Salão de Genebra

Bombas e cavalos à solta em Genebra

02 | 03 | 2016   13.48H

O 86º Salão de Genebra coloca as ‘garras’ de fora num não em que as novidades mais entusiasmantes são ultra potentes e nem por isso ecológicas, da Bugatti à Pagani. Já o Opel Astra foi distinguido no evento como Carro do Ano na Europa.

João Tomé | jtome@destak.pt

Quase todos os últimos salões automóveis mundiais dos últimos anos têm tido sempre novidades e estrelas híbridas, elétricas ou até veículos autónomos (mais recentemente). Foram estes veículos que dispensam condutor que mais brilharam na feira de tecnologia mais importante do mundo, o CES, em Las Vegas, em janeiro, com a presença de várias marcas de automóveis. 

O Salão de Genebra não é excepção no campo das novidades ecológicas ou 'autónomas' mas estão a ser as ‘bombas’ com muitos cavalos que estão a assumir o protagonismo no evento que abre ao público amanhã mas já abriu à imprensa.

O líder da Ferrari (e do grupo Fiat Chrysler), Sergio Marchionne, mostrou o novo GTC4Lusso e fez questão de dizer sobre a hipótese da marca vir a ter carros autónomos: «Só por cima do meu cadáver. Teriam de me matar primeiro».

Nas novidades a Maserati mostrou a seu primeiro SUV, o Levante, a Pagani brilhou ao mostrar o novo coupé Huayra BC, com motor V12 Biturbo capaz de desenvolver 750 cv.

Já a Opel apresentou ao mundo o protótipo roadster com menos de 1000 kg e repleto de inovação (incluindo vidros espelhados e sem espelhos retrovisores), GT-Concept. Ainda não é certo que o roadster da Opel veja a luz do dia mas o seu líder espera que seja possível.

Certo é que a Opel está de parabéns. O novo Astra foi eleito Carro do Ano na Europa (COTY - Car of The Year) e o anúncio, como é habitual, foi feito no Salão de Genebra.

O Bugatti mais rápido de sempre

Mas a estreia mais aguardada era a do Bugatti Chiron, considerado o mais rápido, potente e luxuoso carro de produção do mundo com uns inéditos 1500 cv (atinge os 420 km/h e chega aos 100 km/h em 2,5 segundos).O preço são uns proibitivos (para a maioria) 2,4 milhões de euros, sem contar com os impostos.

Já a Lamborghini mostrou o seu exclusivo e com ar de nave espacial Centenario, com 770 cv e apenas 40 unidades produzidas (já vendidas com o preço de 1,75 milhões de euros, mais impostos). O Centenario é feito em homenagem ao nascimento há um século do fundador da marca, Ferruccio Lamborghini.

A Porsche, entre outras novidades, apresentou o 911R, inspirado nos modelos de competição de 1967 e repleto de tecnologia 'racing' e perda de peso que é apontado como o 911 GT3 RS dos puristas, já que tem transmissão manual.

A Aston Martin mostrou a versão final do deslumbrante DB11, o mais potente DB de sempre, e que apareceu no último filme de James Bond. Por baixo do capot tem um motor V12 de 5.2 litros com dois turbos com 600 cv de potência.

Novidades menos potentes

Fora do mundo dos desportivos e dos automóveis de luxo, a Toyota apresentou o seu SUV com sistema híbrido do Prius, o C-HR, a Honda a versão hatchback do Civic e a Fiat apresentou a versão Station Wagon do novo Tipo. A Mercedes mostrou a versão descapotável do seu Classe C e a Seat o seu primeiro SUV, o Ateca. 

Não faltou a estreia do SUV mais pequeno de sempre da Audi, o Q2, e a Hyundai mostrou Ioniq nas versões híbrida, elétrica e plug-in. A Volkswagen surpreendeu com o protótipo com ar de Range Rover Evoque, o pequeno SUV Volkswagen T-Cross Breeze Concept (que surgiu em versão descapotável) pode ser rival do Renault Captur.

Saiba mais sobre:
Foto: EPA
Bombas e cavalos à solta em Genebra | © EPA
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE