Oxfam

Oito com a mesma riqueza de 3,6 mil milhões

18 | 01 | 2017   12.06H

Oito conseguem igualar 3,6 mil milhões. Como? A conta que aqui se faz, difícil de aceitar, diz respeito à riqueza, que continua concentrada nas mãos de poucos.

Carla Marina Mendes | cmendes@destak.pt

São apenas oito, oito homens que, todos juntos, têm uma riqueza equivalente à de 3,6 mil milhões de pessoas, a metade mais pobre da humanidade. A denúncia é feita pela Oxfam, nas vésperas do Fórum Económico Mundial de Davos, que arrancou esta terça-feira.

No relatório ‘An economy for the 99 percent’ (Uma economia para os 99%), a organização não-governamental revela que a diferença entre ricos e pobres é bem maior do que aquilo que se previa. «É obsceno que tanta riqueza esteja nas mãos de tão poucos, quando uma em cada dez pessoas sobrevive com menos de dois dólares por dia», afirma Winnie Byanyima, diretora executiva da Oxfam International.

«A desigualdade está a prender centenas de milhões à pobreza, está a dividir as nossas sociedades e a minar a democracia», reforça. Mais insegurança e medo O relatório apresenta outros dados. Por exemplo, revela que o rendimento dos 10% mais pobres aumentou cerca 65 dólares por ano entre 1988 e 2011, enquanto a dos 1% mais ricos subiu qualquer coisa como 182 vezes. Ou que, o homem mais rico do Vietname, ganha mais num dia do que a pessoa mais pobre ganha em dez anos.

E se nada for feito para combater estas desigualdades, que não param de crescer, isso irá originar, lê-se no documento, um aumento da criminalidade e insegurança e, ao mesmo tempo, fragilizar o combate à pobreza. «Ela gera mais pessoas a viverem com medo do que com esperança.»

3 comentários

  • E SE ESSES QUE GANHAM 65 DÓLARES POR ANOS PASSASSEM A GANHAR 650, O SEU CONSUMO IRIA ACABAR COM OS RECURSOS DO PLANETA EM TRÊS ANOS O QUE TAMBÉM TERIA A VANTAGEM DE OS TAIS RICOS NÃO TERIAM MAIS EMPRESAS PARA ENRIQUECER, PORQUE A GUERRA PELO SAQUE SERIA TOTAL...CENÁRIO POR SINAL...INEVITÁVEL DENTRO DE DEZ ANOS! RECORDEMOS O CASO DA DITA CRISE DAS SUBSISTÊNCIAS, OU SEJA A FOME, EM PORTUGAL DESDE 1918 A 1925, COM SAQUES DIÁRIOS ÁS MERCEARIAS, E O MERCADO NEGRO E OS ORDENADOS ATRASADOS TRÊS MESES, ETC... ATÉ FAZIAM PÃO COM BOLOTAS E PALHA!
    BERNARDO | 07.12.2017 | 03.01Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Mas se toda a humanidade pobre tivesse por exemplo acesso a metade do consumo per capita de um português...os recursos do planeta já em esgotamento acelerado,em rotura dentro de dez anos,estariam esgotados em...um a dois anos!Portanto... é melhor aprender a sobreviver(?) com os pobres...e no meio da guerra pelos recursos, já em curso e sem solução!
    gabrielcorreia | 09.05.2017 | 19.17Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • E nada será feito. Nada será feito porque 'eles' não deixam. Somos apenas números... a abater. As estatísticas, os estudos, os relatórios, os fóruns, servem para 'eles' poderem ver o que falta abater. Não tenham ilusões. John Colleman tinha razão.
    Anónimo | 09.04.2017 | 14.09Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE