xenófoba religiosa" de que alguns falam! Que mania esta de fazer logo leituras extremistas, odiosas, radicais! Pergunto àqueles que estando tão indignados com as palavras de D. José Policarpo, no caso de terem filhas, se elas lhe anunciassem que queriam casar com um muçulmano, por exemplo iraniano, árabe, ... que iria viver para o país do marido, mal tivessem condições para isso, se ficariam de sorriso rasgado, de abraço apertado "à minha querida filha", ou franziriam o sobrolho de preocupação, não tanto pela questão religiosa, mas pela condição feminina, na maior parte desses países. Esta questão ultrapassa as fronteiras do religioso e penetra as culturais: poligamia, lapidação (morte à pedrada em caso de adultério), vestuário específico, todo o corpo tapado à excepção dos olhos... . Então, o abraço ainda continua apertado e o sorriso rasgado? A garrafa de Champagne ainda vai para o frigorífico? Ora, ora....
    VITÓRIA DE SAMOTRÁCIA | 15.01.2009 | 17.12Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Só que eu ontem vi a RTPN (deixei de ver a SICNoticias) e este foi o único canal a passar outras coisas ditas pelo Policarpo. Vocês ouviram o que ele disse sobre os gays? Foi de ir às lágrimas! Mas os media não falam disso... I wonder why?... É que o Policarpo, entusiamado pelas palmas da assistência, esticou-se ao comprido!! E, também, não deixa de ser interessante a versão apresentada pelo Padre Stilwell. O gajo tem jeito para politico, mas como padre não confiava nele nem para a extrema unção!! Recomendo-lhe os votos do senhor Presidente da República: FALEM VERDADE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    JFK | 15.01.2009 | 13.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não percebo pq que é que as palavras do Cardeal são tão polémicas. Toda a gente sabe que as mulheres que se casarem com um muçulmano são obrigatoriamente convertidas e passam a ter de obedecer ás leis que por lá imperam! Não é novidade nenhuma!!!! Já agora eu também sou uma mulher ocidental e não me espelho nas "Britneys" da vida!!
    Lúcia Lima | 15.01.2009 | 12.36Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Pessoalmente, não acho graça ao islão, nem às regras deles em relação às mulheres. Se a minha filha namorasse com um muçulmano eu ia perder o controlo do meu carro numa altura em que o tivesse pela frente. Não, não estou a dizer que cometeria homicídio. Não me interpretem mal. Estou apenas a dizer que na hora certa seria acometido de uma doença súbita que me deixaria inconsciente o tempo suficiente para lhe passar com as rodas por cima. Como sabem, os acidentes acontecem e as doenças súbitas também.
    Bocage | 15.01.2009 | 12.16Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Growup vc deve ser muito ingenuo, vc acha mesmo que a sociedade muçulmana respeita a sociedade ocidental? Vc ja reparou na quantidade de mesquitas que sao construidas para servir os muçulmanos a viver no mundo ocidental e a liberdade de culto que os muçulmanos tem no ocidente, agora diga-me se nos paises onde o islao é a lei se as outras religiões tem sequer liberdade de culto. Os muçulmanos ou outras religiões sao livres na sociedade ocidental, as pessoas pertencentes a esta socidade ocidental (decadente e imoral) como ja aqui vi chamarem-lhe, não sao livres de praticarem os seus costumes nos paises islamicos. Acho que não precisso de dizer mais. Mas para quem acha que a nossa sociedade esta assim tão mal só tem uma coisa a fazer , converter-se.
    Penelope | 14.01.2009 | 15.18Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Tirarem já uma afirmaçam tão polémica aos comentários é um absurdo! Um bem-haja
    SALMARINHO | 14.01.2009 | 14.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • A não ser que certos jornais andem a ceder à pressão de quem para aí anda simplesmente a criar polémica, por achar que polémica é que é giro...
    TRISTE37 | 14.01.2009 | 14.57Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • CARDEAL D. JOSÉ POLICARPO «Pensem duas vezes em casar com um muçulmano» Como as mulheres que se dizem Católicas são todas praticamente Laicas. "Eu sou católica mas não praticantes ou não cumprem a lei do Seu Deus e da Sua Madre Igreja. Acontecendo isto com os homens também. O Reverendo D. Policarpo ou estava numa crise de asneira ou nunca deveria ter dito uma infâmia destas. Isto é xenofobia religiosa. Os cristãos que são descendentes dos judeus conversos mesclados com os gentios e outras etnias que derivam do pensamento missionário de S. Paulo, Barnabé e muitos outros. Devem lá no céu, se este existe, estar a dizer nós a unir pelo casamento e conversão os povos e este vem agora dizer que não deve haver misturas étnicas. S. Paulo que era um Fariseu converso, por uma visão do Senhor, aboliu aos gentios a circuncisão para facilitar a sua conversão, Vem agora uma personagem católica com enormes responsabilidades dizer que as mulheres ditas católicas não devem ter relações amorosas com muçulmanos e talvez de outras religiões. Vou terminar, depois dos meus pobres conhecimentos sobre Religiões, essa pobreza é suficiente para ficar chocado com tanta xenofobia Religiosa.»»»»»»»» AMARGA SOLIDÃO »»»»»»» O Homem é o corpo místico das Igrejas! / Sem ele não persiste qualquer Religião./ Prova de que entre elas há grandes invejas./ Deixando Deus na mais amarga solidão! / »»»»»»»»»»»»» “Respeito o meu Deus, mas amo o universo.” (Voltaire) »»»»»»»»» Um bem-haja»»»»»»»»»»»»» Tirarem já uma afirmaçam tão polémica aos comentários é um absurdo!
    SALMARINHO | 14.01.2009 | 14.52Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Chiça, já há aí gente com vontade de andar à tareia por causa disto?! E ainda acham que a questão israelo-palestiniana se resolve com boa vontade? O Policarpo tem razão, como é óbvio! O Policarpo não tem autoridade moral para falar, como também é óbvio! Pela parte que me toca, católicos e muçulmanos iam todos para o Afeganistão e para a Sibéria e, acreditem, o mundo sería um local muito melhor!!!!!!!!!!
    JFK | 14.01.2009 | 14.51Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Em Lisboa há 100.000 muçulmanos...Espoero que não queiram impor ppelo medo ou outro...os seus maqiavelicos modos de estar na vida. Espero ainda não virmos a ter de os despachar no novo TGV...se este vier a construi-se...dado o esquelectico dos nossos recursos economicos. Agora leiam se quiserem e tiveream tempo para isso...Mas musica de ouvido...já foi. http://diario.iol.pt/internacional/hospital-egipto -medicos-transplantes/982642-4073.html (Proibidos transplantes entre CRISTÃOS E MUÇULMANOS) LEIAM. http://terrasdesantiago.planetaclix.pt/intrhistsan tiagosumula03.htm Esta é uma corja...de que temos de estar a postos para voltar a anular como o fizeram os nossos ancestaris...A menos que queiram rezar cinco vezes ao dia: trazer as mulheres, Mães, filhas esposas e amantes, açaimadas...lol ( O PROBLEMA É SEMPRE IGUAL: CRISTÃOS E MUÇULMANOS NUNCA SE VÃO ENTENDER...SERIA COMO MISTURAR AZEITE E VINAGRE E PARECER UM SÓ PRODUCTO. http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.asp x?content_id=1071469 Leiam o que D. Policarpo disse e disse muito bem. Se tivesse um filho que quisesse casar com um Moçulmano, renegava-o. De contrário ele me iia renegar a im. e Pai...é Pai...né? http://www.eb23-cmdt-conceicao-silva.rcts.pt/sev/h gp/5.1.htm Não confundam estes...com os Camelos...embora a diferença não seja confusa fisicamente falando http://www.netprof.pt/servlet/getDocumento?id_vers ao=8949 Vejam porque são odientos em relação aos CRUZADOS...rsss
    FraDiabolo | 14.01.2009 | 14.47Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Veja-se TIRANIA destes Povos Muçulmanos, pela percentagem destes em relação aos religiosos de outras fézes... http://www.hanifaponte.net/muculmanos.htm
    coméprima | 14.01.2009 | 14.22Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 14.01.2009 | 14.16Hcomentário reprovado
  • PENELOPE, ainda bem que não me casei por aqui e penso mesmo que você não teria qualquer hipótese de conquistar o meu coração. Casei-me com uma admirável e culta senhora alemã. Graças a Deus!
    PEACE-WITH-ISLAM | 14.01.2009 | 14.15Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 14.01.2009 | 14.09Hcomentário reprovado
  • A inteligência de DISSE fascina qualquer réptil... Mas... Como felizmente há mais vida para além de DISSE, só para dizer que se exigia de um senhor como o D. José Policarpo uma forma de discurso menos elementar. É estranho, mas, apesar de não me considerar seguidor que qualquer religião, não posso deixar de constatar que o Islão está permanentemente a ser atacado de todos os lados. É estranho, para mim. Uma vez que, da parte dos muçulmanos, não vejo qualquer iniciativa de dizer MAL da nossa sociedade e das aberrações que por aqui se praticam. É claro que, não sendo tótós como muitos de nós, os muçulmanos revoltam-se com isso e a sua revolta é muitas vezes explosiva. Quem será, no entanto, o verdadeiro terrorista? Aquele que não resiste em sempre gostar de fazer a experiência de chegar fogo a um barril de petróleo, ou o próprio barril de petróleo, por arder? Às vezes interrogo-me de que lado estará a verdadeira tolerância. Pelo menos do lado do DISSE, visivelmente não será...
    GROWUP | 14.01.2009 | 14.08Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Entre os Muçulmanos...e os Jeovás...não vejo diferença...
    25 do 4 | 14.01.2009 | 14.07H
  • Por este espaço se nota e vê...como o mundo é complicado e sagaz... Todo mundo sentiu aquela dor de corno...muito própria do português actual...quiçá ainda mais pacóvio e atrasado que há 35 anos aTRÁS. cOMO AINDA HÁ MILHENTOS CÉREBROS QUE NÃO EVOLUIRAM...? Tem razão Senhor CARDEAL...e nem sou dos que vou à Igreja...mas sou dos que raciocina e o defende contra os detractores de serviço...entre aspas...ou não?...
    SerôFede | 14.01.2009 | 14.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 14.01.2009 | 13.59Hcomentário reprovado
  • No mundo ocidental as mulheres tem a liberdade de fazerem o que querem, com quem querem e aonde querem, é da vida delas eu não critico comportamentos, apenas digo que no mundo ocidental temos mais Liberdade e cada um faz o que quer com ela...e quem não gostar de Liberdade, existem muitos paises por onde escolher por esse mundo fora...
    Charles | 14.01.2009 | 13.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Para PEACE WITH ISLAM Eu não disse que as mulheres muçulmanas eram inferiores (não distorça o que eu disse) disse sim que elas eram tratadas como inferiores, o que é bem diferente. Há uma serie de frases no seu testo que eu sinceramente nao entendo... 1 Os homens muculmanos nao tem outra hipotese se nao DOMINAR as mulheres muçulmanas porque elas nao sao inferiores ( se elas nao sao inferiores porque é que tem de ser dominadas???) 2 As mulheres ocidentais para o sr são barbies desmioladas?? 3 Entao aqui no ocidente para deixarem de ser barbies desmioladas tem de ser DOMINADAS por homens como vc?? Pelo seu discurso não me parece que seja a dita sociedade ocidental que tem principios inabalaveis e universais. Penso que já deu para perceber um pouco do seu conceito de sociedade. Só lhe posso dizer que consigo com certeza não me iria casar ( so se fosse DOMINADA). E sinceramente não vejo grandes hipoteses de o sr casar por estas bandas dado a grande percentagem BARBIES DESMIOLADAS. O sr confunde liberdade com decadencia, a sociedade dita ocidental nao é perfeita, mas é uma sociedade mais livre. Eu prefiro viver nesta sociedade decadente (como vc lhe chama) a ser DOMINADA por conceitos de contenção, disciplina que vc considera tao importantes.
    Penelope | 14.01.2009 | 13.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • 14.01.2009 | 13.46Hcomentário reprovado
  • CHARLES, não se o mundo que você deseja é um mundo cheio de mulheres como Madonna, Paris Hilton, Britney Spears, Kate Perry, Pink, Beyonce, Rhianna, que vivem à base de mostrar pernas e outras coisas mais rodeadas por um ambiente musical. A mim, por exemplo, já enjoa, e penso que não é dessas mulheres que devo deixar o mundo cheio para as gerações de seres que nos seguirão no futuro, pois devo-lhes, a esses seres, o mínimo de respeito. Pelo que diz, parece que a sua concepção de mulher ideal ocidental seria uma espécie de prostituta agradável do tipo vai com todos, o que conduz naturalmente à eliminação a franja das mulheres da humanidade que ultrapassem os 50, por exemplo, uma vez que os dotes físicos é que marcam a sua ideia de mulher. É uma perspectiva, mas que não joga nada a favor de uma verdadeira libertação da mulher ocidental. Enquanto és boa, és livre; a partir do momento em que deixas de ser boa, és lixo. Esta é, infelizmente, a realidade da libertação da mulher ocidental. Shame on you!
    shame | 14.01.2009 | 13.33Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Não existem sociedades perfeitas mas no mundo ocidental a mulher tem instrumentos de defesa: tem o divorcio, tem os tribunais, tem a lei que diz que aqui há igualdade, não mandem areia para os olhos, a mulher fora da europa é maltratada abusada, espezinhada, tiram-lhes o clitoris não tem direitos, nem direito ao prazer, e não tem tribunais para se defender, Madonna, Paris Hilton, Britney Spears, Kate Perry, Pink, Beyonce, Rhianna, falam mal e gozam com a Igreja catolica e o mundo ocidental, cospem no fundo no prato aonde comem, porque no mundo muçulmano seriam trocidadas vivas...mas quem sou eu para dizer o que as mulheres devem e não devem fazer se as mulheres quizerem abandonar o mundo ocidental e partir por esse mundo fora 'be my guest'
    Charles | 14.01.2009 | 13.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Toda esta notícia é estranha. A não ser que D. José Policarpo seja esquizofrénico, pois há claramente duas metades distintas naquilo que disse, só posso compreender estas declarações descontextualizadas e «fabricadas» para mais uma polémica inócua. Por outro lado, tendo em conta que a anfitriã era a Fátima Campos Ferreira, não se podia esperar outra coisa. Agora, se ele disse que o diálogo era difícil, não sei com quem é que a Igreja Católica portuguesa anda a conversar, ou quem são os seus interlocutores - o Padre Peter Stilwell já veio dizer que as relações são exemplares; por outro lado, a maioria dos muçulmanos em Portugal, que não são 100 mil mas menos de metade, veio dos antigos territórios ultramarinos (Moçambique e Guiné) e conhecem Portugal e os portuguees há várias gerações. Aliás, são portugueses. Se D. José Policarpo acha que os muçulmanos pensam que a sua verdade é única e é toda, seria bom que ele olhasse para dentro da Igreja de Roma e dos seus Dogmas. Quanto à Penélope, que deve ser uma especialista em Mundo islâmico por aquilo que vê nas televisões e lê nos jornais, devia preocupar-se com a condição das mulheres na civilizada Europa, onde, todos os anos, cerca de 15% são alvo de violência doméstica. Finalmente, cada um é livre de casar com quem quiser, coisa que os padres não fazem.
    César Augusto Castro | 14.01.2009 | 12.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Ó PENELOPE, não acha que devia estudar um pouco mais o assunto das mulheres muçulmanas? A minha mãe, sem ser muçulmana, é completamente dominada pelo meu pai, até tem medo de falar, por vezes, que também não é muçulmano. Afinal não é nos países muçulmanos que as mulheres são seres inferiores... E mulheres muçulmanas inferiores? Bah! Você não está a ver bem a questão. Provavelmente os homens lá não têm outra hipótese senão a de as dominar, percebe? dado elas não serem em nada inferiores. E elas sabem isso, e então são queridas e controlam-se, em vez de se transformarem em simples bárbies desmioladas como as que ultimamente invadiram o nosso querido ocidente. As mulheres muçulmanas são como os homens muçulmanos: cultivam o sentido de nobreza, percebe? Coisa que aqui foi substituída pelo sentido da decadência. Vê-o na própria arte. A nobreza implica contensão, disciplina, etc., tudo ideias que desde há umas décadas nos convenceram que não serem necessárias para se construir a liberdade dos seres. Uma vez mais, como no caso dos bancos, enganaram-nos. A liberdade pessoal consegue-se com disciplina, dedicação e gosto, e não através do amolecimento mental que nos caracteriza. Já o sistema de justiça é outro assunto. Eles assumem que pretendem o sistema de justiça emergente directamente do Corão. Isso traz muitas questões que arrepiam, é claro. Mas é uma determinação deles, da sua cultura, da sua aproximação à vida, e ao que é a vida, está a ver? Por outro lado, nós aqui estamos, cheios de princípios inabaláveis e 'universais', neste mesmo momento, confortavelmente a assistir a um genocídio levado a cabo por Israel sobre os palestinianos, e nada dizemos, sequer. As torneiras da informação foram-nos fechadas, para não sabermos o que lá se passa. E nós, calamo-nos. Onde vê então a em nós a autoridade moral para tecer críticas aos sistemas de valores de outras culturas? O problema é que nós sempre achámos que tínhamos coisas importantes a dizer ao mundo, fomos educados na ideia de imperialismo, só que agora o mundo já não quer saber do que nós possamos achar que temos para dizer, e na realidade nós é que devíamos começamos a entender que afinal nós é que deveríamos ouvir melhor o que outras culturas terão para nos dizer. Quanto às palavras do senhor Cardeal, penso perceber o que ele quis dizer, apesar de o modo rudimentar como o disse ter revelado um certo primitivismo intelectual. Viver numa comunidade muçulmana não será nada fácil, pois eles próprios se auto-impõem imenso controlo, dado acreditarem nele, e práticas levadas a sério, como o rezar cinco vezes por dia ao Deus único de todos nós, por exemplo. Será, até por isso, difícil habituarmo-nos a esse sistema, sim, e a uma certa austeridade de princípios que dele resulta, mas daí até o senhor Cardeal lançar para o ar um discurso como este, com os condimentos usados na Idade Média para 'atemorizar' quem o ouve, parece-me simplesmente lamentável, primitivo, e, desculpem-me, demonstrativo de uma leve ignorância.
    PEACE-WITH-ISLAM | 14.01.2009 | 12.37Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Pois eu nem sou catolica e nem me revejo em nada do que esta insituição diz. As palavras do cardeal podem ate nao ser politicamente correctas mas a verdade é que ele tem razao. As mulheres nos paises muculmanos, como todos sabem, sao consideradas seres inferiores, sem praticamente direitos nenhuns. É muito bonito falar em tolerancia entre religiões,( o que eu acho que é importantissimo) o que nao nos podemos esquecer é como algumas religiões (neste caso a muçulmana) trata os seres humanos (principalmente as mulheres) Não me venham falar em tradições, do que se trata são de direitos humanos, e os paises muçulmanos não são muito bons a respeita-los. Claro que com tudo isto não estou a desculpar a igreja catolica, porque infelizmente ainda tambem tem muito de aprender no que respeita a tolerancia. Uma mulher não muçulmana que case com um muçulmano perde todos os direitos de um ser humano livre. Perde direito ao divorcio,aos filhos etc etc, como devem saber a maioria dos paises muçulmanos não separa a lei da igreja da do estado.
    Penelope | 14.01.2009 | 11.43Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • E se for um padre católico a casar com uma muçulmana, já pode? Sempre a podia catequizar... Alguém quer explicar a este senhor que não se apagam fogueiras com gasolina (por esta ser muito cara)?
    V Vieira | 14.01.2009 | 11.15Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • não vejo polémica nenhuma.....
    anónimo | 14.01.2009 | 10.54Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Faço minhas as palavras do comentador Miguel!!!
    Afonso | 14.01.2009 | 10.33Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Aqui está mais uma prova de falta de tolerância. Sempre foram estas questões, ao longo dos séculos, que nos levaram às mais terríveis guerras. As religiões sempre foram responsáveis por grandes tragédias. Podiam, ao menos, ter aprendido alguma coisa com a mudança dos tempos. Muçulmanos, católicos, indus, judeus sionistas, etc, parecem as lutas dos partidos mais sectários. Com todo o respeito pelas crenças pessoais, claro, que não estão em causa. Refiro-me aos responsáveis públicos das várias religiões e de posições como a acima exposta. Cumprimentos laicos e democráticos
    Joaquim Alexandre | 14.01.2009 | 10.32Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • - RELIGIÃO - «Pensem duas vezes em casar com um muçulmano» - Esta frase não é politicamente correcta e leva-nos até à Idade Média. No Século XV uma jovem apaixonada por um muçulmano era levada para o Tribunal da Santa Inquisição e condenada à fogueira em auto de fé!. Não tinha defesa possível. A Igreja Católica está a afastar-se lentamente do presente e a mergulhar no seu passado de torturas e condenações de inocentes à morte nas fogueiras da Santa Inquisição. Desde a morte de João Paulo II que se assiste a um terrível regresso ao passado, que a ninguém aproveita muito menos à Igreja Católica, cada vez mais vazia de fiéis nos seus templos mais importantes!
    Miguel | 14.01.2009 | 10.21Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE