Actualidade

EUA expressam preocupação por atrasos no referendo na Venezuela

23 | 09 | 2016   03.32H

Os EUA expressaram na quinta-feira preocupação por o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE) ter remetido o referendo sobre o mandato do Presidente Nicolás Maduro para meados do primeiro trimestre de 2017 e instou Caracas ao "diálogo sério".

"Os EUA estão preocupados com o anúncio do CNE de que o processo de referendo revogatório [do mandato presidencial] não poderá realizar-se até 2017. Esta decisão, somada às contínuas restrições à imprensa e outras ações para debilitar a autoridade da Assembleia Nacional, priva os cidadãos venezuelanos da oportunidade de moldar o rumo do seu país", lê-se num comunicado do porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, John Kirby.

O Governo dos Estados Unidos considera, no documento, que "os atrasos inexplicáveis do CNE no anúncio das datas para a próxima fase do processo, a decisão de estabelecer um número muito limitado de mesas de voto para a recolha de assinaturas, a distribuição dessas assembleias de voto de forma partidária e a imposição de um requisito irregular de estado a estado (20% dos eleitores em cada região) para a recolha das assinaturas" integram "um pacote de ações" que reforçam as preocupações "sobre a imparcialidade do processo".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE