Actualidade

Militar venezuelano na clandestinidade pede à ONU que interceda junto de Caracas

30 | 01 | 2015   04.06H

O ex-general do Exército venezuelano António Rivero, na clandestinidade há quase um ano, apelou quinta-feira à Organização das Nações Unidas em Nova Iorque, Estados Unidos, para que interceda a seu favor perante o Governo do Presidente Nicolás Maduro.

"Enfrento uma injustiça, não me vou entregar, não me ajoelharei, não me rendo. Terão que deter-me nesta circunstância, na clandestinidade, mas não me vou entregar porque não acredito na justiça (venezuelana)", disse aos jornalistas.

Segundo o jornal venezuelano El Tiempo, António Rivero, explicou que no último ano não viu a sua família e que saiu da Venezuela com a ajuda de "algumas pessoas, principalmente de organismos de segurança" que ajudaram na fuga.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Deve ser mais um Spinola, um bombista do MDLP que o Sóares protegerá. Os traidores e vendidos em todo lado são iguais.
    Jeremias | 30.01.2015 | 09.24Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE