PUBLICIDADE
Segurança

Telemóvel no carro duplica risco de acidente fatal

17 | 08 | 2007   16.43H

Em causa está a distracção ligada à conversação e não a perícia da condução ou qualquer efeito do campo de radiofrequência sobre o cérebro, informa o mesmo relatório.

Estudos citados no relatório referem que a conversação ao telemóvel num veículo automóvel mais de 50 minutos por mês aumenta 5,59 vezes o risco de acidente.

Em 223,137 acidentes registados entre 1992 e 1995 também ficou expresso que havia uma possibilidade nove vezes superior de acidente fatal quando se usava o telemóvel.

A simples presença de um telemóvel no automóvel significa um risco duas vezes superior de acidente fatal, concluem os estudos.

O relatório da DGS alerta no entanto que o telemóvel é um factor de segurança na assistência médica pré-hospitalar.

Desconhecem-se efeitos adversos

Quanto à exposição dos utilizadores de telemóveis aos campos magnéticos, o relatório indica não estar estabelecida uma ligação «inequívoca» entre a exposição a campos magnéticos e efeitos adversos na saúde humana.

No entanto, recomenda que para reduzir a exposição, o melhor é usar sistema kit mãos livres ou reduzir a duração das chamadas.

Por outro lado, recomenda que as pessoas com implantes electrónicos, como pacemakers, bombas de insulina ou neuroestimuladores transportem o seu telemóvel afastado, pelo menos, 15 centímetros do seu implante, e que o usem na orelha do lado oposto.

De fora dos locais seguros para fazer chamadas móveis ficam as unidades de saúde, em áreas onde existem equipamentos médicos sujeitos a sofrerem interferências electromagnéticas.

Antenas não são perigosas para a saúde

Sobre as antenas fixas de telemóveis, os especialistas garantem que a saúde das populações que habitam nas proximidades de estações base não está em perigo quando os níveis de exposição atingem apenas uma pequena fracção dos valores recomendados.

As estações base são dispositivos fixos de comunicação que recebem e emitem energia em radiofrequência. O funcionamento de um telemóvel é baseado numa comunicação efectuada entre um terminal portátil e a antena da estação base mais próxima. Estas duas estruturas são emissores e receptores de sinais de radiofrequência.

O documento garante serem «insignificantes» os níveis de exposição às radiações de estações base quando comparados com a exposição aos próprios telemóveis.

Os níveis dessas estações «de um modo geral são muito inferiores» aos níveis de referência definidos pela Recomendação do Conselho número 1999/519/CE e adoptados através de uma portaria em Portugal em 2004. «Estes níveis são inferiores aos que estão associados ao funcionamento de estações de radiodifusão sonora e auditiva», acrescenta o texto.

Caso surjam novas provas cientificas de que as fontes emissoras são responsáveis pela ocorrência de efeitos prejudiciais para a saúde, todas as estações de radiocomunicações «terão forçosamente que sofrer as adaptações necessárias para corrigir esta situação».

Com Lusa 

3 comentários

  • O "telemóvel no carro" pode ser efectivamente perigoso, no entanto, ninguém falou ainda na utilização de "auto-rádios" no volume máximo, como por vezes sucede... passar um veículo na rua em alta velocidade e com a "música aos berros", não será também perigoso!.
    Em suma, não será antes um problema de civismo, e só depois um problema relacionado com o artefacto em si?.
    Todos sabemos que o cidadão português valoriza em demasia o automóvel e o telemóvel, dado que necessita de "milhares de horas de trabalho para os atingir" e pagar os encargos inerentes,...dupla tributação... impostos ilegais... seguros...inspecções...oficina... etc. estamos no fundo da tabela da "Europa a 15" em salários e no início da mesma tabela no que respeita aos encargos com esses artefactos, o que faz com que o português ao volante se "sinta um autêntico Rei" e se transforme num potencial "Assassino das Estradas"... somos um povo de "pescoço levantado", cheios de dívidas e presunção sem poder de compra e asfixiados por políticos que vivem faustosamente à moda europeia e nos "roubam o suor do rosto com impostos maquiavélicos" e leis de "genocídio dos nossos direitos" !.
    Miguel189@yahoo.com | 20.08.2007 | 15.32H
  • e fumar a conduzir tambem...
    p.p. | 18.08.2007 | 22.57H
  • E uma bela mulher no banco do lado, com umas pernas assim belas também, em quantas vezes aumenta a probabiliadde de acidente? Já fizerem as contas? Es estão também a pensar fazer leis sobre o assunto?
    BLA | 18.08.2007 | 19.17H
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE