Educação para todos

75 milhões de crianças não vão à escola

19 | 04 | 2009   17.49H

São cerca de 75 milhões as crianças, em todo o mundo, que não vão à escola. A que se somam 750 milhões de adultos analfabetos. A grande maioria são raparigas e mulheres, numa prova de desigualdade de direitos, com consequências dramáticas: os filhos de mães que não foram à escola tendem a também não a frequentar, morrendo mais cedo, e sendo mais pobres.

O diagnóstico da situação está feito, e os acordos internacionais que têm como objectivo erradicar o analfabetismo do mundo, estão assinados, inclusivamente por Portugal, mas como os números indicam ainda está quase tudo por fazer.

Abre um livro

Para que as promessas não fiquem no papel a Campanha Global para a Educação organiza uma semana de acção, com início já amanhã, em se envolvem milhões de pessoas em mais de 100 países, com o objectivo de «acordar» os seus governantes para o compromisso de garantir uma educação para todos.

«Abre um Livro, Abre o Mundo» é o lema deste ano, e pretende que cada um de nós valorize o facto de saber ler e escrever e a importância do exercício, por todos, desse direito.

O ponto alto será o Grande Dia da Leitura, na quarta-feira. Nas escolas portuguesas, e nas de todo o mundo, serão lidos textos do Grande Livro Internacional, que conta com a colaboração de personalidade como Nelson Mandela, Paulo Coelho, Rainha da Jordânia, e em representação de Portugal, da directora do Destak, Isabel Stilwell.

Nas próximas edições vai dar-lhe a conhecer alguns dos projectos de educação, de iniciativa portuguesa. Saiba mais em www.Destak.pt, www.educaçãoparatodos.org, e leia o livro em www.campaingforeducation.org.

Isabel Stilwell | editorial@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE