PUBLICIDADE
CPLP

Amnistia Internacional espera maior proteção dos Direitos Humanos na Guiné Equatorial

23 | 07 | 2014   06.11H

A Amnistia Internacional disse hoje esperar que a situação dos Direitos Humanos na Guiné Equatorial melhore com a entrada do país na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

"Esperemos que a entrada da Guiné equatorial no grupo da CPLP faça com que o país adote reformas institucionais no sentido de uma melhor proteção dos Direitos Humanos" disse à agência Lusa a porta-voz da organização em Genebra, Nadia Boelhen.

A Guiné Equatorial, que pediu adesão ao bloco lusófono em 2010, entrou hoje na Comunidade de Países de Língua Portuguesa durante a décima conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, que decorreu pela primeira vez na Ásia, no caso em Díli, Timor-Leste.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE