PUBLICIDADE
Actualidade

Jornalista francesa expulsa da China chegou a Paris

01 | 01 | 2016   05.38H

A correspondente na China do semanário francês L'Obs, expulsa pelo Governo de Pequim, na sequência de um artigo sobre a política repressiva aplicada em Xinjiang, vasta região da China ocidental de maioria muçulmana, chegou esta madrugada a Paris.

"Foi um mês e meio de incrível circo", declarou Ursula Gauthier à agência noticiosa francesa AFP, à chegada ao aeroporto Charles-de-Gaulle às 04:30 (03:30 em Lisboa), considerando a sua expulsão "absurda" e "incompreensível".

Ursula Gauthier, que anunciara ter sido informada no dia de Natal pelas autoridades chinesas de que seria expulsa do país a 31 de dezembro de 2015, figura como a primeiro jornalista estrangeira a ser expulsa da China desde 2012.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

3 comentários

  • Maceió,01/01/16 Senhores(as) O governo comunista da China é bárbaro.O mundo será melhor quado esses crápulas sairem do poder.Assassinaram milhões. Adriel Batista Correia de Melo
    Adriel Batista Correia de Melo | 01.01.2016 | 12.47Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • BELO PONTAPÉ não admite que lhe façam observações.Só êle tem direito a criticar.
    TOPAS? | 01.01.2016 | 12.21Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Estava lá ao serviço da secreta francesa para lançar confusão. Estavam à espera de quê? Talvez a França explicar essa filia em armar confusão com os muçulmanos, a mando de quem e para quê? Não há jornalistas independentes nos jornais europeus, não há jornalistas europeus que não sejam controlados pelas secretas. Achavam que os Chineses estavam a dormir? Eles ficham os olhos, mas não dormem e ainda bem.
    Belo pontapé | 01.01.2016 | 10.08Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE