PUBLICIDADE
caso esmeralda

Adelina Lagarto condenada a 2 anos de prisão

27 | 01 | 2009   17.14H

O Tribunal de Torres Novas decidiu ainda que a suspensão da pena fica condicionada à colaboração de Adelina Lagarto com a Justiça, no âmbito do chamado "caso Esmeralda".

Esmeralda, que faz sete anos em Fevereiro, foi entregue pela mãe, Aidida Porto, ao casal Luís Gomes e Adelina Lagarto quando tinha três meses de idade, num momento em que o pai, Baltazar Nunes, não tinha ainda assumido a paternidade, algo que só fez quando a criança tinha um ano.

Desde então, a guarda da menina foi disputada pelo pai e pelo casal, com quem viveu até ao final de 2008.

A 09 de Janeiro passado, o Tribunal de Torres Novas entregou a guarda definitiva de Esmeralda ao pai.

Luís Gomes já foi também condenado pelo sequestro e subtracção da menor, cumprindo actualmente uma pena suspensa.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Foto: Lusa
Lusa | © Lusa

23 comentários

  • Fiz ontem um comentário aqui que não foi publicado, sem qualquer razão, pois nada tinha de ofensivo, mas vou tentar repeti-lo.
    Diz a Srª. Natércia que:
    "alguns personagens
    valendo-se do anonimato,aqui neste espaço,dirigem-se depois para outros,fazendo cópias,e postando em tudo quanto é sitio.
    Aplaudidos,sentem-se valentes,e assinam,quando nem era necessário,porque pelos termos,e pelo estilo,facilmente são descobertos.
    Então,hoje tiveram aqui,o seu minuto de glória,mas foi só para mostrar,com qem estamos a lidar."
    Nada mais errado do que este pensamento. Só quem nada percebe de internet é que pode pensar assim. Quão fácil é arranjar pseudónimos e nomes fictícios. E, mesmo que seja o nome verdadeiro, para quem o lê na internet, em comentários, não passa de um nome fictício.
    A Sª. Natércia, podia põr aqui Miquelina ou Joaquina, que no fundo ia dar ao mesmo.
    Inclusive, posso arranjar um nome diferente todos os dias. Nada disso interessa.
    Portanto escrever como anónimo é o mais verdadeiro ,,,, porque anónimos somos todos.
    Só em casos muito limitados é possível a identificação ... mas nunca como comentador nem não vejo como.
    Por outro lado, ainda mais fácil é copiar artigos e colocá-los onde quer que seja. Qualquer pessoa pode fazer isso. Por isso nada me espanta que um meu artigo apareça noutro lado sem ter sido eu lá a colocá-lo.
    Por isso mesmo ... fazer acusações como s Srª. faz não têm o mínimo fundamento e só demonstra o seu mau carácter.
    Agora este comentário, se não for publicado aqui como não foi o de ontem, será publicado noutros lados. Estou de cabeça tranquila porque só disse a verdade.
    Anónimo | 07.03.2009 | 17.00Hver comentário denunciado
  • Ninguém pede à Esmeralda para branquear o seu passado e muito menos quem a rodeia lhe quer branquear o passado. O passado é dela e ela melhor que ninguém um dia vai julgar esse passado que muita coisa deve ter que só ela sabe e poderá julgar. O casal Gomes acolheu-a (melhor, adquiriu-a) e certamente que lhe deu amor, mas deu-lhe muita coisa mais : medos, tentou virá-la contra o pai, disse mal do pai, e mais que não sabemos etc. etc. e isso ela sabe melhor que ninguém e isso também não será branqueado. Ela, melhor que ninguém, um dia avaliará e julgará.
    Quem somos nós para julgar? Se pouco sabemos?? Quem sabe é ela.
    Mas para reconquistar u seu espaço, está no sítio certo, junto a seu pai, que é um homem com H grande, e certamente vai ajudá-la a ser criança e um dia a ser mulher.
    E a família dela também é importante.
    É que agora já não tem uma vida de "faz de conta", nem uns pais de "faz de conta" nem um nome de faz de conta e isso vai ajudá-la muito.
    (este comentário foi censarado no Blogue poresmeralda por isso coloco-o aqui)
    Anónimo | 06.02.2009 | 13.35Hver comentário denunciado
  • A menina foi registada com o nome de Esmeralda
    - A menina foi entregue ao casal para futura adopção? Não, porque sem o assentimento do pai, não pode haver adopção. A Esmeralda nunca foi adoptável e o casal Gomes sabia disso muito bem.~
    O pai sempre a reconheceu, assim que soube que era ele o pai.
    É uma rotunda mentira dizer que:-uma vez que o pai não a quis reconhecer
    - O casal, crente num futuro risonho para eles e para a menina, intentaram em lhe dar o nome de Ana Filipa aos 3 meses de idade!! -O casal não o podia ter feito, porque sabia que a Esmealda não era adoptável, nem nunca foi.
    - A menina sempre se reconheceu como Ana Filipa: foram 6 anos assim?? Falso. Foram 6 anos com dois nomes pois nunca perdeu o seu nome verdadeiro, de tal modo que Esmeralda devia ter chegado a um ponto de já nem saber quem era.
    Certo é que ela escolhe ficar com o seu nome. Mas nem podia ser de outra forma. Não se muda o nome às pessoas como se elas fossem bichos.
    - Porque é que se tem que apagar 6 anos de memória? Incomodam assim tanto? Claro que sim. Como incomodaria qualquer de nós que fosse chamado sem ser com o seu nome. Mas, mais importante que isso é a vontade da própria Esmeralda em ser chamada pelo seu nome.
    Reipeitemos-lhe a vontade.
    - Não seria nesta altura mais positivo assentar a vida da Esmeralda na coerência do passado e do presente? Não, porque o passado é traumático, e ela quer esquecê-lo, pelo menos as partes màs desse passado.
    E não é chamar-lhe dois nomes (em que um não existe) que ajudamos Esmeralda a recuperar a sua personalidade.
    - Já alguém pensou sèriamente nos possíveis julgamentos que algum dia ela pode fazer? Já, e não é de estranhar que os faça se não lhe respeitarmos a vontade.
    Tenho dito.
    Vocês não pulicam este comentário como não publicaram outros do mesmo teor ... e os outros è que fazem censura. No Blogue poresmeralda é que fazem censura como se vê. Não faz mel ... publico este comentário em outros lugares da net.
    Dado que não é ofensivo para ninguém e só contèm verdades.
    Mas é por conter estas verdades é que é tão incómodo para vós.
    Anónimo | 06.02.2009 | 10.00Hver comentário denunciado
  • Tantas opiniões desmioladas. Mas nada disso interessa. O que interessa realmente é que Esmeralda está onde há muito devia de estar :-Com o Pai.
    Não importa o que digam, não importam petições absurdas e com falta de credibilidade.
    O que importa realmente é que uma filha está com o seu pai.
    Portanto, podem estrebuchar, podem ficar raivosas ,,,, nada disso vai mudar a situação.
    E o que importa para a posteridade, não é o que dizem muitas cabeças desmioladas .... é o que está escrito em conclusões NO TRIBUNAL. E isso que conta e é isso que um dia a Esmeralda vai saber ... mas o mais importante já sabe, sabe que tem um pai que nunca desistiu dela.
    O resto que digam ou façam, não importa.
    Podem chamar-me nomes que não me afectam. Eu é que sei quem sou, o que sou, porque sou e como devo ser no futuro.
    Não é com atoardas que convencem ninguém e menos quem está convencido da razão, da justeza e da justiça da posição que defende.
    Não queiram vitimizar agora os Gomes, quando eles fizeram durante tantos anos o Baltazar de vítima e a pequena Esmeralda de arma contra seu pai.
    Haja decoro.
    Álvaro | 03.02.2009 | 12.07Hver comentário denunciado
  • Pergunta:
    No blogue Esmeralda-sim,escrevem pessoas decentes???
    Resposta:
    Não,quem escreve,com ódio,destempero,agresssividade,e sentimentos tão negativos,não pode ser, nem decente,nem humano.
    Sr Álvaro,reveja o seu discurso.
    Anónimo | 03.02.2009 | 09.36Hver comentário denunciado
  • Porque é que este Pai nunca foi processado por abandono?
    Este caso, que sirva de exemplo, aos nossos legisladores. Castigam também os pais que abandonam bebés. 1 ano de abandono pode ser fatal para um ser tão pequeno.
    Silvia Pereira | 02.02.2009 | 23.19Hver comentário denunciado
  • A Esmeralda está muito feliz por estar com o pai. Agora que está livre do cativeiro e das pressões em que sempre se encontrou é finalmente feliz e pode ser livre e expressar o verdadeiro amor que sente pelo seu pai. Pode finalmente conhecer a sua família e sentir o amor à sua volta.
    Até aqui, tinha uma vida de "faz de conta" uma família de "faz de conta" um nome de " faz de conta" uns pais de "faz de conta" . NENHUMA CRIANÇA ASSIM PODE SER FELIZ, A Esmeralda não quer, nunca quiz ... essa vida. Foi obrigada.
    Agora é que tem a sua vida e é feliz.
    Álvaro | 01.02.2009 | 12.31Hver comentário denunciado
  • Eu não escrevo besteiras, mas respondo tão-somente às besteiras que outros escrevem, incluindo a senhora, que se me dirigiu.
    Comentar um caso em que defendi o lado da razão e da verdade, da justiça, em suma, não foi demais. Fui contundente, mas houve quem o fosse muito mais, inclusive por parte dos que apoiavam e apoiam o casal Gomes, que andaram fugidos e desobedeceram à lei e à justiça e como tal foram condenados.
    Mas que eu saiba nunca me dirigi a si.
    Eu posso não ser expert em análise do comportamento humano, mas para analisar o seu não é preciso nenhum expert. E deixe que lhe diga .... deixa muito a desejar.
    Continue a defender o indefensável, que vai no bom caminho.
    Mas eu que nunca lhe dirigi palavra, não sei qual é o seu interesse em provocar-me.
    Voçê que parece perceber muito de Blogs ... afinal não percebe nada.
    Se reparar, eu até fui dos que menos escrevi no Blogue. Mas a senhora embirrou comigo... vá-se lá saber porquê.
    Já lhe disse e repito ,,, remeta-se à sua insignificância e largue-me a labita.
    A forma como ocupo o meu tempo é comigo. Não tenho que lhe dar satisfações.
    Passe bem
    Álvaro | 31.01.2009 | 23.25H
  • Oh,senhores !Qual alma penada eis que renasce das cinzas o famoso,o exemplar,expert em análise do comportamento humano(acho que devia analisar o seu)srÁlvaro.
    O blogue não é seu mas podia ser ,o sr não se limitou a escrever idoneamente,foi mais além.
    Sem julgar,porque especialista é o sr,posso com certeza dizer que funestas foram as suas opiniões sobre pessoas que nem conhece.
    Se o blogue não é seu,desculpe pareceu,tal foi o empenho com que defendeu as idéias expostas lá.
    Se o blogue não é seu,desculpe pareceu,nenhum dos seus
    comentários foi censurado.
    O blogue até pode nem ser seu,mas é de pessoas,com um discurso igual ao seu,pensamentos como os seus,e com idéias retrógadas como as suas.
    Tem muito tempo,se quiser aceitar a minha sugestão,em vez de andar por ai a escrever besteiras,esteja quieto que ganha mais,ou então,vá fazer qualquer coisa util para a sociedade.
    Adeus e até nunca mais.
    Elisabeth | 31.01.2009 | 22.19Hver comentário denunciado
  • Oh! Dona Elisabeth:
    1º. O blogue não é meu. Escrevo lá como qualquer pessoa decente, pode escrever. Aliàs como escrevo noutros.
    2º. O que faço aqui é da minha conta. Mas em todo o caso faço o mesmo que a senhora. Tempo é o que mais tenho de sobra.
    3º A senhora não tem nada com isso, de modo que meta-se na sua vida.
    4º Disse que não falaria mais sobre o caso. Mas apeteceu-me. Ainda mais quando vejo coisas estúpidas escritas por gentinha como você. Que, diga-se em abono da verade, não escrevi para a senhora. Se se picou, o problema é seu. Devia era ficar caladinha e não dizer mais uma besteiras.
    5º Ainda não explorei ninguém. Não é agora que vou explorar velhinhos. Talvez a Elisabeth saiba o que isso é.
    6º.Sabe o que eu penso sobre o assunto? Ainda bem. Pelo menos sabe que me interessei pelo bem-estar de Esmeralda. Agora que sei que está bem, sinto-me mais satisfeito.
    7º Aquele blogue (que a senhora, na sua funesta opinião chama de baderna) só fechará quando os seus autores entenderem. Não sou eu que o determino, e muito menos a senhora.
    8º. Decentes? Somos todos; menos aqueles que pensam que andar fugidos e desobedecerem às leis do país é uma forma saudável de convivência social. A senhora inclui-se neste último segmento? ... tenho muita pena da sua decência.
    9º A Senhora fazia melhor estar calada ou então nâo se me dirigir, porque me obrigou a responder-lhe, coisa que era desnecessária.
    Depois disto tudo espero que se remeta à sua insignificância.
    Álvaro | 31.01.2009 | 17.31Hver comentário denunciado
  • Oh! Dona Elisabeth:
    1º. O blogue não é meu. Escrevo lá como qualquer pessoa decente, pode escrever. Aliàs como escrevo noutros.
    2º. O que faço aqui é da minha conta. Mas em todo o caso faço o mesmo que a senhora. Tempo é o que mais tenho.
    3º A senhora não tem nada com isso, de modo que meta-se na sua vida.
    4º Disse que não falaria mais sobre o caso. Mas apeteceu-me. Ainda mais quando vejo coisas estúpidas escritas por gentinha como você. Que, diga-se em abono da verade, não escrevi para a senhora. Se se picou, o problema é seu. Devia era ficar caladinha e não dizer mais uma besteiras.
    5º Ainda não explorei ninguém. Não é agora que vou explorar velhinhos. Talvez a Elisabeth saiba o que isso é.
    6º.Sabe o que eu penso sobre o assunto. Ainda bem. Pelo menos sabe que me interessei pelo bem-estar de Esmeralda. Agora que sei que está bem, sinto-me mais satisfeito.
    7º Aquele blogue (que a senhora, na sua funesta opiniãi chama de baderna) só fechará quando os seus autores entenderem. Não sou eu que o determino, e muito menos a senhora.
    8º. Decentes? Somos todos; menos aqueles que pensam que andar fugidios e desobedecerem às leis do país é uma forma saudável de convivência social. A senhora incli-se neste último segmento ... tenho muita pena da sua decência.
    9º A Senhora fazia melhor estar calada ou então nâo se me dirigir, porque me obrigou a responder-lhe, coisa que era desnecessária.
    Depois disto tudo espero que se remeta à sua insignificância.
    Álvaro | 31.01.2009 | 16.54Hver comentário denunciado
  • Ó sr Álvaro você não disse lá no seu blogue ontem ou anteontem que não falaria mais sobre este caso nem lá nem em qualquer outro lado.O QUE ANDA AINDA AI A FAZER ?
    Và mas é pregar para outra freguesia,que estamos fartos de saber o que você pensa.Vira o disco e toca o mesmo,vá lá ajudar no seu blogue desta vez, a explorar velhinhos.Fechem mas é aquela baderna.Sejam decentes.
    Elisabeth | 31.01.2009 | 12.59Hver comentário denunciado
  • Oh Silvia isso seria assim com passoas normais. Mas desde que os Gomes não são pessoas normais, não é nada disso que se passa. O que se passa é que a Esmeralda quer esquecer o mais depressa possível os sete anos de cativeiro e de pressão psicológica que sofreu.
    O Casal Gomes só está a colher o que semeou ao longo destes sete anos.
    Pense bem e não diga asneiras.
    Mas veja a felicidade que Esmeralda sente no seu (dela) novo ambiente em que ele se sente finalmente livre.
    Álvaro | 31.01.2009 | 10.34Hver comentário denunciado
  • Eu suspeito, que as pessoas que apoiam o Baltazar, e que convivem de perto com esta criança, estejam a dizer do piorio contra o casal. E, acredito piamente que está a ser manipulada, e a sofrer. É claro que a criança, não quer que o paizinho de afecto, seja preso novamente, pois a criança já vi de perto o que o Tribunal, pode fazer às pessoas que ela ama. E penso que é por isso, que nas horas que bate a saudade, ela não revela a ninguém. Pois, não acredito, que esta criança não sinta saudades do casal, que a acolheu desde dos 3 meses de idade. Sete anos, não se apagam de um dia para o outro. A criança, só está a recalcar sentimentos, para que mais ninguém faça mal às pessoas que ela conhece e ama desde bebé.
    SILVIA | 29.01.2009 | 23.39Hver comentário denunciado
  • O casal Gomes, por actos e omissões, está a "deitar-se na cama" que engendrou durante anos. À Justiça o que é da Justiça e esta pronunciou-se em relação a ambos e muito claramente. Bem podem vir com "falas mansas" de quem manifestamente nunca mostrou arrependimento do seu acto primeiro, "chegar a uma criança por acordo particular", nas condições que os acórdãos nos revelam. Palavras como o "virar de página" e "pontes de diálogo", fariam sentido se não viessem donde vêm. O casal, a meu ver, estará "por perto" da criança se e só esta o quiser com a atenta vigilância (e concordância) de quem cumpre proteger a menor, que passa pelo seu pai, pela pedopsiquiatra e pelo tribunal. A criança merece ser feliz, como qualquer de nós.
    Marta tavares | 28.01.2009 | 13.38Hver comentário denunciado
  • Raios me partam...se entendo este País...e algumas atitudes dos justiceiros de dia...!
    25 do 4 | 28.01.2009 | 00.05Hver comentário denunciado
  • Bom,desta vez a justiça funcionou..ainda bem,senão era o descrédito geral!e que sirva de exemplo-o crime de facto, NÃO COMPENSA!
    paulo sousa | 27.01.2009 | 22.13H
  • Cara amiga Dona ANA MARIA "Se tivesse abandonado à fome, uma criança recem nascida, não tinha pena nenhuma e ainda recebia 30 000 euros de indeminização"! A Senhora por acaso já analisou o que disse! Não disse precisamente nada! Para quê fazer um comentário destes. Primeiro informe-se depois faça na mente uma opinião. A seguir é só descrevê-la. Assim não!
    Vai mais um copo de 3»»»
    DIONISIO | 27.01.2009 | 21.54Hver comentário denunciado
  • Se tivesse abandonado à fome, uma criança recem nascida, não tinha pena nenhuma e ainda recebia 30 000 euros de indeminização
    ana maria | 27.01.2009 | 21.19Hver comentário denunciado
  • Adelina Lagarto foi absolvida do crime de sequestro, de que estava também acusada, e do pagamento de verbas por danos não-patrimoniais a Baltazar Nunes, já que o pai de Esmeralda havia recebido 30 mil euros de indemnização referentes à condenação de Luís Gomes. Calma tem que se ler tudo cara amiga /o LFG! O Senor/a diz: É justo, tem que haver quem dê um sinal claro de que o rapto de pessoas não é crime impune. Só estou a alertar pois sempre fui a favor da criança ser entregue ao pai biológico.
    Vai mais um copo de 3»»»
    DIONISIO | 27.01.2009 | 20.47H
  • É justo, tem que haver quem dê um sinal claro de que o rapto de pessoas não é crime impune.
    lfje | 27.01.2009 | 20.10H
  • De certeza que era condenada com menor pena se deita a menina no caixote de lixo mais perto.Isto de julgar terceiros é muito fácil.O indivíduo que agora a tem queria era mais dinheiro pois ele e o advogado estão ávidos
    ricardo | 27.01.2009 | 18.38H
  • Só dois anos e pena suspensa!
    LS | 27.01.2009 | 17.49H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE