Actualidade

Angola com alto risco de instabilidade apesar de reduzir austeridade - Moody's

11 | 01 | 2017   14.01H

A agência de notação financeira Moody's estima que Angola vá enfrentar este ano maior instabilidade social, apesar do abrandamento da austeridade graças ao aumento da produção de petróleo, e prevê um crescimento económico de 3%.

Num relatório sobre os 'ratings' dos países da África subsaariana, a que a Lusa teve acesso, a Moody's diz que "os países mais expostos ao risco de instabilidade social incluem Angola, Camarões, República Democrática do Congo, Ruanda e Uganda", recorrendo a indicadores como o tempo de permanência do Presidente no poder, a responsabilização política, os indicadores de estabilidade política, o PIB per capita em paridade do poder de compra e o número de utilizadores da internet, entre outros.

Angola deverá realizar eleições presidenciais em agosto deste ano, que deverão colocar um fim ao 'reinado' de José Eduardo dos Santos, que já leva 37 anos no poder, sendo aliás o Presidente há mais tempo em exercício nos países que realizam eleições neste e no próximo ano.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE