PUBLICIDADE
Governo

Função Pública em greve dia 29 se Governo não antecipar entrada em vigor das 35 horas

11 | 01 | 2016   17.50H

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas anunciou hoje uma greve nacional da administração central para 29 de janeiro, caso o Governo não recue na data de entrada em vigor das 35 horas na administração pública.

"O que está aprovado na Federação é uma greve nacional da administração central para o dia 29 de janeiro caso as propostas das 35 horas não sejam aprovadas no dia 15 [de janeiro] e se o PS não retirar a sua proposta que prevê a entrada em vigor [das 35 horas] em julho", disse à Lusa a coordenadora da Federação, Ana Avoila.

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas entregou hoje, no parlamento, um abaixo-assinado pela reposição das 35 horas de trabalho semanais na administração pública que contou com mais de 40 mil assinaturas, segundo Ana Avoila.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
Foto: DR
Função Pública em greve dia 29 se Governo não antecipar entrada em vigor das 35 horas | © DR

7 comentários

  • Onde estiveram estes sindicatos noa últimos 5 anos???? Acordaram agora???? Fdp
    C carlos | 17.01.2016 | 22.24Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • ANÓNIMO | 11.01.2016 | 23.11H, faltou o motorista dos Passos Coelho que traficava droga. Espermos que não tenha sido paga com o Orçamento de Estado, mas nunca se sabe.
    Pois, pois J. Pimenta! A dinâmica de sempre. | 12.01.2016 | 16.48Hver comentário denunciado
  • Primeiro passou a (má) fama de que o FP (funcionário público) é malandro: mas ninguém viu o FP ficar a trabalhar depois da hora em que podia sair de serviço; portanto mesmo que aprovem as 35 horas, pró FP significa que terá de trabalhar 40 a 45 horas semanais, porque anteriormente o governo institui aquilo que ninguém lhe passa pela cabeça que será: os OBJETIVOS; o sinónimo desses objetivos é parecido com a escravatura. O povo não tem a noção disso. As 35 horas é só placebo pró povo ficar 'assanhado' e com algum prurido algo doloroso no ponto onde o braço faz vértice com o antebraço. O povo não se preocupa com as horas que os ministros e assessores e deputados trabalham e se deslocam em viaturas topo de Gama com motorista e guarda costas, as viagens ao estrangeiro pagas pelo povo, comidas, bebidas, dormidas e c@g@d@s....! E o povo gosta, acha lindo, bate palmas, oferece flores, dá beijinhos, abraços para ficar na foto, etc. Mas com o FP procupa-se sim, é o malandro da fita, não trabalha, não faz nada, por isso o país não vai prá frente. Apelo a esse povo que acorde, abra os olhos e veja mais alto e mais longe do que 'eles' querem que vejam. Afinal, o FP não será exemplo pra ninguém, ou será? Os grandes, os que estão acima do FP, aqueles que fazem, aprovam e desaprovam as leis, serão exemplares melhores do que FP's, pois não?
    Anónimo | 11.01.2016 | 23.11Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Os funcionarios publicos nâo sâo mais que os outros ou em Portugal hà Portugueses de primeira e Portugueses de segunda , nâo posso meter toda a gente no mesmo saco, mas temos funcionarios publicos que nâo merecem o ar que respiram, sem conhecimento para a funçâo que desempenham, sem respeito, sem educaçâo muitos foram empurrados pelas ditas cunhas, nesta boycracia à Portuguesa nada mudou é por isso que todos querem mamar do estado como é o Zé que paga!Trabalhar 40 horas por semana como os outros e mais nada
    Lisboeta | 11.01.2016 | 21.38Hver comentário denunciado
  • Vão ver que no final este governo vai ser pior do que se pensa. Pode até que iguale o anterior em sacanagens ao povo. Que governem ainda mais para os poderosos, já há o exemplo do Banif.
    Alvaro | 11.01.2016 | 20.12Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Os trabalhadores têm motivo para demonstrarem o seu descontentamento, mas o governo goza ainda de um período de graças porque não se pode corrigir de um dia para outro todo o mal feito nesta área (e noutras), mais a mais, tendo em consideração a informação errada transmitida aos funcionários e à população em geral de que havia trabalhadores a mais em funções públicas, o que qualquer pessoa de bom senso sabe ser mentira. Com base nesta mentira não se substituíram os trabalhadores que foram saindo, convidaram-se outros a sair e ainda se colocaram alguns no quadro da mobilidade, uma medida absurda e que só poderá ser entendida como sendo apenas para justificar a ideia de que havia realmente gente a mais (ou para poupar algum dinheiro embora com prejuízo para os serviços. Eu por exemplo, estou à espera da renovação da minha carta de condução vai já para 9 meses. Será razoável?
    Mrsrosa55 | 11.01.2016 | 18.38Hver comentário denunciado
  • Os trabalhadores têm motivo para demonstrarem o seu descontentamento, mas o governo goza ainda de um período de graças porque não se pode corrigir de um dia para outro todo o mal feito nesta área (e noutras), mais a mais, tendo em consideração a informação errada transmitida aos funcionários e à população em geral de que havia trabalhadores em funções públicas, o que qualquer pessoa de bom senso sabe ser mentira. Com base nesta mentira não se substituíram os trabalhadores que foram saindo, convidaram-se outros a sair e ainda se colocaram alguns no quadro da mobilidade, uma medida absurda e que só poderá ser entendida como sendo apenas para justificar a ideia de que havia realmente gente (ou para poupar algum dinheiro embora com prejuízo para os serviços. Eu por exemplo, estou à espera da renovação da minha carta de condução vai já para 9 meses. Será razoável?
    Mrsrosa55 | 11.01.2016 | 18.35Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE