PUBLICIDADE
Actualidade

Lisboa vai ter museu dedicado à história dos judeus em 2017

05 | 01 | 2016   13.43H

A Câmara de Lisboa avançou hoje que o Museu Judaico da cidade deverá abrir portas "no primeiro semestre de 2017" no Largo de São Miguel, Alfama, estando por definir a arquitetura e o modelo de gestão do espaço.

Numa resposta escrita enviada à agência Lusa, a autarquia referiu que o local foi escolhido por ser "emblemático para a comunidade judaica e para a própria cidade de Lisboa, na medida em que o bairro albergou a mais importante comunidade de judeus da Lisboa medieval".

A autarquia recordou que o presidente do município, Fernando Medina (PS), "deu continuidade a uma ideia que remonta ao mandato de João Soares [agora ministro da Cultura] e foi depois prosseguida também por António Costa [atual primeiro-ministro], no sentido de promover as condições para, num quadro institucional alargado, ser criado um equipamento museológico que evocasse a importância das comunidades judaicas para a identidade multicultural de Lisboa".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

3 comentários

  • Tudo o que preserve a nossa memória coletiva é de apoiar. E os judeus muito contribuíram em muitos aspetos da nossa longa História.
    M.Farid | 06.02.2016 | 15.56Hver comentário denunciado
  • Está explicado porque é que os moradores desse bairro têm todos aspecto de degenerados e anormalóides!
    Na minha terra não mandam! | 07.01.2016 | 08.44Hver comentário denunciado
  • Liminarmente contra. Portugal e Lisboa não precisam de museus a judeus. Eles já têm um espaço que usurparam aos árabes, que vão para lá e exponham a sua arte de furtar. Vergonhosa actuação de uma câmara "socialista".
    Fora daqui | 05.01.2016 | 15.08Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE