PUBLICIDADE
CPLP

Se Portugal não apoiasse entrada da Guiné Equatorial ficaria isolado - Martins da Cruz

23 | 07 | 2014   10.10H

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros António Martins da Cruz considerou hoje que se Portugal não concordasse com a entrada da Guiné Equatorial na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) teria ficado "isolado no seio da organização".

Em declarações à Lusa, o antigo responsável pela política externa portuguesa no mandato de Durão Barroso explicou que "se Portugal não concordasse com a entrada da Guiné Equatorial ficaria isolado no seio da CPLP", mas rejeitou a ideia de ter sido obrigado a aceitar.

"Portugal não foi obrigado a aceitar, foi traçado um roteiro para a Guiné Equatorial cumprir, e eles cumpriram, segundo o secretário executivo da CPLP, que foi encarregado de fiscalizar o cumprimento desse roteiro, e segundo todos os ministros dos Negócios Estrangeiros da CPLP, incluindo o português, na reunião de ministros em Maputo", em fevereiro.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:

1 comentário

  • Se alguém ainda tinha dúvidas que este país não presta, aqui está a prova. Quais direitos humanos? Qual dignidade? Qual honra? Qual defesa dos nossos princípios? Gente fraca. Muito fraca mesmo.
    anónimo | 23.07.2014 | 12.08Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE