PUBLICIDADE
Campanha contra o tabagismo

'Troika o cigarro por uma vida saudável'

29 | 10 | 2014   15.41H

Porque o tabaco castiga também a carteira, a Pulmonale, Associação Portuguesa de Luta contra o Cancro do Pulmão, lança um desafio: deixar de fumar para poupar.

Destak | destak@destak.pt

Aproveitando o Dia Mundial da Poupança, que se assinala esta sexta-feira (31 de outubro), a Pulmonale alerta para os riscos do tabaco, responsável pela maioria de casos de cancro do pulmão em Portugal e que todos os anos vitima cerca de 3.500 pessoas.

“Troika o cigarro por uma vida saudável” é o mote da campanha que a associação vai lançar e que chama a atenção para os custos económicos do tabaco. É que, para além dos custos para a saúde, acarreta encargos económicos.

Um inimigo perigoso

Em 2011 foram diagnosticados em Portugal mais de 4.000 novos casos de cancro do pulmão dos quais 3.514 morreram. Por cá, a mortalidade por doenças atribuíveis ao tabaco é de cerca de 10%, sendo este responsável por 33% das mortes por doença respiratória.

2 comentários

  • PORTUGUESES...não se deixem enganar por essa turma antitabaco. O ministro da saúde da Tchecoslováqui, veio na TV, dizendo que lá ninguém mais mexe com os fumantes, pois eles pagam 10 vezes mais do que gastam com saúde. DIGAM NÃO, a esses antitabagistas portugueses, eles querem apenas se promover, é pessoal deles mesmo, assim como no Brasil, tem a ACt-Aliança Controle Tabagismo, com tentáculos somente em países frágeis e ganham dinheiro do Bloomberg. Abram o olho com esses antitabagista, que são uma praga para a democracia e, só fazem aumentar a violência e a corrupção.
    Paulo César Machado | 31.10.2014 | 16.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Os custos econômicos dos fumo subiram por causa de normas legais, bem como por aumentos compulsórios da carga tributária. Não aceito esse argumento
    Claudio D'Amato | 31.10.2014 | 11.48Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE