exposição

Mário Tropa mostra em Santarém um percurso coerente de 50 anos de pintura

11 | 01 | 2017   09.46H

O labirinto presente numa das primeiras obras de Mário Tropa poderia servir de analogia para uma exposição patente em Santarém, até sábado, que mostra "a coerência de um percurso quase circular" de 50 anos de pintura e desenho.

"Fragmentos de um discurso interior - 50 anos de pintura", instalada em dois espaços da cidade de Santarém - no Fórum Mário Viegas (os trabalhos em papel) e no Palácio Landal (as telas) - mostra parte das muitas obras que este artista plástico, natural de Lisboa e ribatejano por opção, foi guardando e das quais não se desfaria "de maneira nenhuma".

Mário Tropa reuniu 60 a 70 das suas obras - "na melhor das hipóteses 5%" de tudo o que fez -, representativas de um percurso iniciado na década de 1960, quando ainda era estudante de Belas-Artes em Lisboa.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE