Actualidade

Federação promove "novo ciclismo" no concurso para a concessão da Volta a Portugal

11 | 01 | 2017   16.31H

A Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) abriu hoje as candidaturas para a concessão dos direitos de exploração da Volta a Portugal por oito anos, advogando-se no direito de impedir a participação de equipas que não representem o 'novo ciclismo'.

No documento que elenca as condições gerais do concurso para a concessão da organização da Volta a Portugal por um período de oito anos, a partir de 2018, a FPC apresenta uma cláusula, incluída na "Reserva de Direitos", que permite à entidade "impedir a participação de equipas na Volta a Portugal que não representem os valores do 'novo ciclismo'", ou seja, um ciclismo de "fomento e desenvolvimento, cada vez mais internacional, irrepreensível ao nível da ética desportiva".

O concurso estipula que os interessados em adquirir os direitos da prova rainha do calendário nacional terão de pagar, anualmente, 450.00 euros (atualização anual indexada à inflação) à FPC, sendo obrigatória a apresentação de garantia financeira de montante igual a metade do preço anual, e que, para além da Volta a Portugal, terão de organizar a Volta a Portugal do Futuro e outra prova internacional de categoria igual ou superior a 2.2 da União Ciclista Internacional.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE