Actualidade

Hong Kong mantém restrições em maternidades após fim de política de filho único na China

30 | 10 | 2015   05.35H

O secretário para a Alimentação e Saúde de Hong Kong, Ko Wing-man, disse hoje que é cedo para concluir se a abolição da política de filho único na China vai aumentar o número de partos de mulheres chinesas na região.

Ko Wing-man disse, no entanto, que a política do governo de Hong Kong, de não aceitar marcações de mulheres não locais nas maternidades vai continuar em vigor e que as restrições sobre a exportação de leite em pó para bebés vão também ser mantidas, segundo a Rádio e Televisão Pública de Hong Kong (RTHK).

A procura das maternidades de Hong Kong por mulheres do interior da China está relacionada com a capacidade de atendimento dos serviços de saúde e imigração para a antiga colónica britânica.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE