Qualidade do Ar

Lisboa tem de 'respirar' melhor

07 | 01 | 2015   12.46H

Portugal tem de cumprir, desde o início do ano, os limites mínimos dos níveis de qualidade do ar na capital.

Diogo Marcelo | diogomarcelo@destak.pt

A qualidade de ar no centro de Lisboa tem «melhorado ligeiramente», mas os problemas continuam, especialmente nos limites relativos ao dióxido de azoto e às partículas PM10, que são dispersas pelo ar. 

A Área Metropolitana de Lisboa Norte é uma das zonas mais afetadas do País, e se até agora tinha uma espécie de ‘perdão’ no cumprimento dos valores mínimos, esse prazo terminou.

«A partir de 1 de janeiro de 2015, Portugal tem de cumprir os valores mínimos [de qualidade do ar] estipulados pela Comissão Europeia», revelou ao Destak Mafalda Sousa, da Quercus. 

Segundo esta responsável, Bruxelas está a analisar a prática portuguesa e poderá aplicar sanções, por certas emissões ultrapassarem limites europeus. Em 2013, ressalva a ambientalista, a qualidade do ar no centro de Lisboa, registou melhorias, mas continuaram a existir excedências. 

Alguns equipamentos de medição haviam estado desligados (o que também motivara uma queixa da Quercus) mas estão de novo a funcionar, e registaram casos «em que os limites do dióxido de azoto e das partículas dispersas no ar foram ultrapassados». Os dados de 2014 ainda não estão compilados. 

A Avenida da Liberdade e a Baixa são os polos mais problemáticos,com Benfica também a registar excedências dos limites da qualidade do ar. «É preciso mais iniciativas para aumentar a qualidade do ar em Portugal», frisa.

GASES PREJUDICIAIS À SAÚDE

DIÓXIDO DE AZOTO Também conhecido como dióxido de nitrogénio, este gás é irritante para os pulmões e diminui a resistência às infeções respiratórias. A exposição continuada a
níveis elevados pode provocar problemas respiratórios em crianças e grupos de risco como os asmáticos.

EMISSÕES REDUZIDAS

MEDIDA IMPORTANTE A responsável da Quercus revela que a 3ª fase da Zona de Emissões Reduzidas, que entra em vigor a 15 de janeiro de 2015, é importante mas tem de se fazer mais, como implementar uma política de uso dos transportes públicos ou apostar no uso de combustíveis menos poluentes.

Saiba mais sobre:
Foto: Jorge Godinho
Lisboa tem de 'respirar' melhor | © Jorge Godinho
Avenida da Liberdade e Baixa são os polos mais poluentes da cidade

1 comentário

  • Ok…ok Então é assim: o meu Citroen 2CV de 89 polui mais que um Ferrari de 2014? Para que serve então a inspeção automóvel? Se isto não é segregação económica então é o quê? E se eu tiver de levar alguém de urgência para São José ou para Santa Marta…multam-me? E então os autocarros e táxis antigos que poluem a olhos vistos? Estas grandes cabeças pensantes só pensam em seguir os normativos europeus, mas esquecem-se da realidade do pais e dos salários miseráveis que são pagos à maioria dos portugueses. Com governantes assim, estamos bem lixados. Costa! Vais morrer na praia amigo…já eras!
    Carlos Dias | 16.01.2015 | 16.24Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE