Estudo

Portugueses rendidos aos veículos do futuro

22 | 09 | 2016   14.19H

As vantagens dos automóveis conectados e dos que dispensam condutor parecem ter conquistado os portugueses, revela um estudo do Observador Cetelem.

Carla Marina Mendes | cmendes@destak.pt

As vantagens são muitas: da redução do impacto ambiental a uma maior eficiência na mobilidade, os carros do futuro já estão aí e prometem melhorar a vida de quem os conduz. Uma promessa na qual a esmagadora maioria (84%) dos portugueses acredita, revelam os dados de um estudo do Observador Cetelem sobre o que nos reserva o mercado automóvel.

A segurança das pessoas e dos veículos é critério que mais importa para os cidadãos nacionais, com 78% a elegê-lo quando se trata dos carros conectados, aquele que, equipados com sistemas de navegação GPS e aplicações de navegação em tempo real, são mais amigos do ambiente – reduzem a emissão de poluentes (27%) – e da carteira, já que para além da uma otimização do tempo de trajeto (54%), proporcionam uma redução dos gastos do consumo. Este é, de resto, um factor que também pesa na opinião nacional, com 76% dos inquiridos a salientá-lo.

Autónomos conquistam

Aos carros conectados juntam-se os autónomos, aqueles que dispensam o condutor. E nestes os portugueses também acreditam, com 44% a mostrarem-se interessados na utilização deste tipo de veículo. Aliás, os lusos são mesmo, de entre os europeus também inquiridos (alemães, belgas, espanhóis, franceses, italianos, polacos, britânicos e turcos), os mais entusiastas em relação ao Google Car e Apple Car, com 61% a mostrarem-se prontos para passar das palavras aos atos e adquirir um dos carros.

«As expectativas são altas», confirma em comunicado Diogo Lopes Pereira, diretor de marketing do Cetelem. «A mudança, embora gradual, está a ser bem recebida pelos portugueses, que são mesmo dos europeus mais recetivos a novas formas de mobilidade, mais económicas e ecológicas», conclui o especialista.

Foto: DR
Portugueses rendidos aos veículos do futuro | © DR

3 comentários

  • Ó Jesus Cristo, conectar não é um verbo? Lê bem: co·nec·tar |èct| ou |èt| - Conjugar (inglês to connect) verbo transitivo e pronominal 1. Unir ou unir-se através de uma conexão (ex.: conectar os fios; conectar o vídeo à/com a televisão; várias peças conectam-se no mesmo espaço). 2. [Informática, Telecomunicações] Fazer uma ligação a um computador ou dispositivo ou a uma rede de computadores ou dispositivos (ex.: conectou os dois computadores usando um cabo USB; pode conectar o computador à/com a impressora; os participantes conectaram-se à Internet). Sinónimo Geral: LIGAR "conetar", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/conetar [consultado em 24-09-2016].
    Anónimo | 24.09.2016 | 01.07Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Junto atalho para o dicionário da Porto Editora sobre "conectar" http://www.priberam.pt/dlpo/conetar
    vicant | 23.09.2016 | 18.02Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • O que são auto móveis conectados" O verbo conectar não existe na língua portuguesa de Portugal! Conectar é uma errada tradução de "to connect" que significa ligar, juntar, etc.
    Jesus Cristo laico | 22.09.2016 | 22.48Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE