Imobiliário

Misericórdia do Porto quer reabilitar pelo menos 50 imóveis

22 | 01 | 2016   16.00H

A Santa Casa da Misericórdia do Porto (SCMP) vai candidatar ao programa “Reabilitar para Arrendar”, promovido pelo Governo, mais de meia centena de imóveis, num montante de 10 milhões de euros.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

“Este programa tem um horizonte de tempo de 15 anos com valor reembolsável de cerca de 90%. Na primeira fase, os capitais próprios da instituição são de 10%. Depois, o resultado dessa reabilitação – o arrendamento – vai ajudar a fazer o reembolso do financiamento”, explica o provedor, António Tavares, em comunicado.

O programa "Reabilitar para Arrendar" é gerido pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) que disponibiliza um simulador no qual os potenciais investidores poderão verificar os montantes mensais a pagar, bem como a renda condicionada que terão de praticar depois de concluídas as obras de reabilitação.

Esta linha de financiamento, disponível desde julho de 2015, tem uma taxa de juro fixa de 2,9% para empréstimos a 15 anos. Os empréstimos poderão atingir os 90% do valor total das obras de reabilitação que o proprietário se disponha a fazer, acima dos 80% inicialmente previstos. Os proprietários terão de conseguir, pelos seus meios, financiamento para os restantes 10%.

A Santa Casa anunciou que, na próxima segunda-feira, um edifício seu, na Rua Chã, n.º 98, vai já sofrer obras, sendo o primeiro a ser requalificado no âmbito do programa “Reabilitar para Arrendar” no norte do país.

“O imóvel destina-se a habitação, com a exceção de comércio no rés-do-chão, como definido no Programa de Financiamento”, frisou.

De acordo com o seu programa estratégico para 2016, a Misericórdia está a reabilitar outros edifícios “emblemáticos”, situados na Baixa do Porto, frisou.

“É o caso do histórico prédio situado na Rua Cândido dos Reis, nº 145, que irá funcionar como residência para estudantes, enquanto outra parte será destinada a serviços e comércio”, salientou.

O provedor lembrou que, no Porto, a Santa Casa é proprietária de “um imenso património de mais de 300 edifícios”, onde existem “mais de três mil habitações”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE