PUBLICIDADE
Globeleza

«Vejo o lado artístico e não apenas como um corpo nu»

02 | 02 | 2016   16.31H

Representar a maior festa do planeta como musa do Carnaval da Globo é «inexplicável, uma satisfação gigantesca e uma responsabilidade ainda maior», avisa a jovem eleita Globeleza. Pelo segundo ano consecutivo, a jovem nascida e criada em Paraisópolis personifica a época de folia que tanta fama dá ao nosso país irmão. Desta vez, a gravação dos separadores temáticos que animam a Rede Globo teve um gostinho diferente, pois que coincidiu com o dia de aniversário da beldade de 23 anos. Estudou Fisioterapia e Educação Física, foi rececionista e professora de dança, mas agora quer dar-lhe vontade de ter samba no pé.

O que sentiu quando foi eleita Globeleza em 2015?

Fiquei muito feliz e honrada em poder representar uma festa tão maravilhosa que é o nosso carnaval. O nervosismo também bateu, mas é uma alegria tão gostosa de sentir que isso só fez a minha energia ficar ainda mais intensa.

Mudou alguma coisa na sua vida desde então? Se sim, o quê?

Sim, mudou completamente. Voltei a estudar, intensifiquei meus treinos na academia, conciliando com aulas de dança, além de ganhar mais seguidores nas redes sociais e um reconhecimento com o meu trabalho como dançarina/coreógrafa. Recebo milhares de mensagens dos internautas, um carinho maravilhoso de se receber, principalmente das crianças, e pude conhecer pessoas incríveis tanto no mundo do samba quanto no meio artístico em geral. Descobri também uma vontade enorme de ser modelo. Só tenho a agradecer, estou amando tudo.

Quais os seus cuidados para manter a boa forma? Tem algumas dicas de beleza que nos possa revelar?

Como falei acima, meus treinos intensificaram e conciliei com aulas de dança. Isso ajuda muito a manter a forma e a saúde em dia. Não tenho muitos truques de beleza não...risos. Creio que toda mulher faça o seu ritual antes de dormir e eu faço o meu: passo vaselina nos pés, caso ele esteja ficando áspero e coloco uma meia, ajudando a ficar lisinho pela manhã. Tenho um cuidado a mais com o rosto, lavo, tonifico, hidrato e uso muito hidratante no corpo todo.

Precisou de fazer alguma preparação para ser a Globeleza, se sim qual? Como é estar tantas horas a pintar o corpo antes de gravar a vinheta? Tem alguma preparação especial para esse período?

Sim, intensifiquei meus treinos, tive um certo cuidado com a alimentação, além de praticar minha desenvoltura e meu samba no pé. É gratificante! Apesar de ter que ficar algumas horinhas em pé e ter um certo desgaste físico, é o que eu escolhi para a minha vida e é o que eu amo fazer. Em relação à preparação do corpo, não utilizo hidrante para facilitar a aderência da cola e dos brocais (brilho) e o cabelo deixo natural como de costume.

Alguma vez a nudez na construção da sua personagem constituiu algum problema?

Vejo a Globeleza pelo lado artístico, não apenas como um corpo "nu" pintado, então nunca me trouxe nenhum problema. É uma arte linda e maravilhosa de ser feita e executada.

Fale-nos um pouco da sua história e trajetória até assumir o papel de Globeleza.

Minha relação com a dança é desde pequena, tinha meus grupinhos de dança, até entrar em uma Instituição onde fazia aulas diariamente. A batalha é grande no mundo da dança, passamos por muitos testes, mas tive o privilégio de viajar para outros países por conta dela, entre outros trabalhos incríveis que já realizei, até surgir a oportunidade de me tornar a Globeleza.

Saiba mais sobre:
Foto: DR
«Vejo o lado artístico e não apenas como um corpo nu» | © DR
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE