PUBLICIDADE
Medicina Interna

Há falta de internistas nos hospitais nacionais

22 | 12 | 2016   10.08H

São os médicos que, nos hospitais, olham para os doentes como um todo. Mas são poucos, alerta médico.

Carla Marina Mendes | cmendes@destak.pt

«Neste momento não há internistas suficientes nos hospitais.» A garantia é dada ao Destak por Luís Campos, presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, que aproveita a celebração dos 65 anos de existência desta organização para fazer um balanço. E são vários os motivos que justificam a afirmação, feita em jeito de alerta.

Um deles tem a ver com o tipo de doentes que chegam aos hospitais. «São doentes cada vez mais necessitados da medicina interna. São cada vez mais idosos, com várias doenças, que têm que ser abordados por uma especialidade generalista», refere o médico.

A própria evolução das especialidades médicas, salienta Luís Campos, «tem conduzido a uma hiperespecialização. Os médicos sabem cada vez mais sobre cada vez menos. E ainda bem, mas isso acentua a necessidade de uma especialidade generalista, que cuide dos doentes que precisam com uma abordagem holística».

Há, segundo Luís Campos, uma terceira razão que vai ao encontro da necessidade do reforço destes profissionais nos hospitais portugueses. E ela tem a ver com a sustentabilidade do sistema. «Somos uma especialidade eficiente e necessária, contribuindo para a manutenção de um Serviço Nacional de Saúde sustentável.»

Impacto nos profissionais

Tendo em conta as necessidades crescentes, que não têm sido compensadas com um aumento do número destes profissionais, «os internistas têm que se desdobrar e trabalhar para além do horário, o que afeta a sua qualidade de vida», confirma o especialista.

O impacto faz-se sentir ao nível da vida pessoal e familiar de cada internista e junta-se aqui à redução do que é pago pelas horas extraordinárias, que tem levado muitos a cumular empregos, causando aquilo que Luís Campos chama de burnout. «Este é um problema a que urge fazer frente, através da discriminação positiva da medicina interna e de outras medidas que atenuem este problema e tornem o exercício desta especialidade mais compensador e atrativo».

Foto: 123RF
Há falta de internistas nos hospitais nacionais | © 123RF

1 comentário

  • burnout?! E geringonça? A palavara mais usada em 2016? Então é assim: há falta de internistas porque alguém deu a ideia "porque no emigras?"... e " porque no emigro yo?", "emigro si!" vai daí... emigraram e prontes, há falta de internistas, enfermeiros. Mas, paródia à parte, o 'esquema' acerca da saúde (sistemas de saúde, centros de saúde, hospitais), é um 'esquema' que está montado (sustentabilidade do sistema) de maneira a que a 'geringonça' funcione. Desde que a 'geringonça' funcione, o resto (os médicos e os doentes) é pouco importante para 'eles'. Ai Ai burnout? Xafarica! Xafarica!
    Anónimo | 30.12.2016 | 21.08Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE