Mark Williams

«O Mindfulness é tão bom como os antidepressivos»

14 | 04 | 2015   13.01H

Se sente que a sua vida lhe foge ao controlo, que os dias se transformaram numa correria constante, então o plano de oito semanas de ‘Mindfulness’, de que Mark Williams, professor de Psicologia Clínica na Universidade de Oxford, é um dos autores (e que se encontra publiaco no livre Mindfulness - Atenção Plena, da Lua de Papel), pode ser a solução. Parece, como diz o próprio em conversa com o Destak, uma coisa de hippies, mas aqui é a ciência que prova que a tranquilidade e o bem-estar se conseguem com exercícios simples e rápidos. E com efeitos duradouros.

Carla Marina Mendes | cmendes@destak.pt

É um homem da ciência, mas isso não o impediu de escrever um livro sobre meditação. O que o levou a tratar cientificamente este tema?

Qualquer pessoa pode dizer que a meditação é uma coisa maravilhosa, que faz muito bem, mas o difícil é prová-lo. Por isso, criámos um programa de oito semanas, convidámos as pessoas a participar e seguimo-las ao longo de um ano. Com isso identificámos metade das taxas de depressão naqueles que tinham tendência para estar deprimidos, provando que esta é uma boa ferramenta de prevenção. E agora já está a ser usada pelos casais que vão ter bebé e pelas crianças nas escolas, já que as torna mais atentas.

O que é que acontece no fim das oito semanas do plano de que é coautor?

Há alterações no cérebro, que resultam da mudança da relação das pessoas com os seus pensamentos – não os levam tanto a sério e isso é libertador. Os resultados científicos mostram que o ‘Mindfulness’ diminui a taxa de depressão, de exaustão e stress nos 12 meses seguintes ao final do plano.

Afinal, o que é o ‘Mindfulness’?

É a tradução de uma palavra antiga que significa atenção plena, estar consciente das coisas à medida que elas acontecem, consciência do que se passa à nossa volta, mas também do mundo interior, que não se mistura com a necessidade frenética de chegar a algum lado.

E é assim tão difícil ter essa consciência?

É muito difícil sobretudo nos dias de hoje porque há muitas pressões e stress, estamos todos disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana. Por isso, é muito difícil desligar. O resultado é a correria constante de uma coisa para a seguinte, de um e-mail para outro, sem nos apercebermos do que estamos a sentir ou se era aquilo que queríamos fazer. Muitas vezes perdemo-nos na satisfação das necessidade dos outros, em vez de fazer o que é bom para nós.

Foi fácil convencer a comunidade científica das vantagens da atenção plena?

O ‘Mindfulness’ parece estranho, uma coisa de hippies, muito new age. Por isso, pensámos que os nossos colegas seriam muito céticos, como nós fomos no início. Mas porque fizemos um ensaio clínico e vários estudos, há evidência clínica. As imagens mostram que após o curso de oito semanas a parte do cérebro que costuma estar envolvida na produção de uma resposta ao medo e outras emoções negativas muda. À medida que as pessoas se tornam mais calmas, vemos o cérebro a mudar.

Atualmente o ‘Mindufulness’ é também recomendado pelo Serviço Nacional de Saúde britânico...

Tornou-se parte dos cuidados strandard, o que significa que tem que estar disponível para os que têm episódios recorrentes de depressão.

Pode ser uma alternativa à medicação?

Pode. Há atualmente três estudos a decorrer que comparam esta terapia com os antidepressivos e confirmam que é pelo menos tão bom – e até mesmo um pouco melhor – que estes medicamentos. Mas se a pessoa tem medo de deixar a medicação, pode fazer ambos até se sentir forte.

A quem é dirigido este livro? 

Foi especificamente escrito para levar este tema da clínica para o resto do mundo, para que toda a gente possa tirar daqui os benefícios que desejar. Para que não seja apenas um livro sobre depressão, ansiedade. Para aqueles que sentem que a sua vida lhes está a fugir ao controlo, então aqui estão formas simples para o tentar recuperar. Não é uma panaceia, nem é para todos ou em todos os momentos da vida.

Foto: João Ferrão, Destak
«O Mindfulness é tão bom como os antidepressivos» | © João Ferrão, Destak

12 comentários

  • C est la lettre d Eva Joly qui a le plus satisfait. http://lenitsky.com/albom-lenitsky-budu-tvoim-ne-z a-gorami/ C est aussi la culture du compromis.
    PipaVex | 13.10.2015 | 02.18Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • A frase da semana no Destak é: "Os neurónios não se comunicam". A autora é a Inês ...
    :-) | 17.04.2015 | 14.20Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • tenho uma vizinha que mora no andar de cima que anda de tacões até o barulho dos tacões incomoda-lhe , pessoas com depressão não suportam barulhos, qualquer coisa incomoda-lhes , até um objecto que cai no chão é muito complicado para a cabeça deles.
    Inês | 14.04.2015 | 14.50H
  • eles estão sempre a dizer as mesmas palavras é como se fosse um disco riscado. Os neurónios não se comunicam.
    Inês | 14.04.2015 | 14.07H
  • eles são maldizentes.
    Inês | 14.04.2015 | 14.05H
  • não é fácil ter um familiar com esse quadro de depressão o problema é que eles não admitem que estão doentes, recusam tratar-se.
    Inês | 14.04.2015 | 14.03H
  • eles dizem que os vizinhos não os deixem dormir, quando o problema deles é a depressão. ( insónia ). chamam a PSP por causa dos barulhos. , eles ao chamar as autoridades estes deveriam ser internados numa unidade hospitalar psiquiátrica.. é esses trabalho que tem de ser feito. Muito obrigado
    Inês | 14.04.2015 | 13.58H
  • não é fácil viver com um familiar nessas condições
    Inês | 14.04.2015 | 13.51H
  • depressão- é um espinho na carne ( pecado). , rouba-lhes o sono, e estão sempre a dizer a mesmas coisas ( pensamento recorrente ) , porque carregam o fardo dos pecados O melhor médico para esta doença é Jesus Cristo, só através Dele que tem poder para perdoar-lhes os pecados.Eu sei disso porque infelizmente tenho um familiar nesse estado.
    Inês | 14.04.2015 | 13.49H
  • depressão- 5 HTP- vende-se nas ervanárias
    Inês | 14.04.2015 | 13.44H
  • Depressão- Vitaminas do Complexo B - não podem usar sempre o mesmo suplemento, porque cansa o organismo.
    Inês | 14.04.2015 | 13.42H
  • Depressão- 5 HTP .Este suplemento vende-se nas Ervanárias ..
    Inês | 14.04.2015 | 13.40H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE