Cabo Verde/Eleições

«Se achasse que a CPLP era inútil defenderia a sua extinção», Jorge Carlos Fonseca

23 | 09 | 2016   08.55H

O PR de Cabo Verde e recandidato às presidenciais de outubro, Jorge Carlos Fonseca, defende uma reformulação dos objetivos da comunidade lusófona (CPLP), adiantando que se concluísse que a organização é inútil defenderia a sua extinção.

Em entrevista à agência Lusa, Jorge Carlos Fonseca, que corre para um segundo mandato no palácio do Plateau, promete, caso seja eleito, "trabalhar com mais afinco" para ajudar a reformular a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

"Se, como chefe de Estado de Cabo Verde, chegasse à conclusão de que é uma instância inútil, defenderia sem problemas a sua extinção. Mas acredito ainda na reavaliação, na revitalização da CPLP e penso trabalhar ainda com mais afinco com os meus colegas, no sentido de reformular os objetivos" da comunidade, disse Jorge Carlos Fonseca.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE