ModaLisboa

Desfile de Ricardo Preto em ‘stand’ de automóveis no arranque do último dia

09 | 10 | 2016   18.39H

A coleção do criador Ricardo Preto para a próxima primavera/verão foi hoje apresentada num ‘stand' de automóveis de luxo, no Príncipe Real, marcando o arranque do último dia da 47.ª edição da ModaLisboa.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

Tendo como ponto de partida "a modernidade, o conforto e o tempo que se vive, na sua forma mais pura", o ‘designer' escolheu este local pelo seu "contexto arquitetónico", que remete para "uma caixa", explicou Ricardo Preto à agência Lusa.

"Como era uma coleção demasiado poética e demasiado tranquila, achei que era bom apresentá-la num espaço mais cru", justificou.

A hora do desfile - que estava previsto para as 12:30, mas que se iniciou perto das 13:00 - também não foi escolhida de forma aleatória: "Foi um desfile que planeei para ser antes de almoço para ter esta luz".

"Acho que quando se apresenta uma coleção, a atmosfera em que se apresenta é que vai dar o mote da coleção", observou o criador, que confessou ser "muito mais diurno do que noturno".

Apostando em coordenados femininos de cores claras, como o branco, rosa, violeta, bege, azul e verde, do trabalho de Ricardo Preto transpareceu a arquitetura moderna em silhuetas estruturadas e tecidos fluidos.

A inspiração para esta coleção, denominada "Do you see me?" (ou "Consegues ver-me?"), partiu da "beleza luxuriante das Filipinas".

O objetivo foi representar uma "mulher bonita e confiante" através destas roupas, adiantou o criador à Lusa, cujo desfile ocorreu na Rua Nova de São Mamede.

As apresentações seguem agora para o n.º 31 da Praça do Município, onde, às 14:30 e às 15:30, decorrem os desfiles de Olga Noronha e Patrick de Pádua, respetivamente.

A partir das 16:30, os desfiles acontecem no Pátio da Galé, com as apresentações das coleções de Filipe Faísca, de Ricardo Andrez, da angolana Nadir Tati, de Kolovrat e de Luís Carvalho.

Além dos desfiles, acessíveis por convite, a programação da ModaLisboa inclui exposições e o Wonder Room, uma ‘pop-up store' (loja temporária), de entrada livre.

Entre as 12:00 e as 21:30 de hoje, no n.º 31 da Praça do Município, será possível ver-se a ‘Workstation' - mostra fotográfica construída ao longo desta edição pelas lentes de Anna Balecho, Carla Pires e Maria Rita - e a "Future Archive", uma mostra de imagens captadas pelo fotógrafo Miguel Domingos que farão parte de um livro, a ser editado ainda este ano, com uma seleção de retratos e séries fotográficas realizados nos últimos dez anos em Lisboa, Paris, Nova Iorque e Londres.

Neste espaço há ainda uma instalação dedicada ao calçado "Portuguese Shoes" e a exibição da curta-metragem "Desfazer", de Lara Torres, "realizada no âmbito do seu doutoramento, que explora os limites da prática de moda hoje".

No Wonder Room, com o mesmo horário, estão presentes mais de 20 marcas nacionais emergentes em áreas que vão do vestuário à joalharia, do calçado à perfumaria.

Em janeiro, a Câmara de Lisboa aprovou um novo protocolo de colaboração com a Associação ModaLisboa, que prevê a realização de mais seis edições (duas em 2016, duas em 2017 e duas em 2018).

Assim, a ModaLisboa regressa em março de 2017, para a apresentação das coleções para o inverno de 2017/2018.

Saiba mais sobre:
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE