festival

Conhecidos vencedores do Indie 2009

03 | 05 | 2009   17.47H

Os vencedores foram anunciados ontem à noite no cinema São Jorge, em Lisboa, seguindo-se a exibição do filme "Ballast".

"Ballast" venceu o Grande Prémio de longa-metragem da competição internacional, secção para a qual foram seleccionados 12 filmes.

O júri desta secção considerou que "Ballast" conta uma história que "privilegia sempre a humanidade" através dos diálogos, da perspectiva, dos ritmos e do seu "estilo preciso".

"Ballast", apresentado em 2008 nos festivais de Sundance e de Berlim, foi rodado no Mississipi com actores amadores, que interpretam um drama rural de uma família que recupera os laços afectivos depois do suicídio de um dos seus elementos.

Lance Hammer receberá um prémio monetário de 15 mil euros.

"Ruínas", documentário de Manuel Mozos, foi eleito a melhor longa-metragem portuguesa. O júri elogiou "a coerência do olhar e a intensidade da junção entre imagem e texto" e uma abordagem "muito pessoal" de Manuel Mozos que "dá vida a lugares e memórias".

O júri que atribuiu estes prémios foi composto por Christoph Terhechte, Inês de Medeiros, Marco Müller, Rabah Ameur-Zaïmeche e Raymond Walraven.

No que toca às curtas-metragens, na competição internacional o vencedor foi "Kempinski", filme experimental de Neil Beloufa produzido em França, havendo ainda menções honrosas para Graeme Cole, pelo filme "It's Nick's birthday", e para Duncan Campell, por conta de "Bernadette".

Ainda na área das curtas-metragens, entre os portugueses, o prémio de melhor filme foi para "Arena", de João Salaviza, que estará presente este ano em Cannes.

O autor de banda desenhada Filipe Abranches foi eleito o melhor realizador com a animação "Pássaros".

O Prémio Novo Talento FNAC foi atribuído a Gabriel Abrantes, que concorria com o filme "Visionary Iraq".

O público do IndieLisboa também foi convidado a votar e elegeu o filme "L´encerclement", ensaio sobre o neoliberalismo assinado por Richard Brouillette, como a melhor longa-metragem, e "Visita guiada", do português Tiago Hespanha, a melhor curta-metragem, embora o filme tenha 56 minutos.

O IndieLisboa começou no dia 23 com uma proposta de 250 longas e curtas-metragens do mais recente cinema independente português e estrangeiro, 23 dos quais em estreia mundial.

O IndieLisboa decorreu em oito salas de cinema de cinco espaços de exibição da capital, entre os quais cinemas São Jorge, Fórum Lisboa e Museu do Oriente.

Nesta edição foram ainda homenageados os realizadores Werner Herzog e Jacques Nolot, com o cineasta Manoel de Oliveira a apresentar em antestreia do seu mais recente filme, "Singularidades de uma rapariga loura".

O realizador Ivo Ferreira, que tinha a longa-metragem "Águas mil" seleccionada para as competições nacional e internacional, saiu sem qualquer prémio.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE