PUBLICIDADE
NGC

Série 'Marte' promete revolucionar a narrativa televisiva

11 | 11 | 2016   11.29H

No dia 13, estreia no NGC uma série que combina ficção e efeitos visuais à Hollywood com rigor científico e imagens reais

Vera Valadas Ferreira | vferreira@destak.pt

Robert Sherman é fã de Chick Corea, Mark Knopfler ou Lionel Richie, com direito a fotos autografadas e tudo, conforme o Destak teve oportunidade de descobrir em plena Residência do Embaixador dos EUA em Lisboa, num evento que serviu à apresentação da série Marte. O ainfitrião da festa é também fã do universo National Geographic, cujas revistas guarda ainda num baú da sua adolescência.

Hoje, tantas décadas volvidas, continua a ser um “space junkie”. Por isso foi mais do que natural que a produção em estreia no domingo tivesse assim o seu primeiro “sneak peek” junto da imprensa e parceiros estratégicos do NGC. Com exibição às 22h30, no NGC, esta produção resulta de um novo posicionamento do canal, resultante da “joint venture” entre a National Geographic Society e a 21 st Century Fox. Eis «uma nova era», nas palavras de Vera Pinto Pereira, Senior VP da National Geographic Partners Iberia. Combina a precisão científica do selo NGC e o carimbo de entretenimento ao estilo de Hollywood.

Modelo pioneiro

Com estreia no NGC em 171 países e em 45 línguas – mas atenção, com um dia de avanço em Portugal face aos EUA –, Marte promete «redefinir a narrativa televisiva». Isto porque combina ficção e ação dramática, com fantásticos efeitos visuais e sequências documentais reais. Esta série de seis episódios foi criada por Brian Grazer e Ron Howard, cineasta cujo entusiasmo pelo tema espacial é do domínio público. «A oferta à audiência será informação que se encontra com realização ficcional vívida e experimental», promete, aqui na qualidade de produtor executivo.

A ação arranca em 2033, quando a Humanidade embarca na primeira missão a Marte, a bordo da nave espacial Daedaluso. Nela viajam um americano, uma coreana, um espanhol, uma francesa, um nigeriano e uma russa, tudo astronautas altamente qualficados e com distintas especializações. A partir da Terra, na equipa de controlo está, por exemplo, o ator francês Olivier Martinez, um dos nomes mais sonantes do elenco.

  A jornada para alcançar o planeta vermelho é contada através de documentários e entrevistas a cientistas que lideram o desenvolvimento da tecnologia espacial que tornaria a missão de 2033 possível. Um fascínio que durá há séculos, conforme explicou na apresentação em Lisboa, Emmet Fletcher, da Agência Espacial Europeia. Robert Braun, engenheiro aeroespacial e professor de tecnologia espacial, foi o consultor de Marte, assim como Mae Jemison, uma antiga astronauta da NASA, a primeira mulher de cor no espaço.

Saiba mais sobre:
Foto: © Destak
Série 'Marte' promete revolucionar a narrativa televisiva | © © Destak
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE