Face Oculta

Tribunal nega pedido de prisão preventiva para Manuel Godinho

08 | 07 | 2014   13.15H

O Tribunal de Ovar decidiu manter em liberdade o sucateiro Manuel Godinho, principal arguido no processo "Face Oculta", rejeitando o pedido do Ministério Público (MP) para que fossem agravadas as medidas de coação do sucateiro, informou hoje fonte judicial.

Em declarações à Lusa, o advogado de Manuel Godinho, Artur Marques, disse que foram declaradas extintas - por ter expirado a validade - todas as medidas de coação a que o sucateiro estava sujeito, com exceção do Termo de Identidade e Residência e da prestação da caução no valor de 100 mil euros.

A juíza titular do processo não atendeu assim ao pedido do MP para que fosse aplicada a medida de coação de prisão preventiva por considerar que "há um acréscimo do perigo de fuga" com o aproximar da data do acórdão e por ter pedido para o arguido uma pena de prisão de 16 anos.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE