Saúde

Casos de hepatite B e C diminuíram em Portugal no ano passado

24 | 07 | 2007   13.59H

Segundo o relatório das Doenças de Declarações Obrigatória 2002-2006, houve menos cerca de 70 casos de hepatites B e C em 2006 do que em 2005, quando se registaram 199 casos dos dois tipos de hepatites, doenças que podem desencadear cirrose ou cancro do fígado.

De acordo com a associação SOS Hepatites, estima-se que entre 150 a 170 mil portugueses estejam contaminados com o vírus da hepatite B e que outros 150 mil tenham a variante C.

No caso da hepatite C, o vírus não se manifesta, sendo o único sintoma o cansaço. A doença transmite-se através do sangue e os grupos de risco são os toxicodependentes, reclusos e ex-reclusos, as pessoas submetidas a transfusões de sangue antes de 1992 e os ex-combatentes (devido ao grande número de transfusões de sangue e à forma como levaram as vacinas necessárias).

Diarreias ou olhos amarelados são as manifestações da hepatite B, vírus que se transmite através do sangue e das relações sexuais desprotegidas.

No registo da Direcção-Geral de Saúde (DGS), em 2006 houve 42 novos casos de hepatite B e 88 novos casos de hepatite C.

No entanto, a DGS admite que o número de casos apresentados nesta publicação em relação a todas as doenças é inferior ao número de casos reais, visto que só tem em conta os casos declarados através do preenchimento do formulário da declaração obrigatória das doenças transmissíveis.

Destas doenças de declaração obrigatória, a tuberculose respiratória continua a ser a quem mais novos casos registados, mas os números da doença têm decrescido nos últimos anos.

Em 2006 registaram-se 2.478 novos casos, menos 123 casos do que no ano anterior.

Esta diferença acentua-se quando comparado o ano de 2002, em que houve mais 600 casos do que em 2006, o último ano contabilizado na publicação da Direcção-Geral de Saúde.

Com Lusa

Foto: DR
DR | © DR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE