Teste

Ao volante do Audi S1, o mini ‘diabo’ que é um 'às' na chuva

19 | 11 | 2014   15.45H

Testámos o novo Audi S1 Quattro, o regresso do lendário carro de ralis dos anos 80.

João Tomé | jtome@destak.pt

É pequeno no tamanho mas explosivo ao volante. O Audi S1 Quattro está de volta depois de um passado rico no mundo dos rallies nos anos 80.

Com tração às quatro rodas, a Audi apimentou o seu modelo mais pequeno, o citadino A1, com o motor 2.0 TFSI de 231 CV (o mesmo do VW Golf GTi). O resultado é não só estéticamente mas também a nível de experiência desportiva notável.

Conduzimos a versão de cinco portas (Sportback), com pneus de baixo perfil, várias referências ao nome mítico S1, jantes de 18, travões em vermelho e vários elementos agressivos, incluindo o volante ‘cortado’ por baixo e pedais em metal.

O arranque diz-nos logo ao que vamos, cumpre dos 0 aos 100 km/h em 5,9 segundos e atinge um máximo de 250 km/h. A Audi deu-lhe muita potência e nervosismo no arranque, que nunca nos deixa ficar mal. Graças ao motor de cilindrada elevada (a tendência nos pequenos desportivos tem sido em reduzir a cilindrada) temos excelentes recuperações - útil nas ultrapassagens - e a aposta é ganha.

A suspensão é perfeita para as curvas (nem por isso para o conforto), garantindo um excelente equilíbrio constante e boas sensações na hora de sentir a força centrífuga e o movimento do automóvel a curvar.

Com uma direção bem direta, como se quer num desportivo, é possível saborear a estrada e divertirmo-nos curva sim curva não. A agilidade do S1 (é muito leve e com uma boa aerodinâmica) conjugada com a tração às quatro rodas dá-nos uma sensação de segurança quando abusamos mais do acelerador, mesmo com o piso molhado, tão habitual com a chegada do inverno.

Em vários desportivos é fácil sentirmo-nos inseguros quando a chuva chega - uma aceleração mais brusca pode tirar-nos o controlo do carro (da forma menos desejada...). Não é o caso do S1.

Mesmo com as ajudas desligadas é fácil manter o controlo e quando se procura perder aderência dos pneus de propósito (o que não deve ser feito numa estrada aberta) não é difícil encontrar o caminho para 'porto seguro' muito graças à tração integral.

Para desportivo os consumos até são razoáveis, com valores médios de 8 e 9/100km, se não abusarmos das acelerações. Nesta versão de cinco portas custa €39.540, menos quatro mil do que o Golf GTi. Um carro muito pequeno com poder de fogo impressionante.

Saiba mais sobre:
Foto: João Tomé
Ao volante do Audi S1, o mini ‘diabo’ que é um 'às' na chuva | © João Tomé
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE