PUBLICIDADE
Comunicado

Médicos Sem Fronteiras pedem vacinas mais baratas para crianças refugiadas

14 | 07 | 2016   12.35H

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) criticou hoje o "preço exorbitante" que os governos e as organizações não-governamentais têm de pagar às farmacêuticas para poderem vacinar as crianças mais vulneráveis, como os refugiados que chegaram à Europa.

Num comunicado, a MSF assinala que negoceia há seis anos sem êxito com as farmacêuticas Pfizer e GlaxoSmithKline (GSK) uma diminuição do preço da vacina contra a pneumonia, a doença com a maior taxa de mortalidade entre os menores de cinco anos.

"Os governos e as organizações humanitárias necessitam das ferramentas para proteger as crianças que vivem uma das maiores crises do nosso tempo. Pfizer e GSK têm de baixar o preço da vacina contra a pneumonia", disse o diretor de operações médicas da MSF na Grécia, Apostolos Veizis.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE