Microbibliotecas

Cabines telefónicas ganham uma nova vida

18 | 01 | 2017   11.38H
As primeiras cabines telefónicas foram inauguradas no Rossio há quase nove décadas e chegaram a ser milhares, de Norte a Sul do País. No entanto, as comunicações móveis ditaram o início da sua quase extinção na década de 90, sendo hoje cada vez mais difícil cruzarmo-nos com as “velhinhas” cabines da PT.
Patrícia Susano Ferreira | pferreira@destak.pt

Mas engana-se se julga que estas vão desaparecer totalmente, pois o seu charme tem feito com que sejam usadas para outros propósitos que não o de contactar amigos e familiares. Ainda não estamos na escala de Londres – onde há cada vez mais cabines convertidas em livrarias, cafetarias ou mini-restaurantes com sandes e sumos –, mas há um projeto que as está a resgatar para a literatura.

Ligação direta para a cultura

Cabine de Leitura nasceu há quase três anos e é um projeto da Fundação PT que pretende reabilitar cabines e aproveitá-las para criar microbibliotecas onde pode levantar livros para ler, mas também pode doar obras que já não façam sentido em sua casa. Em três anos, nasceram sete em todo o País.

Projeto para idosos e crianças

O oitavo espaço de leitura nasce hoje junto ao Centro Social da Trafaria, em Almada, e visa apoiar os projetos “Parque de Reminiscências” – que pretende «criar estímulos visualmente interessantes para pessoas idosas com demência» – e “Ler em Família” – que «promove hábitos de leitura junto de crianças da creche e pré-escolar, através do envolvimento parental».

Além da nova cabine de leitura, este parque conta já com um quiosque; «um autocarro desativado que aguarda por oportunidade de restauro para ser transformado em salade atividades»; e uma ágora cedida por uma associação para arealização de atividades entre-gerações, explicou ao Destak a diretora técnica do Centro Social da Trafaria (Misericórdia de Almada), Sofia Valério.

Saiba mais sobre:
Foto: dr
Cabines telefónicas ganham uma nova vida | © dr

1 comentário

  • Bem me lembro, mas também me lembro nesse tempo existiam umas balanças para quer quisesse pesar ao troco 10 centavos! Podia voltar.
    Cliente | 18.01.2017 | 11.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE