Turismo de Portugal

Greve da TAP põe interesses particulares à frente dos coletivos

11 | 12 | 2014   12.22H

O presidente do Turismo de Portugal, João Cotrim de Figueiredo, disse hoje que a greve de quatro dias na TAP põe "os interesses particulares à frente dos interesses coletivos", considerando que o setor vai "certamente ser prejudicado".

"Não me quero meter naquilo que é uma disputa laboral entre sindicatos e empresa, mas se os motivos forem a oposição mais ou menos abstrata ao projeto de privatização da empresa, sem o conhecer, e se isso resulta numa greve de quatro dias, só pode significar que a defesa de uma ideia particular está a prejudicar não só todos os portugueses que nessa altura do ano se deslocariam para o estrangeiro como muitos estrangeiros que gostariam de se deslocar a Portugal nessa altura", disse João Cotrim de Figueiredo, à margem das Jornadas de Empreendedorismo, a decorrer em Lisboa.

Em declarações à Lusa, o presidente do Turismo de Portugal considerou que "não é bom quando os interesses particulares se põem à frente dos interesses coletivos".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
Foto: DR
Greve da TAP põe interesses particulares à frente dos coletivos | © DR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE