TOMI

Painéis digitais invadem 19 estações do Metro

19 | 11 | 2014   11.05H

Os TOMI já chegaram ao Metropolitano de Lisboa e pretendem facilitar as vidas das pessoas que se desloquem na cidade.

Diogo Marcelo | diogomarcelo@destak.pt

Os utilizadores do Metropolitano de Lisboa já podem, a partir de agora, ter acesso a um outdoor interativo com informações da cidade nas estações de Metro. O projeto chama-se TOMI e já está disponível em 19 estações da rede do metropolitano da capital.

Estes painéis digitais procuram disponibilizar às pessoas informações de proximidade, como notícias da cidade ou saber mais sobre eventos culturais que estejam a decorrer na capital. Dividido em quatro áreas distintas (Diretório, Notícias, Agenda e Transportes),
os TOMI permitem que todos consigam interagir através do toque, podendo obter direções, reservar bilhetes para um espetáculo ou tirar uma selfie, para depois partilhar.

«É importante que as pessoas percebam que o TOMI é de fácil acesso e interação e que não precisam de perder muito tempo, o que facilita a transmissãode informação», afirmou
José Agostinho, um dos responsáveis deste projeto, oriundo de Viseu. O TOMI surgiu através de uma parceria entre o Metro de Lisboa, a Multimedia Outdoors Portugal
e a TOMI World, que pretende disponibilizar um equipamento totalmente aberto às pessoas, de forma apromover a cidade de Lisboa.

Foto: João Ferrão
Painéis digitais invadem 19 estações do Metro | © João Ferrão

1 comentário

  • 25 DE ABRIL SEMPRE FASCISMO/ SOCRATISMO/COELHISMO/ PORTISMO, NUNCA MAIS: O golpe de estado em 25 de Abril de 1974, conhecido por Revolução dos Cravos, teve como objectivo principal a solução política da guerra colonial, e em segundo plano a implantação em Portugal de um regime democrático. A definição desse regime não foi consensual entre as diversas facções partidárias e movimentos sociais e políticos que surgiram então. Com a adesão espontânea de grande parte da população das principais cidades do País, o Golpe de Estado transformou-se em processo revolucionário (PREC). Na noite de 25 de Abril de 1974 o MFA deu a conhecer à população portuguesa o seu Programa político e militar, o qual comportava diversas medidas de carácter político, jurídico, social e económico. O Programa do MFA não apontava para qualquer tipo específico de regime democrático mas, em contrapartida, no seu ponto 6 apontava para uma reorganização social do País de tipo socialista (ou no mínimo socializante), anti-monopolista e favorável às classes e camadas sociais mais desfavorecidas. Foi sobretudo a favor ou contra estas provisões do Programa do MFA que a luta política, social, ideológica, económica e militar - a luta de classes - se iria desencadear. E ainda permanece entre nós... ao nível de historiadores, politólogos, especialistas de relações internacionais, políticos profissionais ETC….
    RIC | 25.11.2014 | 09.26Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE